As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Recebemos o Espirito quando somos batizados nas aguas?



https://youtu.be/U2Pz3SA-eqc

Você leu Atos 2:38 e ficou em dúvida se recebemos o Espírito Santo quando somos batizados nas águas. A resposta será longa por envolver muitos aspectos que são hoje pouco entendidos pela cristandade, portanto procure uma poltrona confortável para ler, comparando tudo com sua Bíblia.

Quando Jesus deu a Pedro as chaves do Reino dos céus, ele estava dando a ele não a chave da igreja, mas as chaves da esfera neste mundo que reconhece o senhorio e autoridade do Rei que agora está nos céus, enquanto seu reino permanece aqui. Para você entender a questão do batismo irá precisar entender a diferença entre Igreja, Casa de Deus, Reino dos Céus e Reino de Deus.

Igreja: o corpo de Cristo, do qual Ele é a cabeça no céu, foi formada no dia de Pentecostes e inclui apenas os verdadeiramente salvos, que serão levados para o céu no arrebatamento. A Igreja é chamada também de "casa do Deus vivo" em 1 Tm 3:15 no sentido da habitação de Deus entre os Seus, como em Hb 3:6 "Mas Cristo, como Filho, sobre a sua própria casa; a qual casa somos nós". Ao contrário da "grande casa" (veja a seguir) que é construída por homens, a Igreja é edificada pelo próprio Senhor, que disse, "edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela". Ela não existia no Antigo Testamento e nem nos evangelhos, daí o Senhor ter usado o verbo "edificar" no futuro.

Casa de Deus: Esta é a esfera do governo de Deus entre os seus neste mundo, e pode incluir tanto verdadeiros como falsos. Naquilo que depende de Deus, ela é chamada de "Casa do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade" (1 Tm 3:15), mas naquilo que os homens fizeram dela ela é vista como "uma grande casa [onde] não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de pau e de barro, uns para honra, outros, porém, para desonra" (2 Tm 2:20).

Reino dos céus: A forma atual do Reino e esfera neste mundo que reconhece o senhorio e autoridade do Rei que agora está nos céus, enquanto seu reino permanece aqui. O termo aparece predominantemente em Mateus, o evangelho para os judeus, e tem um carater dispensacional (a maneira como Deus lida com Seu povo ou o mundo). Hoje costuma-se também se referir a essa esfera como "cristandade", um termo não bíblico que significa o conjunto daqueles que professam ser cristãos (falsos e verdadeiros).

Reino de Deus: Semelhante ao Reino dos céus, aparece em outros evangelhos e tem um aspecto mais moral do que dispensacional. O Reino de Deus também está conectado a Jesus quando andava neste mundo, pois quando esteve aqui ele disse "O Reino de Deus está entre vós" (Lc 17:21) e que "é chegado a vós o Reino de Deus" (Mt 12:28).

No Reino dos céus há de tudo, do bom e do ruim:

- joio e trigo (Mt 13:24-30 - o joio é parecido com o trigo, porém não é trigo)
- aves dos céus em seus ramos (Mt 13:31-32 - aves = agentes malignos, conforme o Senhor explicou na parábola do que é semado à beira do caminho)
- fermento (Mt 13:33 - fermento = figura de má doutrina introduzida por quem não deveria ensinar cf. Mt 16:6)
- peixes bons e ruins (Mt 13:47-48)

Além disso o Reino dos céus está no mundo, e não nos céus (Mt 13:44; cf. 13:38 "o campo é o mundo"). Você não conseguirá entender essas distinções que são claras na Palavra de Deus, se não entender as dispensações, ou diferentes maneiras como Deus trata os homens ao longo da história deste planeta. Portanto, depois que terminar de ler volte a este ponto para seguir estes links para entender o que são as dispensações:
http://www.respondi.com.br/2005/05/o-que-significa-dispensao.html
http://www.respondi.com.br/2005/06/o-que-significa-dispensao.html
http://www.respondi.com.br/2010/10/existe-base-biblica-para-o.html
http://www.respondi.com.br/2005/07/voc-acredita-que-possvel-melhorar-este.html
http://www.respondi.com.br/2009/08/estaria-errado-chamar-jesus-de-rei.html
http://www.respondi.com.br/2009/07/devemos-rasgar-o-antigo-testamento.html

Juntando tudo, temos aquilo que Cristo edifica, que é a Igreja no sentido de Casa do Deus vivo, contendo apenas os salvos, e aquilo que o homem edifica, como instrumento de Deus neste mundo, por meio da pregação e do batismo. Portanto existe um círculo maior que inclui todos os que professam o nome de Jesus e um menor, o corpo de Cristo, formado apenas pelos salvos. É no círculo maior que você entra pelo batismo. Agora veja isto:

Mat_16:19 E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.

O Senhor não deu a Pedro as chaves da Igreja e nem dos céus. Pedro recebeu "as chaves do reino dos céus", portanto dessa esfera ampla da profissão daqueles, falsos e verdadeiros, que se declaram seguidores de Jesus ou dizem acreditar nele. São chaves de uma esfera administrativa, daí o "ligar" e "desligar", ações tomadas aqui que são reconhecidas no céu mas apenas para as coisas desta vida, nunca para questões eternas como a salvação da alma.

Em Mateus 18:18 essas práticas administrativas seriam também dadas à Igreja para que, por meio de dois ou três que tomassem essas decisões práticas e administrativas em nome de Jesus, razão pela qual elas seriam reconhecidas nos céus. Mas é preciso entender que isso acontece na esfera da "casa de Deus" e da comunhão. A igreja ou assembleia pode incluir ou excluir alguém à comunhão, mas nunca à vida eterna.

Mat 18:18  "Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu. Também vos digo que, se dois de vós concordarem na terra acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus. Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles. Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles". 

O Senhor também estava dando a Pedro as chaves de uma nova dispensação e Pedro as usaria para abrir as portas primeiro aos judeus (e também aos samaritanos) e depois aos gentios.

Chegamos agora a Atos 2, origem de sua dúvida se recebemos o Espírito Santo quando somos batizados nas águas. Ali existem duas coisas diferentes: primeiro, a formação da Igreja, que aconteceu naquele cenáculo com aquelas 120 pessoas. A Igreja foi formada com a descida do Espírito Santo à terra para habitar na Igreja coletivamente e no crente individualmente. Paulo, o apóstolo a quem foi revelado o segredo ou mistério da Igreja, explicaria esse batismo do Espírito que ocorreu no dia de Pentecostes, portanto apenas uma vez, com estas palavras:

1Co 12:12-13 Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também. Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.

Para não confundir com o selo do Espírito descrito em Efésios 1:13, quando, depois de ouvirmos o evangelho e crido, fomos "selados com o Espírito Santo da promessa", procure pensar no que aconteceu em Pentecostes como a inauguração da Igreja. Inaugurações acontecem uma única vez. O que vem depois são os elementos que são adicionados àquilo que já foi inaugurado uma vez.

Portanto, voltando ao que eu já disse sobre Atos 2, ali acontece primeiro a "inauguração" da Igreja, uma obra de Deus e não do homem, e em seguida vem Pedro trabalhando para, por meio da pregação e do batismo nas águas(tipicamente obras humanas), introduzir na esfera do Reino dos céus aqueles que professassem crer. Como eram todos judeus, no versículo que você citou Pedro estava usando uma das chaves que o Senhor lhe deu. As outras ele usaria mais tarde, e é importante notar as diferenças na ordem em que essas pessoas são introduzidas:

JUDEUS - Atos 2:38: os judeus são introduzidos seguindo este processo:

1. Arrependimento (os judeus eram primariamente culpados da rejeição e morte de seu Messias, portanto tinham muido de que se arrepender).
2. Batismo nas águas
3. Recebimento ou selo do Espírito Santo

SAMARITANOS - Atos 8:14-17: os samaritanos são introduzidos; eles eram gentios convertidos ao judaísmo levados para a terra prometida para substituir os judeus durante o exílio:

1. Fé (crer)
2. Batismo nas águas
3. Recebimento do Espírito pela oração e imposição de mãos dos apóstolos.

GENTIOS - At 10:44-48: todos aqueles que não eram judeus ou samaritanos:

1. Fé (crer)
2. Recebimento do Espírito Santo
3. Batismo nas águas

Finalmente podemos mencionar também uma classe especial ali que são os discípulos de João Batista - At 19:1-7, um sub-grupo de judeus que eram os discípulos de João, que já haviam se apartado dos judeus e suas culpas:

1. Fé (crer)
2. Rebatismo nas águas (tinham sido antes batizados "em" João Batista como os israelitas tinham sido batizados "em" Moisés, pois quando você é batizado, você é batizado "a" alguém - compare as passagens 1 Co 1:15; 10:2; Gl 3:27).
3. Recebimento do Espírito Santo pela imposição das mãos do apóstolo.

Veja que estes não são processos para a salvação, que vem apenas pela fé em Jesus, mas apenas a ordem em que as coisas aconteceram quando foram usadas as chaves para se abrir o Reino dos céus a judeus (e samaritanos) e gentios. Entenda também o livro de Atos como um período de transição entre o que era testemunho de Deus no mundo (judeus) e o que passou a ser (Igreja).

Considerando que hoje Israel foi deixado de lado por ter rejeitado o Messias, o testemunho de Deus na terra é formado por judeus e gentios que se converteram e foram feitos Igreja ou corpo de Cristo (Deus ainda continua considerando Israel, mas como uma das três classes: judeus, gentios e Igreja de Deus - 1 Co 10:32).

O evangelho é hoje pregado às nações (gentios) e ordem para hoje está mais no sentido de Atos 10, ou seja, (1) crer, (2) receber o Espírito Santo e (3) ser batizado nas águas. (Talvez aqui você pergunte por que alguns batizam crianças, e respondo que não existe na Bíblia batismo de crianças, mas batismo de "casa" ou família. Mas isto é outro assunto que você poderá ver mais tarde aqui: http://www.respondi.com.br/2009/10/qual-idade-minima-para-ser-batizado.html )

Veja que no caso dos gentios o recebimento do Espírito Santo aparece vindo antes da introdução formal, pelo batismo nas águas, da pessoa no Reino dos céus e, por consequência, na casa de Deus. O batismo acaba colocando-a também (infelizmente) na esfera da grande casa, o aspecto exterior que a casa de Deus assume hoje. O que ocorre antes do batismo nas águas é a ordem dada em Efésios 1:13, que é "ouvir", "crer" e "ser selado com o Espírito Santo": "Em quem também vós estais, depois que OUVISTES a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também CRIDO, fostes SELADOS com o Espírito Santo da promessa".

Como o assunto aqui nesta passagem de Efésios não é a esfera da profissão, mas da introdução no corpo de Cristo, o batismo nas águas não é mencionado. Ouvir, crer e ser selado com o Espírito Santo é a ordem hoje para a salvação.

Sua outra dúvida foi: "Uma pessoa não genuinamente convertida não seria uma pessoa que de fato não se arrependeu e consequentemente não nasceu de novo? como ela receberia o Espírito Santo e passaria a ser morada de Deus (Ef 2:22)?"

Exatamente: uma pessoa que não se converteu genuinamente não é nascida de novo (na verdade o novo nascimento vem antes até da conversão, embora não possa ser dissociado dela), portanto não pode ter o Espírito Santo e nem pode ser morada de Deus em Espírito.

Em momento algum eu disse que tal pessoa teria o Espírito Santo, mas apenas que o batismo nas águas introduz a pessoa na esfera da profissão cristã, ou seja, ela reconhece da boca para fora que é cristã e se coloca sob a responsabilidade de agir como tal. Mas não está salva, mesmo que tenha sido batizada nas águas. Muitos entendem errado isso e acabam misturando tudo, achando que o batismo introduz a pessoa no corpo de Cristo, dá a ela a salvação eterna e coisas do tipo. Por isso somos exortados a manejar ou dividir bem a Palavra: 2Tm_2:15  Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.

Veja o caso de Simão, o mago, que "se converteu" e foi batizado, porém não tinha nada a ver com uma salvação genuína:

Ats 8:13-24 E creu até o próprio Simão; e, sendo batizado, ficou de contínuo com Filipe; e, vendo os sinais e as grandes maravilhas que se faziam, estava atônito. Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, ouvindo que Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João. Os quais, tendo descido, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo (Porque sobre nenhum deles tinha ainda descido; mas somente eram batizados em nome do Senhor Jesus). Então lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo. E Simão, vendo que pela imposição das mãos dos apóstolos era dado o Espírito Santo, lhes ofereceu dinheiro, Dizendo: Dai-me também a mim esse poder, para que aquele sobre quem eu puser as mãos receba o Espírito Santo. Mas disse-lhe Pedro: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro. Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto diante de Deus. Arrepende-te, pois, dessa tua iniqüidade, e ora a Deus, para que porventura te seja perdoado o pensamento do teu coração; Pois vejo que estás em fel de amargura, e em laço de iniqüidade. Respondendo, porém, Simão, disse: Orai vós por mim ao Senhor, para que nada do que dissestes venha sobre mim.

Simão podia até ser chamado cristão, já que "creu" (no sentido de acreditar apenas) no que foi pregado, e foi batizado, sem todavia receber o Espírito Santo. Até mesmo quando Pedro o adverte para que se arrependa ele parece não se arrepender, pois apenas pede aos apóstolos que orem por ele para que o mal não o atinja.

Ele é o tipo perfeito da pessoa religiosa e supersticiosa, que está apenas interessada nas coisas de Deus para receber poder nesta vida ou ser preservada do mal também aqui.

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana