As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Voce faz parte da "igreja nas casas"?



https://youtu.be/d3sVnMmF-SY

Não tenho nenhuma ligação com esse movimento de "igreja nas casas" ou outros movimentos atuais como "igreja em células", "comunidades" etc. Eu e os irmãos com os quais estou em comunhão simplesmente nos congregamos, sem nos importarmos muito com o lugar físico onde isso é feito - casa, apartamento, garagem, escritório etc. A questão não é o lugar, mas o terreno ou fundamento de reunião.

Em cada lugar e país os irmãos simplesmente procuram o local que seja mais adequado a isso. No Nepal os irmãos são obrigados a cruzar a fronteira com a Índia para se reunirem, já que no Nepal qualquer reunião cristã é proibida.

No Egito é proibido cristãos congregarem, a não ser em algum local que já existia antes da proibição. Por isso as reuniões regulares no Cairo costumavam ser feitas numa sala alugada no porão de uma antiga igreja Católica Copta, mas o sacerdote andou criando empecilhos. Aí os irmãos decidiram alugar uma sala em uma antiga igreja Batista, que existia antes da proibição para poderem fazer as reuniões.Eles também fazem reuniões anuais em um complexo hoteleiro para turistas estrangeiros na outra margem do Mar Vermelho, onde é uma espécie de "zona franca" para os estrangeiros também poderem professar sua religião.

Portanto o que importa não é lugar físico, mas o princípio sobre o qual nos reunimos, que é o de que há um só corpo e que nesse corpo não pode haver independência. Reconhecemos que TODOS os salvos por Jesus são a igreja, que o Senhor tem um testemunho no mundo, e que Ele está onde dois ou três estão congregados ao Seu nome (e não em nome de uma organização ou líder religioso).

A diferença das "reuniões nas casas" ou "igreja nas casas", que é um conceito que se popularizou até entre cristãos denominacionais católicos e protestantes, é que essas reuniões são independentes entre si, enquanto uma assembleia nunca deve ser independente das outras reunidas em nome do Senhor. Se eu sair daqui e visitar a África, vou encontrar lá irmãos congregados em nome do Senhor dentro dos mesmos princípios praticados pelos irmãos daqui. Uma decisão que é tomada lá por aqueles irmãos em nome do Senhor será reconhecida e honrada em todas as assembleias reunidas em nome do Senhor em todo o mundo.

Você perguntou sobre Frank Viola, mas penso que ele simplesmente usou algumas ideias tiradas de princípios que já eram praticados há pelo menos duzentos anos e podem ser encontrados na literatura dos irmãos daquela época, produzida por irmãos como Darby, Mackintosh, Kelly, Dennett, Bellett, Trotter, Rossier, Stanley e outros. Você encontra literatura em inglês desses irmãos e de outros de sua época em http://bibletruthpublishers.com/bible-truth-library/lh

Há uns 30 anos Deus começou a me mostrar o erro que é congregar em uma denominação e então me separei dos sistemas religiosos para estar congregado somente ao nome do Senhor em comunhão com irmãos em todo o mundo que também estão congregados assim.

Nas reuniões aprendemos da Palavra de Deus, apresentamos nossas necessidades em oração e lembramos a morte do Senhor em sua ceia a cada dia do Senhor. Considerando que hoje existem muitos grupos reunindo assim, é importante verificar a origem de cada um, pois muitos surgiram de divisões causadas por homens.

Existem assembleias congregadas em nome do Senhor em vários países. No Brasil há reuniões assim há quase quarenta anos, mas em outras partes do mundo isso é muito mais antigo. Conheço irmãos e irmãs já idosos cujos avós já se congregavam somente ao nome do Senhor. Existe sim um intercâmbio entre as assembleias, irmãos que se visitam etc. mas não existe nenhum "organismo" central ou organização por detrás disso. Afinal, se o Espírito Santo é suficiente, por que acharmos que Ele não pode, não é mesmo?

No passado havia muita gente congregada assim, mas como sempre aconteceu na história da igreja, ocorreram muitas divisões e hoje há poucas assembleias de irmãos reunidos assim no mundo todo, e não são muitas no Brasil. A maioria quase que literalmente "dois ou três", às vezes até apenas uma ou duas famílias reunindo-se em casas ou pequenos salões.

Não são muitos os que se dispõem a sair do sistema religioso para se reunirem somente ao nome de Jesus, pois não há muitos atrativos para a carne. Sem grandes oradores, corais, bandas, festas e tantas outras coisas que o mundo religioso oferece, ficamos só com Jesus, o que obviamente é tudo, mas não para os desejos humanos. Além disso, o importante é entender que devemos nos separar dos sistemas por causa do que eles são, e não especificamente por causa deste ou daquele irmão que existe ali. Pessoas com falhas iremos encontrar em todos os lugares. Eu sou uma delas.

Se quiser ouvir gravações de reuniões, visite este link: http://www.conferenciasbiblicas.com.br/conferencias/

Creio que irá se interessar por estes dois assuntos:
http://www.respondi.com.br/2005/06/errado-deixar-de-congregar.html
http://www.respondi.com.br/2010/11/como-congregar-ao-nome-do-senhor.html

Aproveite para ler o livro "A ordem de Deus" em www.aordemdedeus.blogspot.com

Também tenho colocado alguns e-books para baixar em http://www.4shared.com/folder/_ilF_f6E/_online.html

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana