As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

A ceia do Senhor seria apenas simbolica?



https://youtu.be/RqG5kjpLBJU

Depois de ler o que escrevi sobre o lava-pés como uma lição que o Senhor deu aos discípulos, e não efetivamente uma ordenança para ser repetida pelos cristãos, você colocou uma pergunta interessante: Se o lava-pés é apenas simbólico, por que a ceia também não é? Por que precisamos repetir o ato de comer o pão e beber o vinho? Não seria apenas uma lição para nos ensinar algo?

Sua pergunta procede. Na verdade, o lava-pés foi claramente dado com um segundo significado, pois o Senhor mesmo explica isso na passagem. Porém a ceia foi dada como um memorial, algo para ser repetido até ele voltar, e isso inclui o pão e o vinho. São estes os símbolos, e não o ato de celebrar a ceia, que é um memorial. No lava-pés o símbolo ou ensino implicado ali estava no ato de lavar os pés. Na ceia os símbolos são o pão e o vinho, são coisas físicas.

Mas a ceia instituída por Jesus não é a mesma que os cristãos celebram. Aquela estava conectada à páscoa dos judeus e foi dada aos apóstolos, que naquele momento eram judeus, não igreja, ligados às ordenanças dadas a Israel e não possuíam o Espírito Santo habitando em si, algo que só receberiam no dia de Pentecostes em Atos 2.

A ceia que foi dada aos cristãos celebrarem foi a que Paulo recebeu por revelação direta de Cristo e passou em 1 Coríntios 11. Ali estão instruções claras, inclusive para não confundirmos achando que seria apenas uma lição, pois em Corinto estavam cometendo exageros no sentido de comer e beber demais, o que implica que a celebração é uma ação real de comer do pão e beber do vinho.

Mas, ao mesmo tempo em que insisto que o ato de celebrar a ceia deve ser uma prática real, e não apenas um símbolo ou um ensino conceitual, insisto também que o pão e o vinho são apenas símbolos, e não sofrem qualquer alteração física na celebração da ceia, como acreditam alguns que professam a transubstanciação.

O pão e o vinho estão para o corpo e o sangue de Jesus na cruz como o pedaço de papel que chamamos de fotografia está para a pessoa real representada ali. É apenas um papel com uma imagem que representa a pessoa real, não a pessoa real. A reverência é dada à Pessoa de Jesus e ao que ele fez na cruz, e não ao pão e o vinho, pois reverenciar esses objetos como tendo algo de divino seria idolatria.

Sugiro que leia mais sobre a ceia do Senhor aqui:
http://www.respondi.com.br/2005/05/onde-celebrar-ceia-do-senhor.html
http://www.respondi.com.br/2005/05/como-celebrar-ceia-do-senhor.html
http://www.respondi.com.br/2005/05/o-que-significa-mesa-do-senhor.html
http://www.respondi.com.br/2005/05/qual-o-verdadeiro-lugar-de-adorao.html
http://www.respondi.com.br/2005/06/bblia-fala-da-transubstanciao.html


(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana