As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Jesus não disse para não julgarmos?



https://youtu.be/GUoPGD8B7jM

O verso que citou do "não julgueis" está corretíssimo, quando aplicado às pessoas. Porém, quando são idéias, doutrinas, pecados etc. a Bíblia é clara que devemos julgar.

"Falo como a entendidos; julgai vós mesmos o que digo". 1 Coríntios 10:15
"Examinai tudo. Retende o bem". 1 Tessalonicenses 5:21
"E falem dois ou três profetas, e os outros julguem". 1 Coríntios 14:29


>> o Evangelhos segundo o espiritismo é o mesmo evangelho de Jesus, porem nos atemos apenas a parte moral - a novidade que o espiritismo trás não está no " Evangelho segundo o espiritismo" mas sim nas outras obras como "O livro dos espiritos"

Deveras estranha essa atitude. Daquilo que existia da revelação de Jesus, o Allan pinçou o que achou conveniente. E deixou para basear o grosso de sua doutrina no que seria revelado depois? Por quem? Oras, você citou o versículo que fala do "Espírito da verdade" para justificar o que vem no livro "dos espíritos" (plural). Devo crer que o "s" para pluralizar o espírito por quem seria revelada toda a verdade ficou por conta do Allan.

>>era necessario o homem adquir mais conheciemento da vida e do planeta para que lhe fosse revelado novos conhecimentos do mundo espiritual- e esta nova revelação é o espiritismo
Evidentemente. E de posse desses novos conhecimentos, Allan Kardec escreveu:

"A conformação dos corpos é quase a mesma desse mundo, mas é menos material, menos denso e de uma maior leveza específica. Ao passo que rastejamos penosamente na Terra, o habitante de Júpiter se transporta, de um lugar para outro, roçando a superfície do solo, quase sem fadiga, como o pássaro no ar ou o peixe na água." (Revista Espírita Março 1858)
Eu adoraria morar num planeta onde não há problema de excesso de peso?! Ele também teceu comentários sobre a "atmosfera" da Lua. Mas isso foi em 1858. Em 1969, quando o Armstrong chegou lá, já tinha acabado.

>> a lei maior que Jesus nos ensinou- amar ao proximo
Não, o amor do espiritismo não é amor, pois não é desinteressado. Se a minha salvação depende de eu ajudar meu próximo, tá na cara que tenho segundas intenções. Se ajudar, evoluo, se não ajudar, não evoluo... então vou ajudar, porque "amo tanto" esse coitado ali... Mas péraí! Se ele está sofrendo e eu ajudá-lo, não vou atrapalhar sua evolução? Xi, complicou.

No espiritismo, a boa conduta, obras, perdão etc. são condições para a salvação. No cristianismo são uma consequência da salvação:

"Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também". Cl 3:12

>> ao contrario de doutrinas elitista, de pessoas que se dissem os salvos

Problema de "Critério de Auto-Referência". Você analisa as coisas sob lente própria. Na sua concepção é salvo quem é bonzinho, e considerar-se salvo é considerar-se merecedor. Será que não entendeu que Cristo Jesus veio ao mundo salvar PECADORES? Depois que inventaram de dar o nome de "bom ladrão" àquele ladrão a coisa ficou confusa. Já viu "bom" ladrão?! Veja o que Paulo escreve sobre essa "elite" de salvos:

"Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são (inúteis), para aniquilar as que são (úteis); Para que nenhuma carne se glorie perante ele." 1 Co 1:27
Isso equivale dizer que se alguém gritar para um grupo de cristãos "LOUCO! FRACO! VIL! DESPREZÍVEL! INÚTIL!", eu e mais um monte de gente vamos gritar: "PRESENTE!"

Já expliquei a diferença entre julgar pessoas e julgar doutrinas. A pessoa que julgo sou eu mesmo: um pecador. Eu julgo a doutrina espírita, não os espíritas, e a conclusão lógica é esta:

Espiritismo: você recebe, se fizer. É causa e efeito.

Ainda que não exista no indivído a intenção de fazer para receber, não somos ingênuos. O apostólo Paulo escreveu: "Na minha carne não habita bem algum". Essa é uma premissa de todo cristão, reconhecer sua incapacidade, pequenez, mesquinhez, egoísmo... São as coisas que saem do coração do homem que contaminam o homem (esse princípio moral foi aproveitado por Allan Kardec?).

Cristianismo: você faz, porque recebeu. É por isso que se chama "graça", ou favor imerecido. Vou contar uma história para explicar melhor.

Havia um leilão de escravos, onde escravos eram vendidos a vários preços, dependendo da idade, saúde, força para o trabalho, etc. Quando foi apresentado um escravo velho, fraco e doente, ninguém se interessou, mas todos se surpreenderam quando ouviram um fazendeiro gritar um lance num valor tão alto que daria para comprar todos os escravos à venda. Obviamente ele acabou comprando aquele escravo fraco e doente, diante do espanto de todos, inclusive do próprio escravo que foi chegando perto do seu novo dono trêmulo de medo.

- Vá embora - disse o fazendeiro. - Você está livre!
O escravo tremeu mais ainda e perguntou:
- Mas o sr pagou aquele alto preço para me mandar embora, livre?
- Isso mesmo. Eu paguei um preço alto porque tive pena de você e queria ter certeza de que ninguém ofereceria uma soma maior. Eu comprei a sua liberdade; pode ir embora para onde quiser. A partir de hoje você é um homem livre!

O escravo, caindo aos pés do seu libertador, com os olhos banhados em lágrimas, falou com voz forte e resoluta:
- Senhor, por causa do que o senhor fez, eu irei, POR AMOR, servi-lo até o fim dos meus dias!

Eu e todos os cristãos convertidos desta comunidade eram esse escravo. O Senhor pagou nossa redenção. Agora amamos, porque Ele amou primeiro.

Quando converso com espíritas percebo uma reação recorrente: "você não deve julgar", dizem eles. Alego que julgo apenas a doutrina, mas pensando melhor acho que meu julgamento vai um pouco mais longe.

Explico: a reação do espírita é baseada na sua premissa de que o homem tem algo de bom em si que precisa evoluir. É um diamante bruto a ser polido. Então qualquer crítica gera um conflito de ego: "Quem ele pensa que é para me julgar?" Resposta: "Alguém muito pior do que você pensa: um pecador".

Ser chamado de pecador dói no ego. A Bíblia não coloca o homem em um pedestal, ao contrário. Ela o coloca no seu devido lugar, para depois levá-lo ao céu, não de mérito próprio. Eis o que Deus pensa do ser humano:

"E (Jesus) não necessitava de que alguém testificasse do homem, porque ele bem sabia o que havia no homem". Jo 2:25 Será que Ele está se referindo a esse tal de "diamante que precisa ser lapidado" ou...

"Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios" Mc 7:21 "...iniqüidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; ... inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade; ... murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães;... Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia" (Rm 1) Tem mais em 2 Tm 3, a lista é interminável.

Quem não se reconhecer tudo isso não pode ser salvo, pois "Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores" 1 Tm 1:15
O espiritismo diz conservar a moral dos evangelhos e o decálogo (os 10 Mandamentos), mas não diz se dos evangelhos aceitou o que Jesus disse a respeito do ser humano em Jo 2:25 ou do que saía do coração do homem em Mc 7:21. Também não conta a verdade, que não há como cumprir os 10 mandamentos, por causa daquele que diz "Não cobiçarás".

Paulo descobriu-se incapaz: "Mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás." Rm 7:7
E Tiago explica por que Paulo se preocupou tanto com sua condição:

"Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos". Tiago 2:10

Tem alguém aqui que NÃO precise de um Salvador?

Mais acessadas da semana