As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

Devo preparar minha familia para a perseguicao?



https://youtu.be/rGhr8onkI5k

Você viu um vídeo com a pregação de um pastor dizendo que os cristãos devem preparar a família para a perseguição que virá e para a grande tribulação. Mas será que o que ele diz é verdade ou só quer causar espécie? O cristão que está esperando pelo anticristo e pela grande tribulação não está esperando pelo Senhor. Perseguição sempre existiu desde os tempos de Paulo e ele era um perseguidor que passou a perseguido. Quando o Senhor lhe apareceu, disse: "Saulo, Saulo, por que ME PERSEGUES?" (At 9:4). Paulo perseguia a Igreja, mas era o mesmo que perseguir o próprio Senhor. Então pode ficar sossegado que o Senhor sabe exatamente o que é ser perseguido e nunca perde de vista sua Igreja.

Quanto a treinar os filhos para serem perseguidos, o que exatamente você vai fazer? Colocá-los em aulas de artes marciais? Comprar uma arma para cada um? Mandá-los para a escola com colete à prova de balas? Construir um abrigo nuclear no quintal? Armazenar combustível e comida? Sério?! Isso não é preparar os filhos para a perseguição, isso é transformá-los numa milícia "cristã" (isso mesmo, entre aspas), como as que matavam e morriam na Irlanda, no Líbano e agora na Síria.

Não encontrei algum versículo do tipo "Preparai vossos filhos para serem perseguidos", as encontrei "Criai-os na doutrina e admoestação do Senhor" (Ef 6:4) e "Não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra" (Mt 5:39). Um filho criado na admoestação do Senhor e conforme a Palavra de Deus saberá perguntar: "Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro..." (Rm 8:35-36).

O Senhor Jesus deixou uma exortação que devemos sempre ter em mente: "Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (Jo 16:33). Ele não disse que devíamos nos espantar com as aflições, mas estarmos de bom ânimo desfrutando da paz que existe nele.

Não tenho nada contra um bom pregador que infunde terror nos incrédulos ao pregar o evangelho, pois é terrível mesmo alguém viver com a perspectiva da condenação eterna e não ligar para isso. "Assim que, sabendo o temor [terror] que se deve ao Senhor, persuadimos os homens à fé," (2 Co 5:11). A palavra "temor" aí não é no sentido de respeito, mas de terror mesmo ("phobos"), um pavor daquele que dá um nó no estômago, faz suar frio e molhar as calças, como quem está prestes a passar por uma sessão de tortura. E para o incrédulo será mesmo uma tortura eterna se não se converter a Cristo.

Mas quando um pregador usa de terrorismo psicológico para apavorar salvos por Cristo, a coisa muda de figura. Paulo admoestou os Gálatas contra "alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo" (Gl 1:7) por estarem dando ouvidos a um evangelho de regras e legalismo (e esse pastor que você citou me parece bem legalista, talvez até adepto da doutrina da salvação pelo senhorio). Os Tessalonicenses pareciam estar sendo inquietados por pregadores assim que queriam fazê-los acreditar que passariam pela grande tribulação que virá sobre o mundo quando o anticristo já tiver sido manifestado. Ele lhes escreveu:

"Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e pela nossa reunião com ele, que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o dia de Cristo estivesse já perto." (2 Ts 2:1-2).

A parte que fala da "vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e pela nossa reunião com ele" é o arrebatamento descrito em 1 Tessalonicenses 4:13:18. A parte que fala "como se o dia de Cristo estivesse já perto" se refere a Cristo voltando à terra com sua Igreja (arrebatada sete anos antes) para julgar as nações, como ensina Mateus 25:31-46.

Ali não é o juízo final de pessoas, mas o juízo das nações quando Jesus voltará para seus "pequeninos irmãos", os judeus que irão se converter após o arrebatamento e serão perseguidos, e ao mesmo tempo julgará com a morte os "bodes" que perseguiram esses seus irmãozinhos, e recompensará as "ovelhas" — os gentios que trataram bem os judeus — dando a elas a oportunidade de entrarem no reino de mil anos na terra juntamente com o Israel reunido, as doze tribos outra vez juntas.

