As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Jesus foi inferior aos anjos?



https://youtu.be/i7RHp1Aq6cA

A versão da Bíblia que você utilizou deixa dúvidas por causa da redação em Hebreus 2:9: "Jesus, a quem Deus fez pouco inferior aos anjos". Essa versão não explica direito o que seja esse "um pouco", portanto sugiro que compare a passagem com outras versões.

Algumas traduções trazem "por um pouco menor que os anjos", o que significa por um período de tempo, enquanto outras estão como esta que você indicou.

(ACF) Vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos.

(ARA) vemos, todavia, aquele que, por um pouco, tendo sido feito menor que os anjos, Jesus, por causa do sofrimento da morte, foi coroado de glória e de honra, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todo homem.

(Ave Maria) Mas aquele que fora colocado por pouco tempo abaixo dos anjos, Jesus, nós o vemos, por sua Paixão e morte, coroado de glória e de honra. Assim, pela graça de Deus, a sua morte aproveita a todos os homens.

(NTLH) Mas nós vemos Jesus fazendo isso. Por um pouco de tempo ele foi colocado em posição inferior à dos anjos, para que, pela graça de Deus, ele morresse por todas as pessoas. Agora nós o vemos coroado de glória e de honra por causa da morte que ele sofreu.

(NVI) Vemos, todavia, aquele que por um pouco foi feito menor do que os anjos, Jesus, coroado de honra e glória por ter sofrido a morte, para que, pela graça de Deus, em favor de todos, experimentasse a morte.

(PJFA) vemos, porém, aquele que foi feito um pouco menor que os anjos, Jesus, coroado de glória e honra, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos.

(VIVA) mas vemos, sim, a Jesus - que por um momento esteve mais baixo do que os anjos - coroado agora por Deus, com glória e honra, porque ele sofreu a morte por nós. Ora, devido á grande bondade de Deus, Jesus provou a morte por todos no mundo inteiro.

(Darby) mas vemos, coroado com glória e honr,a Jesus, que foi feito um pouco inferior aos anjos em razão do sofrimento da morte; para que, pela graça de Deus, pudesse experimentar a morte por todas as coisas.

Seja qual for a versão mais correta, podemos tanto entender que por um pouco de tempo (33 anos) Jesus foi feito menor que os anjos, como também que esse "um pouco" significa sua condição em relação aos anjos, que são mais poderosos, mais rápidos, mais inteligentes etc. do que os seres humanos (que é o assunto dos versículos anteriores).

Qualquer que seja a versão, podemos entender que Jesus, ao assumir a forma humana, ficou em uma condição temporária de inferioridade se comparado aos anjos. Obviamente isso diz respeito apenas à sua condição material e corpórea, considerando-se os limites impostos pela matéria e também pelo tempo e espaço, já que em nenhum momento Ele deixou de ser Deus, onipotente, onisciente, onipresente etc.

Isso nós podemos ver muito bem nos lampejos de Sua divindade que "escapam" ao longo de sua breve vida neste mundo. Basta ver as situações como no controle sobre os elementos da natureza (os ventos e as ondas), na manipulação da matéria ao curar doenças e multiplicar pães e peixes, na superação das condições de espaço-tempo, como quando desapareceu diante dos fariseus ou se transfigurou ao lado de Moisés e Elias etc.

Ele precisou ser, por assim dizer, "diminuído" à condição humana por um breve período de tempo para também ficar sujeito à morte, ou melhor dizendo, para que pudesse morrer. Mesmo assim é bom lembrar que, embora Ele pudesse morrer de livre e espontânea vontade, a morte não tinha poder sobre Ele, por ser sem pecado (e foi pelo pecado que o ser humano ficou sujeito à morte).

Mesmo quando consideramos Sua morte, é importante lembrar que Jesus não foi morto por homem algum ou por qualquer espécie de exaustão ou sofrimento que tenha sofrido na cruz. Ele usou de uma capacidade que homem algum possui, que é a de entregar a vida, isto é, aplicar o verbo morrer a si próprio quando assim desejou. Embora os homens que o crucificaram sejam responsáveis e culpados por desejarem sua morte, nada o matou; foi Jesus que morreu espontaneamente quando desejou fazê-lo.

Aconselho você a sempre comparar diferentes versões e traduções da Bíblia sempre que encontrar uma passagem um pouco obscura. Às vezes a mera deterioração de um termo em nosso idioma pode levar a um entendimento equivocado da passagem, como ocorre com a palavra "igreja", um termo que no original significava uma reunião de pessoas, mas deteriorou-se ao ponto de hoje ser usado para edifícios de tijolos.

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana