As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Uns vao ao Pai e outros ao Filho?

Mp3 http://files.3minutos.net/Respondi/respondi-0005.mp3



Sua dúvida vem da passagem em João 6:37 onde Jesus diz que "todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora". Será que algumas pessoas vão a Deus Pai para serem salvas e outras vão ao Filho de Deus? Na verdade, nem uma coisa, nem outra, porque homem nenhum vai a Deus. E como poderia, se em Rm 3:11 a afirmação categórica é que "Não há ninguém que busque a Deus"?

Portanto o que vemos neste versículo é como as coisas funcionam nos bastidores, apesar de alguns ainda acharem que se aproximaram de Deus de moto próprio, ou foram a Jesus impelidos por sua própria vontade. A eleição é clara e cristalina nesta passagem, e a segurança eterna também.

Alguém poderia dizer que a primeira parte -- "todo o que o Pai me dá" -- esteja falando de eleição, mas "virá a mim" esteja falando da responsabilidade humana, mas não vejo assim. Certamente Deus escolhe os que são salvos, e certamente o homem tem a responsabilidade de crer, mas esta passagem esta falando de algo muito mais profundo nos desígnios de Deus, e aí certamente não sobra nada para o homem.

Portanto entenda a passagem toda como um processo em sequência: o Pai dá a Jesus e esse que o Pai deu vai a Jesus. O Senhor Jesus nada fazia em independência do Pai, portanto só é possível ir a ele se o Pai tiver lhe dado.

"Porque eu desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia. Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: Que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia" (Jo 6:38-40).

Se algum dia você achou que teve uma "grande sacada", descobriu-se pecador e, de sua própria e espontânea vontade, achou que era a hora de crer em Jesus, sinto desapontá-lo mas nada disso partiu de você. Se tivesse partido você teria de que se gloriar e poderia até considerar-se um pouquinho melhor do que aqueles que nunca tiveram essa sua "grande sacada" de ir a Jesus.

"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie" (Ef 2:8-9).

Voltando ao nosso versículo, ""todo o que o Pai me dá" nos fala da eleição de Deus. Se eu e você fomos salvos pela fé em Jesus isto só aconteceu porque o Pai nos deu ao Filho porque ele quis e porque nós estávamos entre os que ele "elegeu nele [em Cristo] antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, Para louvor e glória da sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado" (Ef 1:4-6).

Foi só por isso que pudemos ir ao Filho -- "todo o que o Pai me dá virá a mim" -- não porque tivemos este desejo de nós mesmos, mas porque fomos dados pelo Pai, como se fôssemos um presente de Pai para Filho. O Filho alegremente recebe esses que o Pai lhe dá e nenhum deles se perde. "E o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora".

Portanto se um dia você foi a Jesus pode ter certeza de que não foi de moto próprio. Você foi dado a ele por Deus Pai e não tinha como escapar desse processo. Embora possamos não ver e nem entender isso, é assim que acontece nessa relação perfeita entre Pai e Filho.

Alguns irão contestar dizendo que não é justo o Pai ter dado só alguns e outros não, mas não devemos nos esquecer de que TODOS estavam igualmente perdidos. Deus não colocou ninguém na perdição, foi o homem que escolheu isso e se dependesse de nós ninguém iria querer sair desse estado. Espero que neste ponto não tenha alguém que também venha a reclamar dizendo: "É injusto o Pai ter me dado ao Filho sem me consultar. Eu não queria ser salvo!".

Certamente para aquele que em sua natureza tem aversão a Deus e jamais teria escolhido essa opção, o céu seria um inferno. Mas Deus quer salvar, e tal qual o homem da parábola da grande ceia, "obriga", por meio do seu Servo, o Espírito Santo, todos a entrarem. Mas no momento em que alguém vai ao Filho é porque Deus já "injetou" vida nessa pessoa (esse é o "novo nascimento") através da água da Palavra e do Espírito e essa pessoa não tem mais escapatória. Ela irá desesperadamente querer ir a Jesus, e só quem já passou por isso entende.

Então vem a parte bendita das palavras de Jesus, contra a qual muitos lutam por não gostarem da ideia de que não têm parte em sua própria salvação ou na manutenção dela por boas obras, perseverança etc.

"...e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora... E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia. Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: Que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia" (Jo 6:38-40).

Será que depois de uma afirmação tão clara e inequívoca quanto esta você teria a audácia de dizer que sua salvação dependeu de você? E que a manutenção de sua salvação depende de sua fidelidade, perseverança etc.? Ou que, depois de ter sido salvo, ainda exista a possibilidade de você escapar por entre os dedos de Deus e se perder?

"Mas vós não credes porque não sois das minhas ovelhas, como já vo-lo tenho dito. As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai. Eu e o Pai somos um". (Jo 10:26-30).


por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana