As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Voce nao cre na cura divina?



https://youtu.be/u_8Df_SfLOc

A passagem que mencionou em Marcos 16 faz parte da comissão que o Senhor deu aos apóstolos, e aqueles sinais efetivamente acompanharam seu ministério, como pode ser encontrado em Atos (apenas não temos registro do beber veneno).

Ainda hoje Deus é capaz de curar, caso contrário eu não oraria por um filho doente. A questão é que as curas e sinais do início da Igreja tinham um objetivo muito claro, que era de comprovar que Deus estava começando algo novo e os sinais eram uma espécie de selo e comprovação. Mas quem já crê e é salvo não precisa de comprovação, portanto a cura passa a ser uma misericórdia de Deus se Ele achar que a pessoa deve ser curada. Não é uma regra, como acontecia quando o Senhor curava através dos apóstolos e eram TODOS curados.

Ats 5:16 "E até das cidades circunvizinhas concorria muita gente a Jerusalém, conduzindo enfermos e atormentados de espíritos imundos, os quais todos eram curados".

Todos signfica todos, ou seja, de unha encravada a cegueira de nascença ninguém voltava para casa dizendo que com ele não funcionou. TODOS eram curados. Obviamente você não vê isso hoje e nem é para ver, porque até entre os próprios discípulos havia doentes que os apóstolos não curaram provavelmente porque tais curas não serviriam como um sinal para os incrédulos. É o caso de Trófimo, que Paulo deixou doente em Mileto (2 Tm 4:20).

Deus fazia os milagres tendo em vista o povo judeu em sua incredulidade. Não sou eu quem diz isso, mas a Palavra de Deus:

"Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria" 1 Coríntios 1:22
"De sorte que as línguas são um sinal, não para os fiéis, mas para os infiéis; e a profecia não é sinal para os infiéis, mas para os fiéis". 1 Coríntios 14:22

Até mesmo o apóstolo Paulo tinha uma enfermidade, que chamava de espinho na carne, deixou "Trófimo doente em Mileto" (2 Timóteo 4:20) e sugeriu a Timóteo: "Não bebas mais água só, mas usa de um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas freqüentes enfermidades". (1 Timóteo 5:23)

Por que Paulo não curou Trófimo ao invés de deixá-lo doente, ou Timóteo, a quem preferiu receitar um remédio caseiro? Porque curá-los não estava nos planos de Deus provavelmente por não trazer qualquer conseqüência favorável à obra de Deus. Ou também porque curá-los poderia impedi-los de aprender alguma lição que Deus estava tentando lhes ensinar.

Você diz que foi "a diversas "igrejas" as quais não acreditam na cura, que o Senhor Jesus não nos cura hoje, então me senti um peixe fora d'agua". Será que quis dizer que em determinadas igrejas Deus cura e em outras não? Você vê curas acontecendo em igrejas na Bíblia ou vê esses sinais acontecendo para os incrédulos quando os apóstolos pregavam? Hoje existe uma tendência em associar curas e milagres a esta ou aquela denominação, ou a este ou aquele pregador, mas isso não tem fundamento bíblico.

Não sei porque alguns crentes em Cristo têm essa fixação em curas e sinais. Acaso Cristo não é suficiente para eles? Lembre-se de que o Senhor não confiava naqueles que o seguiam porque tinham visto sinais. E a Tomé ele disse que mais bem aventurados seriam aqueles que creriam sem ver.

Jo 2:23-24 "E, estando ele em Jerusalém pela Páscoa, durante a festa, muitos, vendo os sinais que fazia, creram no seu nome. Mas o mesmo Jesus não confiava neles, porque a todos conhecia".

Jo 20:29 "Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram!"

Essa fixação que muitos cristãos têm por curas só levam à decepção pois, afinal, se Cristo não vier no tempo de nossa vida aqui, todos nós morreremos. Exceto os que morrerão por acidentes ou incidentes criminosos, todos os outros cristãos morrerão doentes, porque a doença é consequência do pecado que arruinou nosso corpo. Até mesmo aquele que morre com mais de cem anos morre porque algum órgão deixou de funcionar direito, ou seja, uma enfermidade.

Quando você escreve que "a palavra salvação quer dizer, além de vida eterna, tambem cura e perdão", será que está achando que vai viver eternamente nesse corpo que só fica cada vez pior com os efeitos daninhos do pecado? A salvação envolve o perdão de pecados, a justificação e a ressurreição, não da velha carne, mas do corpo em sua forma incorruptível. Aí sim teremos saúde eterna por estarmos em um corpo incorruptível, mas enquanto ainda estamos em nosso velho corpo de carne, não espere grandes coisas ou você vai viver sempre uma vida de decepção e miséria.

Se ficar doente, ore. Se for da vontade de Deus ele irá curá-la. Se isso não acontecer, louve a Deus do mesmo modo, porque Ele certamente tem um propósito naquela enfermidade, para você e para quem estiver por perto. A diferença entre um pagão idólatra e um cristão verdadeiramente nascido de novo é que o primeiro só acredita que Deus está ao seu lado quando tudo vai bem. O verdadeiro crente, porém, se regozija também na falta de saúde, dinheiro, prosperidade, liberdade etc.

Fp 4:12-13 "Sei estar abatido e sei também ter abundância; em toda a maneira e em todas as coisas, estou instruído, tanto a ter fartura como a ter fome, tanto a ter abundância como a padecer necessidade. Posso todas as coisas naquele que me fortalece".

Apesar de alguns usarem esse "posso todas as coisas" no sentido de o cristão ser uma espécie de todo-poderoso, eu creio que Paulo fala do contexto, que é estar fortalecido em Cristo para enfrentar o que quer que lhe aconteça. O exemplo de Habacuque é ótimo também: ele se alegra e exulta independente das condições materiais.

Hc 3:17-19 "Porquanto, ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas, todavia, eu me alegrarei no SENHOR, exultarei no Deus da minha salvação. JEOVÁ, o Senhor, é minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas".

É também por isso que o evangelho é considerado uma loucura pelos que perecem, porque apenas um louco cantaria louvores com os pés nos troncos em uma masmorra, como fizeram Paulo e Silas na prisão. Lembre-se de que quando eles faziam isso ainda não sabiam que iam ser libertos.

At 16:23-25 "E, havendo-lhes dado muitos açoites, os lançaram na prisão, mandando ao carcereiro que os guardasse com segurança, o qual, tendo recebido tal ordem, os lançou no cárcere interior e lhes segurou os pés no tronco. Perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam".

Para que não tenha ilusões quanto aos serviços prestados a um preso do primeiro século, antes de existirem direitos humanos, aqui vai uma idéia:



E aqui a foto de como fica uma pessoa (neste caso um escravo) que foi açoitada, e lembre-se de que Paulo diz que sofru açoites "muitas vezes":



Se as pessoas que enchem as igrejas desses pregadores de saúde física e financeira soubessem que crer em Cristo inclui a possibilidade de passar o resto da vida preso, pobre e doente, uma situação que não raro muitos cristãos verdadeiros experimentam, certamente elas não se animariam nem um pouco a crer em Cristo.

Lembre-se: quanto mais você esperar por curas e sinais, como se Deus tivesse obrigação de lhe dar uma vida tranquila aqui, mais irá se decepcionar quando isso não acontecer. Olhe para Cristo. Acaso ele teve uma vida fácil e livre de sofrimentos neste mundo? E os apóstolos? E os cristãos perseguidos e martirizados ao longo de 2 mil anos de história da Igreja? Então não espere grandes coisas, porque somos estrangeiros, não apenas numa terra estranha, mas em um corpo completamente arruinado pelo pecado.

Mais feliz é o cristão pobre e preso a uma cama e que verdadeiramente conhece o Senhor, do que o incrédulo rico e saudável vivendo segundo os seus próprios pensamentos e concupiscências. A diferença entre o incrédulo e o cristão não está no resultado dos exames médicos ou na conta bancária, mas no sangue que lhe deu acesso aos lugares celestiais em Cristo Jesus. Quem tem isso pode querer mais o quê?

Efs 1:3-7 "Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo, como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em caridade, e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, para louvor e glória da sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado. Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça".

Será que precisamos mais, ou nos contentamos com isso?

Sugiro a leitura de:
"Os dons do Espírito Santo"


"Línguas e outros dons de sinais"

"Existem milagres?"

"Já não fomos curados pelas chagas de Jesus?"


(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana