As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

O que teria acontecido se os judeus tivessem recebido Jesus?



https://youtu.be/_0-deihGfB8

Para sua dúvida sobre o que teria acontecido se os judeus tivessem recebido Jesus, acredito que um texto de Edward Dennett possa ajudar. Ele escreveu:

"Se os judeus tivessem recebido João Batista, eles teriam também recebido o Messias e o reino seria então estabelecido em poder. Então, se isso acontecesse, Malaquias 4:5-6 teria se tornado realidade no que diz respeito a João: "Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor e ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a terra com maldição.". 

Mas não foi o que aconteceu, pois apesar das multidões que se ajuntaram ao redor de João quando ele primeiro clamou "Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus" (Mt 3:2), havia pouco exercício de consciência e quase nenhuma conversão do "coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais". Por fim, conforme sabemos, João morreu pelas mãos de seus executores em uma solitária prisão. Portanto, embora sua missão fosse "no espírito e poder de Elias" (Lc 1:17), e caso os judeus o tivessem recebido ele teria sido o Elias em tudo o que sua missão significava, não teria sido ele o cumprimento da profecia. Por isso Deus irá ainda enviar o "profeta Elias, antes que venha o grande e terrível Dia do Senhor" (Ml 4:5). Mesmo assim João Batista foi o mensageiro do Senhor e preparou o caminho diante dele ao anunciar a sua vinda e pregar o batismo de arrependimento. Apesar do pequeno número de pessoas que o receberam, ele sem dúvida alguma preparou o caminho do Senhor. (Veja João 1:35-51) - "Malachi or The State of Things in The End" - Edward Dennett.

Talvez você pergunte como ficaria a Igreja no caso de Israel aceitar seu Messias. Talvez este texto possa ajudar no entendimento de como as coisas funcionam na profecia:

"A Igreja não faz parte dos desígnios de Deus para com Israel na terra. A Igreja não pertence ao tempo, mas à eternidade. Ela não é terrena, mas celestial. Ela é chamada à existência durante um intervalo não previsto — uma pausa ou parêntese como consequência de o Messias ter sido cortado. Humanamente falando, se Israel tivesse recebido o Messias, então as setenta semanas ou quatrocentos e noventa anos teriam se cumprido; mas Israel rejeitou seu Rei, e Deus se recolheu ao seu lugar até eles reconhecerem sua iniquidade. Deus suspendeu suas tratativas públicas com Israel na terra, apesar de continuar controlando todas as coisas por sua providência e mantendo seus olhos sobre a semente de Abraão, sempre amada por causa daquele patriarca. Enquanto isso Deus está chamando da terra e de entre os gentios esse corpo chamado Igreja, para ser companheira de seu Filho na glória celestial — para estar completamente identificada com ele em sua atual rejeição aqui, e para aguardar em santa paciência o Seu glorioso advento" - "A Vinda do Senhor" - C. H. Mackintosh

O que você lê nos evangelhos deve entender que ali os discípulos estão na qualidade de judeus pertencentes a um remanescente que esperava pelo Messias. Depois de ser rejeitado, morrer e ressuscitar, Jesus enviou o Espírito Santo para formar a igreja. É como se Deus tivesse apertado a tecla "PAUSE" na "música" de Israel, o povo terreno de Deus, para tocar a "música" da Igreja, que é celestial.

Depois que a igreja for arrebatada Deus apertará a tecla "PLAY" e a "música" de Israel voltará a tocar com um remanescente judeu que irá aguardar o Messias, à semelhança dos discípulos nos evangelhos. Este remanescente pregará o evangelho do Reino e será perseguido, até Cristo descer dos céus com sua Igreja para estabelecer seu Reino de mil anos na terra destinado a Israel e as nações que estiverem aqui.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana