As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Para ser salvo preciso dar tudo aos pobres?



https://youtu.be/KHNCpMqMDWk

Depois de entender que o Reino de Deus e a vida eterna são coisas distintas, você ficou em dúvida na passagem de Marcos 10:17, onde o jovem rico pergunta sobre vida eterna e Jesus, depois de responder ao jovem que prefere não segui-lo, comenta como é difícil um rico entrar no Reino de Deus.

Mar 10:17 E, pondo-se Jesus a caminho, correu um homem ao seu encontro e, ajoelhando-se, perguntou-lhe: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom senão um, que é Deus. Sabes os mandamentos: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, não defraudarás ninguém, honra a teu pai e tua mãe. Então, ele respondeu: Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude. E Jesus, fitando-o, o amou e disse: Só uma coisa te falta: Vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu; então, vem e segue-me. Ele, porém, contrariado com esta palavra, retirou-se triste, porque era dono de muitas propriedades. Então, Jesus, olhando ao redor, disse aos seus discípulos: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas!

Quando o jovem pergunta a Jesus o que precisa fazer para receber a vida eterna, é importante entender que ele não está falando da mesma vida eterna que hoje o crente em Cristo possui. As esperanças de um judeu estavam conectadas à vida neste mundo e era o que a Lei prometia. Se um judeu guardasse a lei ele teria saúde, prosperidade e vida longa, além de contar com o favor de Deus no fim de seus dias aqui.

Portanto, a noção de "vida eterna" para um judeu era diferente da que é ensinada para o cristão. As promessas de vida no Antigo Testamento tinham o significado de uma vida que não termina, mas não é o mesmo que temos em Cristo: a própria vida que vem de Deus, que não tem começo e nem fim. A perspectiva de vida eterna para um judeu era viver para sempre no reino terrenal de Cristo, comendo e bebendo com fartura, para o que ele deveria guardar a lei.

Lev_18:5 Portanto, os meus estatutos e os meus juízos guardareis; os quais, observando-os o homem, viverá por eles.

Slm 22:25-31 O meu louvor será de ti na grande congregação; pagarei os meus votos perante os que o temem. Os mansos comerão e se fartarão; louvarão ao SENHOR os que o buscam; o vosso coração viverá eternamente. Todos os limites da terra se lembrarão, e se converterão ao SENHOR; e todas as famílias das nações adorarão perante a tua face. Porque o reino é do SENHOR, e ele domina entre as nações.... Uma semente [descendência] o servirá; será declarada ao Senhor a cada geração. Chegarão e anunciarão a sua justiça ao povo que nascer, porquanto ele o fez.

Quando vamos à doutrina que é dada à igreja, vemos uma noção totalmente diferente de vida, que não tem nada a ver com a vida na terra. A vida eterna está em Cristo, não em algo que façamos em obediência a Deus, e não tem nada a ver com vida perene aqui como era prometido aos israelitas. Para o cristão a vida eterna é agora uma possessão, porém no sentido de uma esperança ou certeza, mas é na ressurreição que efetivamente deverá desfrutar dessa vida.

Joã 17:1-3 Tendo Jesus falado estas coisas, levantou os olhos ao céu e disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que o Filho te glorifique a ti, assim como lhe conferiste autoridade sobre toda a carne, a fim de que ele conceda a vida eterna a todos os que lhe deste. E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.

1Jo 5:11-13, 20 E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida. Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus. Também sabemos que o Filho de Deus é vindo e nos tem dado entendimento para reconhecermos o verdadeiro; e estamos no verdadeiro, em seu Filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.

Ainda que a promessa dada aos judeus fosse de que aqueles que guardassem a Lei viveriam, é importante entender que ninguém era capaz de guardar a Lei, porque ela tinha sido dada para que o pecado tomasse vulto aos olhos dos homens e de Deus. A Lei é a placa de contra-mão; ela não coloca você na direção certa, apenas aponta que você está na direção errada e será multado por isso. O que Jesus faz aqui é testar o coração desse homem, que achava estar cumprindo a Lei. Da lista de mandamentos que o Senhor menciona o jovem diz ter cumprido todos.

Mar 10:19-20 Tu sabes os mandamentos: Não adulterarás; não matarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; não defraudarás alguém; honra a teu pai e a tua mãe. Ele, porém, respondendo, lhe disse: Mestre, tudo isso guardei desde a minha mocidade.

Destes mandamentos, cinco são negativos ("Não farás isso e aquilo...") e um é positivo ("Honra a teu pai e a tua mãe"). Então o Senhor coloca outro mandamento positivo, um que exigia ação do jovem e que, segundo aprendemos de outras passagens, resumia todos os mandamentos da Lei:

"E um deles, doutor da lei, interrogou-o para o experimentar, dizendo: Mestre, qual é o grande mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas". Mateus 22:35-40

Como saber se aquele jovem rico amava realmente o próximo como a si mesmo? Provando-o para ver se ele seria capaz de abrir mão exatamente daquilo que era mais importante para ele (e Jesus sabia o que era, pois conhece bem nosso coração).

Mar 10:21-23 E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Falta-te uma coisa: vai, vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, toma a cruz, e segue-me. Mas ele, pesaroso desta palavra, retirou-se triste; porque possuía muitas propriedades. Então Jesus, olhando em redor, disse aos seus discípulos: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas!

Jesus não estava com isso mostrando que a salvação só se obtém abrindo mão de todas as posses terrenas, mas sim que é impossível que alguém cumpra todos os mandamentos e preceitos da Lei de Deus. Apenas quando alguém reconhece isso é que irá crer em Jesus, ciente de que em si mesmo não encontra justiça necessária para ser justificado por Deus. A salvação é pela fé, e não pelo que fazemos ou deixamos de fazer. Mas se alguém ama mais a sua vida ou os seus bens do que a Deus, certamente o Senhor irá trabalhar nesse coração, pois qualquer coisa que coloquemos acima de Deus é idolatria.

por Mario Persona


Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana