As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

O que voce fara' se alguem pedir para ser curado?



https://youtu.be/uhW-mJHsnyE

Você contou de uma amiga que sofria de uma doença rara e não conseguia se curar. Então ela foi a uma dessas igrejas neo pentecostais e alguém lá determinou sua cura e ela foi curada completamente. Você afirma que constatou ter sido verdade e perguntou: "Se no momento em que vocês estiverem congregados ao nome de Jesus aparecesse uma pessoa enferma e pedisse que vocês a curassem, o que fariam?".

É impressionante como na cristandade as pessoas estão ficando cada vez mais ousadas. Olham para o Senhor como se fosse um escravo à sua disposição para obedecer às vontades e caprichos daqueles que invocam o Seu Nome. Por isso já nem causa espanto quando alguém escreve contando de uma pessoa sabidamente doente que "foi a uma igreja e uma pessoa DETERMINOU a sua cura e ela foi curada completamente". Como assim, "determinou a sua cura"? Será que podemos agora nos colocar acima de Deus e determinar como ele deve agir? Essa moda de dar ordens para Deus é de arrepiar. "Eu determino!", "Eu ordeno!", "Eu decreto!", "Eu profetizo!". Você consegue imaginar-se falando assim para o patrão em seu emprego? Então nem ouse usar tais termos para Deus.

Ninguém tem o dom de curar como se fosse um poder constante, algo que ele possa tirar do bolso do colete quando bem entender. Paulo eventualmente curava quando guiado pelo Espírito, mas nem sempre o fazia. Ele não curou Timóteo do estômago (1 Tm 5:23) e nem Trófimo, que ele deixou doente em Mileto (2 Tm 4:20). Muitas curas que você vê por aí na TV e nas chamadas "igrejas" podem ser erro de diagnóstico, sugestionamento ou até truques de mágica (como mágicos de salão). Ou até mesmo picaretagem pura e simples. Na melhor das hipóteses é a cura que é conseguida também com placebos, e na pior das hipóteses pode ser sim que uma cura tenha ocorrido, porém não pelo poder de Deus. Os magos de Faraó imitaram os milagres de Moisés com um poder vindo do mesmo Satanás que foi poderoso e capaz de transportar Jesus para um alto monte durante a tentação. O fato de você ter histórias de curas para contar não prova nada. Qualquer pajé, feiticeiro ou invocador de espíritos também tem.

Sei de alguns casos em que tudo era combinado entre o "doente" e o pregador. Uma grande "igreja" em Fortaleza contratou um rapaz perfeitamente são de outro estado para aparecer "aleijado" e de muletas no culto e ser curado. Depois de receber seu cachê ele pegou um voo de volta para casa. O técnico de som de um evento empresarial no qual participei contou-me de seu primo, que mora e trabalha nos Estados Unidos, e ficou chocado com o que viu. Um famoso pregador de curas de lá o contratou para cuidar do som. Depois de tudo preparado no grande auditório o pregador ordenou que todos os que não faziam parte de sua equipe de pastores e obreiros saíssem. Mas ninguém viu que o rapaz do som ficou nos bastidores ligando alguns fios. Então ele viu pela fresta da cortina chegar uma turma de atores trazendo cadeiras de rodas e começaram a ensaiar com o pregador como seriam as curas e milagres daquela noite.

Não faça da TV sua "Bíblia", querendo aprender a verdade a partir do que fazem os pregadores ali entre um e outro pedido de dinheiro, promessas de prosperidade para quem abrir a carteira, e ameaças para quem não ofertar. Procure saber e entender o que diz a Palavra de Deus. Eventualmente, sim, Deus cura, e devemos orar por um doente que busca ser curado. Mas devemos também fazer isso colocando a vontade de Deus acima de tudo, pois é preciso ter em mente que uma doença pode ter sido permitida por Deus para tratar com algum problema daquela pessoa. Era este o caso de Paulo, que tinha um espinho na carne (provavelmente uma doença crônica), e Deus permitia que ficasse assim para não se gloriar das revelações que tinha recebido. Paulo pediu por três vezes para se ver livre daquilo, mas depois entendeu que estava nos planos de Deus.

Voltando ao dom de curar, repare que em 1 Co 12 fala "dons de curar", no plural, porque ali não está falando dos dons como os citados em Efésios 4, que são aqueles que estão incorporados na pessoa que os tem. Os "dons" de 1 Coríntios 12 numa tradução literal seriam "manifestações", ou seja, ocorrências eventuais de poder do Espírito Santo conforme a necessidade e disposição de Deus de fazer com que se manifestem. Algo como você dar dinheiro a seu filho só quando é para ele ir comprar algo específico, e não deixar com ele um cartão de crédito para gastar quando e onde ele bem entender. Ninguém tem um "cartão de crédito de Deus" com um saldo de curas para gastar à vontade.

Quer um exemplo do que estou falando? Paulo libertou possessos de demônios, mas isso não era como se ele dissesse uma palavra mágica e o demônio saísse. Isso ele fazia quando o Espírito o capacitava para aquela tarefa em particular, no lugar, momento e com um objetivo bem definido. Repare que a jovem possessa de Atos 16 seguiu a Paulo por muitos dias sem que ele tomasse qualquer providência de libertá-la. Por que? Porque ele ainda não tinha tido a manifestação do Espírito Santo neste sentido. Ou você acha que ele não teve vontade de se livrar daquele aborrecimento de ser seguido por uma possessa de demônio desde o primeiro dia? Veja a passagem.

"E aconteceu que, indo nós à oração, nos saiu ao encontro uma jovem, que tinha espírito de adivinhação, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores. Esta, seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo. E isto fez ela POR MUITOS DIAS. Mas Paulo, perturbado, voltou-se e disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela. E na mesma hora saiu." At 16:16-18

As curas que encontramos na Bíblia tinham um propósito bem definido, principalmente o de chamar atenção para uma obra que Deus estava fazendo. Foi assim quando Jesus esteve no mundo, porque ele era o cumprimento da profecia de Isaías, como é explicado por Mateus: "E Jesus, entrando em casa de Pedro, viu a sogra deste acamada, e com febre. E tocou-lhe na mão, e a febre a deixou; e levantou-se, e serviu-os. E, chegada a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados, e ele com a sua palavra expulsou deles os espíritos, e curou todos os que estavam enfermos; para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías, que diz: Ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e levou as nossas doenças." (Mt 814-17).

Repare que aí diz que ele curava com o propósito definido de cumprir as profecias, e o modo de Jesus curar era tomar a enfermidade para si, sem contudo morrer por causa dela porque era perfeito e sem pecado. Ele deu também poder aos discípulos para curar e eles faziam isso sempre que Deus tinha um propósito de chamar a atenção das pessoas para a grande obra de salvação que estava agora disponível ao homem. Quando passa em frente à minha casa uma carreata de veículos novos de uma agência de automóveis oferecendo algum tipo de "feirão" ou promoção, eles soltam fogos, mas não são os fogos que estão vendendo. Estes servem apenas para chamar a atenção das pessoas para o que realmente importa.

Todos aqueles que foram curados, libertados e ressuscitados na Bíblia morreram depois, porque o objetivo de Deus nunca foi preservar a vida do ser humano nesse estado lastimável em que se encontra, ao menos até que Cristo venha restaurar todas as coisas. Assim as curas, além de serem evidências do poder de Deus agindo, em algumas situações tinham por objetivo mostrar como será o reino milenial de Cristo na terra, quando as pessoas terão acesso total à cura e saúde perene:

"E mostrou-me o rio puro da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro. No meio da sua praça, e de um e de outro lado do rio, estava a árvore da vida, que produz doze frutos, dando seu fruto de mês em mês; e as folhas da árvore são para a saúde das nações. E ali nunca mais haverá maldição contra alguém; e nela estará o trono de Deus e do Cordeiro, e os seus servos o servirão." (Ap 22:1-3).

Agora voltando à sua pergunta do princípio, que foi o que eu faria quando estivesse congregado com os irmãos e alguém entrasse pedindo para ser curado. Primeiro é preciso entender que quando a igreja se reúne não é para pregar o evangelho e nem para promover curas ou algo do tipo. A igreja é congregada pelo Espírito Santo para as atividades muito bem definidas em Atos 2:42; "E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações." A igreja se reúne para aprender da doutrina dos apóstolos por meio dos dons em seu meio, para ter comunhão uns com os outros, para celebrar a ceia do Senhor recordando dele e anunciando sua morte, e para oração.

Se alguém pedir para ser curado é preciso então saber quem é essa pessoa. Se for incrédula, a maior doença do mundo ainda não é nada comparada à doença de seu pecado não perdoado. De nada adiantará lhe dar um paliativo e ela passar a eternidade nas trevas do lago de fogo. Se for um convertido a Cristo, então irei orar por essa pessoa em particular ou trazer essa necessidade nas orações da assembleia, mas sempre colocando de modo que seja feita a vontade de Deus, e não exigindo de Deus uma cura ou "determinando" que a pessoa seja curada. Como saber se não é Deus tratando com alguma questão da vida daquela pessoa que só poderia ser tratada por meio de algum tipo de aflição como uma enfermidade? Deus tocou a coxa de Jacó para quebrar sua vontade própria e o resto da vida ele não foi curado disso, mas viveu manco pelo resto de seus dias. Se você quiser saber um pouco mais sobre isso veja o vídeo ou leia o texto "Fui eu que fiz isso".



https://youtu.be/sLxxlo118z4
Texto: http://www.3minutos.net/2013/04/433-fui-eu-que-fiz-isso.html

Veja abaixo uma série de links que poderão ajudar neste assunto:

http://manjarcelestial.blogspot.com/2013/08/cura-o-que-dizem-as-escrituras-h-e.html
http://manjarcelestial.blogspot.com/2010/02/linguas-e-outros-dons-de-sinais-gordon.html
http://manjarcelestial.blogspot.com.br/2013/11/sinais-e-maravilhas-f-b-hole.html
http://www.respondi.com.br/2011/10/as-manifestacoes-espirituais-nas.html
http://www.respondi.com.br/2012/08/a-oracao-de-tiago-5-serve-para-qualquer.html
http://www.respondi.com.br/2011/01/qual-diferenca-entre-bencao-e-milagre.html
http://www.respondi.com.br/2008/01/existem-milagres.html
http://www.respondi.com.br/2007/06/o-que-diz-das-curas-e-milagres-que.html
http://www.respondi.com.br/2009/12/voce-acredita-no-nigeriano-que.html
http://www.respondi.com.br/2010/02/voce-nao-cre-na-cura-divina.html
http://www.respondi.com.br/2008/01/que-obras-maiores-o-senhor-se-referiu.html
http://www.respondi.com.br/2005/11/o-que-acha-desses-pregadores-de.html

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana