As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Reunir-se sem denominação não é criar uma nova igreja?



https://youtu.be/AKH07AX3ZHo

Você pergunta se, ao me colocar como alguém que se reúne sem denominação, eu não acabaria sendo membro de uma 'igreja' nos mesmos moldes daquelas que questiono. Creio que você pode sim ter essa impressão se ficar restrito aos aspectos funcionais da igreja, à forma de se reunir, deixando de enxergar o princípio ou fundamento da reunião dos cristãos.

Muitos grupos em todo o mundo não adotam o sistema denominacional, mas isso não significa que estejam se reunindo sobre o fundamento que encontramos na doutrina dada à igreja.. Na confusão que existe em nossos dias, é sempre motivo de alegria descobrir que existem irmãos que compreendem, pelo Espírito, que todo o sistema denominacional foi estabelecido por homens e, embora tenha em seu meio muitos, ou até mesmo a maioria, dos que são verdadeiramente salvos, não se trata de um sistema ao qual o crente deve se unir.

Mas em nossos dias de confusão, é sempre bom nos lembrarmos da lição que encontramos em Neemias 7, quando é feita uma relação dos que voltaram do exílio. Havia alguns que não foram considerados limpos pois não conseguiam mostrar seus antecedentes (vers.. 61-64). Estes não poderiam exercer o sacerdócio. Isto é uma lição para nós (Rm. 15:4), pois em nossa época de ruína, como era também em Neemias, quando os filhos de Deus estão espalhados por milhares de divisões, denominações ou mesmo grupos sem nome, é importante que, ao entrarmos em contato com algum grupo de cristãos, procuremos examinar bem todas as coisas. Não apenas a forma da reunião, mas ir mais além verificando o fundamento sobre o qual se reúnem e também a origem ou os antecedentes, como sabiamente fizeram aqueles na época de Neemias.

Hoje existem muitos grupos que se reúnem sem denominação, mas creio que devemos ter cuidado para verificar se não são apenas mais uma denominação sem nome. Eu mesmo já tive oportunidade de visitar dois grupos assim. Um, embora não tivesse denominação, era composto por pessoas de diversas denominações, ou seja, não havia qualquer entendimento sobre o mal que é pertencer a um sistema denominacional e nem havia o princípio da separação deste mal (veja 2 Tm.2:19-22). Outro grupo grupo que visitei dizia não ter denominação, mas traçando os seus antecedentes pude verificar que se tratava de uma seita iniciada em 1913 por um homem baseado em suas próprias visões, que negava a Trindade e cria na salvação através do batismo.

No Brasil existe ainda um grupo iniciado na década de 60 por um pastor batista, que professa, com algumas variações, doutrinas pentecostais. Há ainda um movimento que se originou com Watchman Nee (já se encontra com o Senhor), um cristão chinês que sofreu duras perseguições em seu país e tinha um grande conhecimento da Palavra, cujos ensinamentos foram acolhidos por um seu discípulo, Witness Lee (também falecido há poucos anos).

Este último acabou se tornando o líder máximo do movimento, embora isto não seja admitido pelos membros daquele grupo, os quais chegam ao ponto de estudar suas cartas nas suas reuniões. Conheço um irmão norte-americano que era um dos seguidores de Witness Lee e deixou o movimento quando este começou a afirmar, em reuniões reservadas, que a sua palavra era a Palavra de Deus. Hoje há outro líder encabeçando a organização e os estudos nas igrejas locais seguem um mesmo padrão, com uma revista publicada pela sede para que todos estudem a mesma coisa em todos os lugares.

Como você pode ver, mesmo quando nos apartamos do sistema denominacional corremos o risco de cair em erro. Tudo que tiver um homem na posição de líder ou guia geral é engano. Porém, além de verificar as doutrinas de um determinado grupo, à luz da Palavra de Deus, é conveniente verificar os seus antecedentes pois pode se tratar de uma seita formada a partir de irmãos reunidos ao nome do Senhor.

É comum acontecer de alguém ser colocado em disciplina (excluído da mesa e da ceia do Senhor) por causa de pecado e se separar, levando consigo outros e começando a promover suas próprias reuniões com outras pessoas que o escutem. Apesar de dizerem estar reunidos somente ao nome do Senhor, uma simples verificação da origem da sua reunião irá mostrar que se trata de fruto de pecado e rebeldia. Em alguns casos o tempo se encarrega de lançar uma camada de poeira sobre o caso e as novas gerações acabam sem saber a origem daquilo a que se uniram.

Me alegra saber que você tem entendido que a confusão de "igrejas" que existe ao nosso redor é obra dos homens. Deus não deseja que os seus estejam sós, mas sim que estejam reunidos. Um passo é se separar do sistema denominacional por compreender tratar-se de um erro. Outro passo é reunir-se somente ao nome do Senhor Jesus, expressando assim a suficiência do Seu nome e o reconhecimento de que todos os crentes são um só Corpo, o Corpo de Cristo.

Há muitos cristãos que estão deixando suas denominações pelos mais variados motivos: descontentamento com a doutrina, insatisfação com irmãos, desejo de se apartar de pecado, etc. Porém, o que geralmente acontece é que muitos se separam de uma denominação para ficar sozinhos, para ingressar em outra ou para fundar mais uma. E neste último caso é possível até dê início a uma denominação "sem denominação". A única separação válida é aquela que é feita PARA O SENHOR. Ou seja, abandonar o sistema denominacional para estar onde o Senhor está. E onde Ele prometeu estar? Onde dois ou três estiverem reunidos em (ou para) Seu nome.

Porém, em nossos dias de tanta confusão, é necessário cuidado para se discernir o lugar onde o Senhor reconhece como sendo crentes reunidos ao Seu nome. Com base na Palavra de Deus, coloco abaixo alguns pontos que devem ser considerados para se estar reunido conforme nos mostra a Palavra. É preciso entender que não é uma lista ou regras, mas indicações claras dadas pela Palavra de Deus. Há outras e o Espírito Santo é suficiente para guiar os reunidos ao nome do Senhor de modo a fazer tudo conforme a Palavra.
  • Estejam reunidos unicamente em (ou para o) NOME DO SENHOR JESUS CRISTO (Mt 18.20);
  • Tenham somente a Pessoa de Cristo diante de suas mentes e corações e as pessoas que foram a esse lugar, foram por causa de Cristo (Jo 1:38, 39; 6:68)
  • Evitem impedir a ação do Espírito Santo, O qual deve dirigir a cada um segundo a Sua escolha, para exaltar a Cristo e animar e consolar aos demais (1 Ts 5.19,20);
  • Estejam atentos e prontos a detectar qualquer coisa que seja contrária à Palavra de Deus. (1 Co 14.29; 1 Ts 5.21);
  • Exerçam a autoridade delegada pelo Senhor identificando e julgando o mal que possa surgir no meio (Mt 18.17-20; 1 Co 5)
  • Dêem oportunidade uns aos outros para que Deus possa usar a quem Lhe aprouver para apresentar a Sua mensagem (1 Co 14.30,31);
  • Falem um de cada vez e pratiquem o controle próprio (1 Co 14.31,32);
  • Obedeçam e reconheçam que é "mandamento do Senhor" (1 Co 14.37) que "as mulheres estejam caladas nas igrejas, porque não lhes é permitido falar" (1 Co 14.34,35; 1 Tm 2.11-14);
  • Tenham sempre em mente que a missão do Espírito Santo é guiar-nos a toda a verdade, glorificando a Cristo. Sua direção é sempre de acordo com as Escrituras.
Encontramos nas Escrituras o princípio do retorno às origens. É mais ou menos o mesmo que fazemos quando tomamos o atalho errado. Voltamos e vamos examinando cuidadosamente cada encruzilhada para ver se foi ali que nos perdermos. Somos mais cuidadosos na volta do que na ida. É que o machado era emprestado e nós apenas o tínhamos por graça e favor. Perdê-lo foi algo triste. Mas é preciso voltar aonde o machado caiu, lançar o madeiro na água, aplicar a cruz na questão e certamente Deus o fará flutuar.
Outro princípio que você já deve ter encontrado nas Escrituras é o da decisão individual. Muito se fala sobre voltar a unir os irmãos, mas isto seria reconhecer as várias divisões como coisas certas, apenas separadas por algum motivo banal. Isso poderia valer para as tribos de Israel, que eram entidades estabelecidas por Deus e que Ele mesmo permitiu dividir. Mas não ocorre com a Igreja ou Assembléia. Não existem "igrejas separadas", pois a idéia de independência não cabe a um só corpo.
Quando se pensa em resolver a questão da separação logo se imagina uma forma de reunir os vários grupos como uma grande colcha de retalhos. Eu saí de uma denominação anos atrás quando o Senhor me mostrou que eu estava no lugar errado. Poderia ter sido uma "denominação sem nome". Mas foi preciso um exercício individual para procurar onde o Senhor havia colocado o Seu nome.
Creio que é errado dizer a alguém "venha aqui" ou "vá lá". Evito convidar pessoas para as reuniões (exceto para pregações do evangelho). Creio que o exercício é individual. Para a alma sincera e ansiosa o Senhor indicará o lugar. Não haverá uma reconstrução das divisões. Existe, isto sim, um indicar do Senhor, e quando alguém é por Ele assim conduzido, saberá que está no lugar onde Ele colocou o Seu nome e que Ele reconhece como o Seu testemunho na terra.

Mais acessadas da semana