As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

A ideia do arrebatamento e' demoniaca em sua origem?



https://youtu.be/8YkgG7iAt9s

O argumento de que o arrebatamento da igreja antes da tribulação seria uma ideia emprestada por John Nelson Darby de uma adolescente possessa não tem qualquer fundamento. Não é preciso ser muito inteligente para deduzir que Darby e outros autores do século 19 não escapariam ilesos das críticas do clero, por terem voltado as costas ao sistema clerical e passado a congregar somente em nome do Senhor Jesus. Além disso, outros autores antes de Darby já tinham falado do arrebatamento.

Os críticos alegam que a adolescente Margaret McDonald (ou MacDonald) foi a fonte dos ensinamentos sobre o arrebatamento. A questão é que Darby já tinha publicado algo sobre o arrebatamento 3 anos antes dessa jovem começar a ter suas manifestações demoníacas (ou "carismáticas" como alguns, como Edward Irving and Henry Drummond, preferiram chamar). Veja este trecho que traduzi da biografia de Margaret McDonald da Wikipedia em inglês:

"Tem havido algumas tentativas de se encontrar uma "fonte" para o conceito do arrebatamento descrito por Darby. Essas tentativas insistem que os conceitos de Darby originaram de uma fonte "falsa", isto é, demoníaca. Samuel Tragelles alegava que o conceito de John Nelson Darby acerca do arrebatamento foi obtido a partir de algumas das manifestações carismáticas na igreja de Edward Irving. Considerando que Tregelles afirmava que aquelas manifestações "fingiam ser de Deus", ele deduzia que a ideia do arrebatamento defendida por Darby tinha origem demoníaca.

"Dave MacPherson baseou-se na acusação de Tregelles e afirmou que a fonte do arrebatamento defendido por Darby eram as manifestações de Margaret MacDonald. Todavia os estudiosos encontram sérios obstáculos a isso, provando serem essas acusações improcedentes. É sabido que Darby considerou as manifestações carismáticas de 1830 como demoníacas, e não como vindas de Deus. Darby não teria emprestado uma ideia de uma fonte que ele claramente considerava demoníaca. Além disso, Darby já tinha escrito suas opiniões sobre o arrebatamento pré-tribulacionista em janeiro de 1827, 3 anos antes dos eventos de 1830 e das manifestações de Margaret MacDonald.

Quando as manifestações publicadas de Margaret MacDonald são lidas atentamente, é possível ver que suas declarações são pós-tribulacionistas ("a terrível tribulação que irá nos provar" e "para limpar e purificar os verdadeiros membros do corpo de Jesus"). Por estas e outras razões os estudiosos consideram improcedente as alegações de MacPherson sobre o dispensacionalismo." http://en.wikipedia.org/wiki/Margaret_McDonald_%28visionary%29

O que ocorre é que Darby sofreu ataques violentos do clero, porque no século 19 o movimento dos irmãos reunidos em nome do Senhor foi muito grande e havia assembleias espalhadas pela Inglaterra e em toda a Europa. Houve até implicações políticas decorrente disso, pois muitos da classe nobre e até mesmo membros do clero abandonaram suas denominações para congregar na simplicidade ensinada pela Palavra. Quando membros do clero abandonam o clero, isso coloca uma nuvem de desconfiança sobre os que ficam. E quando membros da nobreza deixam de dar seus dízimos, então o clero se vê na obrigação de convocar a cavalaria para contra-atacar. Simples assim.

Escrevi algo aqui (sobre Darby não ter sido o primeiro a falar do arrebatamento):
http://www.respondi.com.br/2009/03/o-primeiro-falar-do-arrebatamento-foi.html

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana