As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Basta confessar a Deus para tudo ficar bem?



https://youtu.be/Bo6NiwClo_g

Você perguntou se Davi obteve o perdão de seu pecado quando confessou a Deus. Sim, certamente Davi recebeu de Deus o perdão de seu pecado, mas isso não significa que tenha escapado das consequências do que fez ainda nesta vida. Devemos nos lembrar de que a confissão é necessária, mas não garante que iremos escapar da mão de Deus que disciplina aquele a quem ama. O caso de Davi é emblemático, pois revela quanta ruína seu pecado trouxe à sua vida e à de sua família. Veja a seguir quantas consequências ruins seu pecado trouxe.

Primeiro ele perdeu sua comunhão com Deus, ficou com o coração endurecido e sua consciência anestesiada, o que é demonstrado pelo modo como julga o homem rico da parábola contada pelo profeta Natã. Uma pessoa em pecado se transforma em um juiz severo contra os pecados dos outros como forma de encobrir os seus.

"E o Senhor enviou Natã a Davi; e, apresentando-se ele a Davi, disse-lhe: Havia numa cidade dois homens, um rico e outro pobre. O rico possuía muitíssimas ovelhas e vacas. Mas o pobre não tinha coisa nenhuma, senão uma pequena cordeira que comprara e criara; e ela tinha crescido com ele e com seus filhos; do seu bocado comia, e do seu copo bebia, e dormia em seu regaço, e a tinha como filha. E, vindo um viajante ao homem rico, deixou este de tomar das suas ovelhas e das suas vacas para assar para o viajante que viera a ele; e tomou a cordeira do homem pobre, e a preparou para o homem que viera a ele. Então o furor de Davi se acendeu em grande maneira contra aquele homem, e disse a Natã: Vive o Senhor, que digno de morte é o homem que fez isso. E pela cordeira tornará a dar o quadruplicado, porque fez tal coisa, e porque não se compadeceu." (2 Sm 12:1-6)

Davi estava tão cego e insensível por seu pecado e falta de comunhão com Deus que nem percebeu que aquela era sua própria história. Foi preciso o profeta declarar isso e ainda profetizar que a espada nunca se apartaria de seu reino, o que mais tarde sabemos seria a razão de Deus não ter escolhido a Davi, mas a seu filho Salomão, para construir o Templo. Em 1 Crônicas 28:3 é o próprio Davi quem diz: "Deus me disse: Não edificarás casa ao meu nome, porque és homem de guerra, e derramaste muito sangue.". Mas vamos ver como Natã aqui finaliza sua parábola:

"Então disse Natã a Davi: Tu és este homem. Assim diz o Senhor Deus de Israel: Eu te ungi rei sobre Israel, e eu te livrei das mãos de Saul; E te dei a casa de teu senhor, e as mulheres de teu senhor em teu seio, e também te dei a casa de Israel e de Judá, e, se isto é pouco, mais te acrescentaria tais e tais coisas. Porque, pois, desprezaste a palavra do SENHOR, fazendo o mal diante de seus olhos? A Urias, o heteu, feriste à espada, e a sua mulher tomaste por tua mulher; e a ele mataste com a espada dos filhos de Amom. Agora, pois, não se apartará a espada jamais da tua casa, porquanto me desprezaste, e tomaste a mulher de Urias, o heteu, para ser tua mulher." (2 Samuel 12:7-9)

Uma pessoa em pecado também poderá cometer outros e mais outros, muitas vezes até mais graves do que o primeiro, na tentativa de encobrir o que fez. É como a mentira, que quando contada, precisará de outras mentiras para encobrir a primeira. Ouvi alguém dizer que, em um interrogatório, depois de ouvir a sequência dos fatos o policial pode pedir para o suspeito relatar os fatos de trás para frente. Fazer isso sem cair em contradição é difícil se tudo não passar de uma série de mentiras. Por isso, ao pecar, o primeiro passo deve ser sempre reconhecer e confessar, e não tentar encobrir o pecado. Como diz um ditado, "se estiver no fundo do poço, não cave".

Na continuação das consequências do pecado de Davi vemos o profeta Natã declarar que aquilo que Davi tentou, de todas as formas, manter oculto seria manifestado publicamente e com juízos severos caindo sobre Davi e sua família. "Eis que suscitarei da tua própria casa o mal sobre ti, e tomarei tuas mulheres perante os teus olhos, e as darei a teu próximo, o qual se deitará com tuas mulheres perante este sol. Porque tu o fizeste em oculto, mas eu farei este negócio perante todo o Israel e perante o sol" (2 Samuel 12:11-12). Lembre-se de que seu pecado em oculto poderá se transformar em espetáculo público.

Na sequência de eventos ou juízos de Deus que vieram sobre Davi em razão de seu pecado vemos a morte de seu filho (2 Sm 12:15-18). Um caso de incesto e estupro em sua própria família (2 Sm 13:1-19) levou à perda de outro filho de Davi (2 Sm 13:20-29) e a consequente fuga do filho feito homicida por este ato (2 Sm 13:30-39) e também incendiário (2 Sm 14:28-23), além de traidor, inimigo de Davi e usurpador do reino (2 Sm 15:1-3).

Davi se vê obrigado a fugir do próprio filho (2 Sm 15:14) e é apedrejado e amaldiçoado por seus próprios súditos (2 Sm 16:5-8). Cumprindo a palavra dada por intermédio do profeta Natã, seu filho Absalão manda armar uma tenda em lugar público para possuir as mulheres de Davi, seu pai (2 Sm 16:20-22). Davi é então obrigado a fazer algo que nenhum pai gostaria de fazer: guerrear contra seu próprio filho (2 Sm 18:1-8) e mais tarde chorar sua morte (2 Sm 14:11).

Como pode ver, o pecado traz consequências ainda nesta vida até para um escolhido por Deus, como foi Davi. Mas como Davi chegou a tanto? Deixando de cumprir com suas obrigações de Rei e marido, e dando lugar à indolência e ao voyeurismo, que é a curiosidade de olhar pessoas nuas ou no ato sexual. Em 2 Samuel 11:1-2 diz que "no tempo em que os reis saem à guerra, enviou Davi a Joabe... e aconteceu que numa tarde Davi se levantou do seu leito, e andava passeando no terraço da casa real, e viu do terraço a uma mulher que se estava lavando; e era esta mulher mui formosa à vista."

Já ouviu o ditado que diz "mente vazia, oficina do diabo"? É mais ou menos o que acontece aqui. Afinal, o que Davi estava fazendo em casa "no tempo em que os reis saem à guerra"? Por que ele teria dormido tanto para "numa tarde" se levantar de seu leito? Tudo isso serviu de preâmbulo para o ato que viria a cometer.

O pecado que começa com a concupiscência ou desejo extremo por algo, logo leva você a agir, como aconteceu com Davi. Aquilo que se passava apenas na esfera dos olhos e o pensamento acaba se transformando em palavras e atos. "E mandou Davi indagar quem era aquela mulher; e disseram: Porventura não é esta Bate-Seba, filha de Eliã, mulher de Urias, o heteu?" (2 Sm 11:2). Neste ponto Davi poderia ter dito "Oops!" e voltado aos seus afazeres.

Mas não. Ele manda buscar a mulher e se deita com ela em seu palácio. Sendo rei, nenhuma mulher se recusaria a uma ordem real, pois uma recusa poderia trazer consequências graves para ela e seu marido. Mas aquilo que Davi achou que passaria despercebido logo se manifesta na gravidez de Bate-Seba e ele se vê no fundo do poço tentado a continuar cavando. E é o que faz, mandando buscar, Urias, o marido traído que estava no campo de batalha para que ele pudesse ficar uns dias em sua própria casa, dormir com a esposa e depois achar que o filho era seu. Davi ainda envia um presente a Urias.

Mas Urias, ao contrário de Davi, sabia que seu dever como soldado estava no campo de batalha, por isso se recusa a dormir em casa, mas dorme à porta da casa do rei. Quando fica sabendo, Davi pergunta: "Não vens tu duma jornada? Por que não desceste à tua casa? E disse Urias a Davi: A arca, e Israel, e Judá ficaram em tendas; e Joabe, meu senhor, e os servos de meu senhor estão acampados no campo; e hei de eu entrar na minha casa, para comer e beber, e para me deitar com minha mulher? Pela tua vida, e pela vida da tua alma, não farei tal coisa." (2 Sm 11:6-11)

Na continuação do mesmo capítulo, aquilo que começou com indolência do rei, passou ao voyeurismo e se transformou em adultério, acaba em homicídio, quando Davi dá ordens para que Urias seja abandonado na frente de batalha para ser morto pelo inimigo. Davi ainda combina um teatrinho com seus assessores para quando viessem dar notícias do campo de batalha. A questão é que, se homens podem ser enganados por dissimulações, nada escapa aos olhos de Deus.

Daquele episódio saíram Urias, com um testemunho de fidelidade que certamente brilhou como o sol aos olhos de Deus, e Davi, sendo atacado de todos os lados o resto de sua vida pelas consequências de seu pecado. Apesar de sabermos que Davi foi perdoado e hoje goza da presença de Deus, é sempre bom lembrar: "Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará." (Gl 6:7).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana