As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Por que a Bíblia é comparada à espada?



https://youtu.be/eUO3ajvWo5g

A Bíblia "parece" um livro comum, mas não é (também não é algo mágico, evidentemente). O poder da Palavra de Deus está no Espírito que a aplica na alma. Quando vemos uma espada em um museu não imaginamos o número de pessoas que foram cortadas por sua lâmina. Ela está ali, parada, dentro de uma vitrine, tão inofensiva. O que faz a diferença é quem a empunha.

Quando digo "quem a empunha" em relação à espada da Palavra, referia-me ao Espírito Santo, pois só ele (e não bons oradores ou pregadores) pode fazê-la cortar como deve.

"Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir (revelar) os pensamentos e intenções do coração". Hebreus 4:12

Quanto aos judeus, muitos se convertem lendo apenas o Antigo Testamento. Por exemplo, há uma pergunta "fatal" para um judeu que lê Daniel 9:26:

"E depois das sessenta e duas semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário".

A pergunta é: a cidade e o santuário foram destruídos? Sim, no ano 70DC. Então cadê o Messias que viria antes na seqüência?! A equação não fecha e um judeu sincero há de reconhecer que o Messias veio antes da destruição da cidade (Jerusalém) e do templo.

Uma vez vi alguém fazer essa pergunta a um judeu e o rapaz entrar em pânico. Ele gritava:

"Não pode ser! Se fosse nossos pais teriam falado! Não pode ser! Não pode ser!". Por incrível que possa parecer, o rapaz virou as costas e saiu correndo. Nunca vi um negócio assim. A espada realmente penetrou em sua alma. Não sei se deu fruto depois. (Se encontrar um judeu correndo por aí, vou pará-lo para perguntar).

Em João 3 a Palavra é chamada de "água", que atua no novo nascimento. Em João 2 ela é usada pelos servos (figura do Espírito) para encher talhas de pedra (pessoas) antes de ser transformada em vinho (vida e alegria). Uma vez que uma pessoa seja cheia da Palavra pelo Espírito, o Senhor faz o milagre da transformação.

Espada, na Bíblia, é usada como arma ofensiva ou como símbolo de autoridade para julgar (Rm 13). Creio ser este último o sentido em Hb 4:12. A Palavra escrita, neste caso diferente do Verbo de Jo 1, chega à profundidade de "dividir" (ou cortar) alma e do espírito, portanto, capaz de modificar aquilo que temos de mais interior e invisível. Sim, pode ser para ajudar a distinguirmos o que é espiritual daquilo que não passa de emoção.

Mas essa "espada" também atinge "juntas e medulas", que são as partes físicas que nos levam a nos mover. Ela é capaz de mudar nossas atitudes. Além disso, traz à tona nossos pensamentos e intenções do coração, deixando claro aos nossos olhos o que realmente somos. Basta um corte dela no coração para revelar todas aquelas coisas más que o Senhor disse que provinham do coração, ou para revelar o que é de Deus e o que não é.

Ela faz, por assim dizer, uma biópsia de corpo, alma e espírito, deixando tudo à mostra. Para o incrédulo isso funciona para mostrar seu estado arruinado. Para o crente isso nos ajuda a diagnosticar se existe em nós algum câncer, ou seja, algum crescimento descontrolado da carne; ou algum derrame espiritual, que possa paralisar alguma parte de nós para o serviço de Deus, ou descontrolar outros movimentos para fazermos aquilo que Ele não quer.

Mais acessadas da semana