As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Estaria errado chamar Jesus de Rei?



https://youtu.be/jdczOb7SMHo

Recebi seu e-mail e entendo perfeitamente sua dúvida. Quando escrevi sobre o Sermão da Montanha, não quis dizer que Jesus não seja Rei (como você bem mostrou nas passagens). O ponto é que a relação que ele tem com a Igreja não é de Rei e súditos, por isso nenhum apóstolo se dirige a ele como Rei nas epístolas. Os cristãos reinarão COM ele durante o milênio, e não SOB ele.

Não é correto um cristão dizer "meu Rei Jesus", mas é correto chamá-lo de Senhor, porque é esta a relação que ele tem com os seus neste presente momento. No futuro, quando Israel for restaurado, os judeus convertidos irão chamá-lo de Rei, pois ele é o Rei de Israel. No entanto, para a Igreja, como você bem observou, ele é Senhor.

Portanto meu comentário não é quanto ao título de "Rei", que obviamente se aplica a Jesus, mas quanto à relação que o salvo tem hoje com ele. Um exemplo: Os filhos do presidente de um país não o chamam de "Sr. Presidente", mas de pai. Mesmo sendo presidente, a relação com seus filhos é diferente daquela que o presidente tem com o povo em geral.

Se observar no evangelho de João há uma mudança gradual no relacionamento que Jesus tem com seus discípulos à medida que eles vão se tornando mais íntimos do Senhor.

"Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer... Disse-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu Pai, mas vai para meus irmãos, e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus. Jo 15:14, 15; 20:17

Veja a evolução no relacionamento: de servos para amigos e, finalmente, irmãos.

Heb 2:11 Porque, assim o que santifica, como os que são santificados, são todos de um; por cuja causa não se envergonha de lhes chamar irmãos, Dizendo: Anunciarei o teu nome a meus irmãos, Cantar-te-ei louvores no meio da congregação. E outra vez: Porei nele a minha confiança. E outra vez: Eis-me aqui a mim, e aos filhos que Deus me deu".

Mas, ainda que o Senhor nos chame de irmãos, nós não temos a mesma liberdade de chamá-lo assim (ao menos não encontro qualquer ocorrência disso nas epístolas), pois para nós ele é Senhor. Veja também que não estaríamos corretos se o chamássemos de Pai, porque é a Deus Pai que nos dirigimos como Pai. O próprio Senhor, em seus dias aqui, chamava o seu Deus de Pai. "...subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus".

Portanto o correto é nos dirigirmos a ele, não como "amigão" como fazem alguns, nem como "Rei" como fazem outros, e nem mesmo como "irmão", mas como Senhor. É assim que devemos chamá-lo quando nos dirigimos a ele.

Estes detalhes podem parecer de pouca importância, mas quando nos acostumamos com as pequenas nuances da Palavra de Deus começamos a compreender melhor o que Deus diz no Salmo: Sl 32:8 "Instruir-te-ei, e ensinar-te-ei o caminho que deves seguir; guiar-te-ei com os meus olhos". Pessoas que desfrutam de intimidade, como pai e filho, marido e mulher, irmãos etc. sabem perceber pequenas nuances como uma mudança no olhar.

Outra forma utilizada erroneamente pela cristandade hoje é dirigir-se ao Espírito Santo em oração ou louvor. Você encontra isso até mesmo em hinos com frases do tipo "Espírito, eu te adoro", ou "Vem, Espírito, vivifica".

Assim como você não encontra os apóstolos se dirigindo ao Senhor como "Rei", você não os encontrará se dirigindo ao Espírito Santo, orando ao Espírito, ou louvando o Espírito Santo. Apesar de ser Deus, na atual dispensação o Espírito Santo está na terra no caráter de um Servo, trabalhando nos bastidores, incógnito, e seu papel é dirigir toda a atenção ao Deus Filho: Jo 16:14 "Ele me glorificará...".

Mais acessadas da semana