As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Adulterei e estou gravida. O que fazer?

Você professa crer no Senhor Jesus como seu Salvador e está aterrorizada pela ideia de perder a salvação por ter caído em adultério. Ao que parece tudo ficou mais complicado por você ter engravidado de um homem que não é o seu marido, como se o pecado ficasse mais grave por este motivo.

Primeiro quero tranquilizá-la dizendo que nem a denominação que frequenta, nem homem algum tem o poder de destinar alguém à perdição eterna. Isso era muito comum ver no catolicismo medieval, como se o Papa tivesse o poder de tirar de alguém a salvação que era obra de Deus.

A vida que o Senhor dá é eterna, isto é, não tem começo e nem fim, e ninguém pode arrebatar uma ovelha da mão do Pai. As religiões que acham que um crente perde a salvação ao cometer algum pecado não fazem ideia de quão horrível é o pecado, qualquer pecado, aos olhos de Deus. Tampouco entendem a graça, que é o favor imerecido de Deus concedido a criaturas tão perdidas e pecadoras que não haveria outro modo de salvá-las além de prover tudo que fosse necessário à sua salvação sem depender de qualquer iniciativa da parte delas.

Portanto, seu problema não é perder a salvação, pois até Pedro cometeu um pecado horrível ao negar o Senhor, e mesmo assim foi perdoado. Seu problema está em sofrer as consequências de seu adultério. Seu filho não tem nada a ver com isso e deve ser amado. Trata-se de uma vida preciosa, e o fato de ter nascido de um adultério não o torna menor aos olhos de Deus. É curioso que sempre que alguém engravida em razão de um ato sexual ilícito, parece que a gravidez - que é uma bênção de Deus - se torna em maldição, como se o ato sexual ilícito sem engravidar fosse menos pecaminoso.

Para você entender como Deus vê em graça o seu filho, ou qualquer criança nascida de um erro dos pais, leia a genealogia de Jesus no evangelho de Mateus. Alguma vez você parou para pensar que o próprio Senhor Jesus em sua Humanidade descende de pelo menos quatro casos de sexo ilícito? Veja abaixo:

Tamar gerou gêmeos depois de se disfarçar de prostituta para poder dormir com o próprio sogro. Seu filho Peres está na genealogia de Jesus. (Gn 38; Mt 1:3)

Raabe era uma prostituta de Jericó e foi mãe de Boaz, também na genealogia. (Js 2; Mt 1:5)

Rute era uma moabita, um povo amaldiçoado por Deus, com quem nenhum israelita devia se casar. Foi mãe de Obede, na genealogia do Senhor. (Rt 4; Mt 1:5)

Bate-Seba, casada com Urias, foi a mulher com quem Davi caiu em pecado. Gerou Salomão. (2 Sm 11; Mt 1:6)

Digo isto não para justificar seu pecado, mas para mostrar que o Senhor entende bem a natureza humana e Ele próprio, em sua humanidade, veio de pessoas que foram fruto de erros graves cometidos por seus pais.

Nos evangelhos o Senhor Jesus perdoou mulheres adúlteras, como aquela que foi pega em flagrante adultério e foi a única que permaneceu na presença dele na sua condição de pecadora, enquanto todos os outros que queriam apedrejá-la fugiram quando suas consciências foram tocadas. Ela, que permaneceu diante do único que poderia apedrejá-la por ser Jesus sem pecado, recebeu dele não pedras, mas o perdão e a admoestação de que não voltasse a pecar.

Então, como alguém poderia dizer que não há perdão para o seu pecado? O perdão está sim disponível, basta você querer. O que encontro na Palavra é:

1Jo 1:8-9 "Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça".

Veja que não diz "se pedirmos perdão de nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados", pois você não encontra nenhum convertido no Novo Testamento pedindo perdão. O perdão já foi assegurado pela obra de Cristo na cruz, e agora está amplamente disponível para todo convertido. O que Deus exige é confissão.

Portanto o primeiro passo é confessar seu pecado a Deus. O segundo passo é confessar à pessoa que foi lesada por seu pecado, no caso o seu marido. Como você está congregada com irmãos que inocentemente continuam tendo comunhão com você sem saber que cometeu adultério, deve confessar a eles também ou aos que forem considerados responsáveis por aquela congregação. A Bíblia é clara ao dizer que eles não devem ter comunhão com quem está em pecado:

1 Co 5:11 "Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais".

Seu pecado só fica mais grave ao escondê-lo de pessoas que confiam que estão em comunhão com alguém que não caiu em adultério. A confissão a Deus, ao seu marido e aos irmãos é uma necessidade segundo a Palavra de Deus.  Tg 5:16 "Confessai as vossas culpas uns aos outros".

Você não terá paz e tranquilidade enquanto não abrir seu coração com as pessoas corretas, no caso DEUS, seu marido e os irmãos com quem tem comunhão.

Sl 32:3-5 "Enquanto eu me calei, envelheceram os meus ossos pelo meu bramido em todo o dia. Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado e a minha maldade não encobri; dizia eu: Confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado".

Como acontece com qualquer erro ou transgressão, a recuperação é dolorosa, mas sempre é o melhor caminho e o caminho da restauração e bênção. Não será algo fácil e tudo pode acontecer: ser execrada pelos irmãos, rechaçada pela família e abandonada pelo marido. Mas de uma coisa pode ter certeza: Deus jamais a deixará. O próprio fato de você estar inquieta com essa situação é sinal de que o Espírito Santo de Deus está agindo em você para levá-la ao arrependimento, confissão e restauração.

Respondi a um email de uma irmã solteira que caiu em pecado com um homem casado. Você pode encontrar a resposta aqui:
http://www.respondi.com.br/2009/01/existe-perdao-para-o-meu-pecado.html

Para uma irmã, que descobriu que o marido tinha um caso com outro homem, eu respondi no link abaixo (neste caso descrevo o que fazer em relação aos irmãos com os quais ela e o marido mantinham comunhão):
http://www.respondi.com.br/2009/01/o-que-fazer-se-meu-marido-e-homossexual.html

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana

Loading...