A passagem de 2 Tessalonicenses 2, na qual Paulo alerta os irmãos contra pregadores que queriam tirar deles a tranquilidade, continua insinuando que homens assim são enganadores: "Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus. Não vos lembrais de que estas coisas vos dizia quando ainda estava convosco?" (2 Ts 2:3-5).

A palavra "apostasia" significa o abandono da verdade, e é este o rumo que o testemunho cristão na terra tomou há algum tempo e que irá ter o seu ápice quando se manifestar como a "Grande Meretriz", "Babilônia, a grande", na revelação do Apocalipse. Se tem algo com que você deve se preocupar não é tanto o anticristo — que eu e você nem iremos conhecer aqui na terra — e sim a falsa igreja, que devia ser noiva e se tornou prostituta por seus conluios com o mundo, sua política, seu poder e seu comércio. Isso já é manifestado nos dias em que vivemos por meio do espírito do anticristo que já atua.

Quando Paulo fala do que detém a manifestação da pessoa do anticristo ele não está falando diretamente da Igreja, que não tem em si poder algum para fazer frente ao mal, mas sim do Espírito Santo que hoje habita na Igreja e no crente individualmente. Enquanto continuam aqui, os cristãos certamente exercem uma influência moral, não por meio de ativismo político ou por armas, mas por cheiro. Isso mesmo, "somos o bom perfume de Cristo, nos que se salvam e nos que se perdem. Para estes certamente cheiro de morte para morte; mas para aqueles cheiro de vida para vida." (2 Co 2:16).

De igual modo os cristãos servem para preservar o comportamento do mundo, como o sal preserva a carne ("Vós sois o sal da terra" - Mt 5:13) e também para que vejam seus pecados sob o holofote ("Vós sois a luz do mundo" - Mt 5:14). Mas entenda que aroma, sal e luz são coisas que não causam impacto por confrontamento direto, mas por influência nos sentidos. Porém são influências que exercemos por refletirem aquilo que é de Cristo, pois nenhum cristão tem em si mesmo poder algum que não venha do Espírito Santo atuando na nova vida."Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós." (2 Co 4:7).

Então quando Paulo fala do que detém a manifestação do anticristo, está certamente falando do Espírito Santo que habita no crente e na Igreja. Como essa simbiose Espírito-Igreja nunca mais deixará de existir, assim que o Espírito Santo for tirado da terra a Igreja também será, e vice-versa, deixando o caminho livre para o anticristo se manifestar. Só isso já deveria tranquilizar os cristãos e animá-los a olhar para o alto, e não para a terra com todo o terror que está reservado para os que ficarem aqui. Para os que ficarem, não para os que subirem.

Observe como o apóstolo Paulo dirige os olhares, mentes e corações para os céus em contraste com esses terroristas psicológicos que transforam o futuro do cristão em um verdadeiro "trem fantasma" de sustos e sobressaltos. Será que essa técnica tem a mesma intenção dos assaltantes, quando aterrorizam para suas vítimas assustadas estarem mais dispostas em entregar suas carteiras?

"Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus. Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai." (Fp 4:6-8).

"Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória." (Cl 3:1-4).

A continuação da passagem de 2 Tessalonicenses fala do que virá para a terra DEPOIS do arrebatamento da Igreja; depois que o Espírito Santo que hoje resiste ao anticristo for tirado daqui.

"... e então será revelado o iníquo [anticristo], a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda; a esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira [como os dos pregadores da TV], e com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. E por isso Deus lhes enviará a operação do erro [ou poder sedutor ou operação de engano], para que creiam a mentira; para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniquidade." (2 Ts 1:8-12).

Quando a Palavra diz que Deus enviará essa operação do erro para que creiam na mentira os que não deram ouvidos à verdade, está falando dos que se recusaram a crer em Cristo e no evangelho que escutaram no atual tempo da graça. Grande parte do mundo islâmico, budista, hinduísta etc. não terão tido essa chance de ouvir, portanto para esses haverá ainda a possibilidade de se converterem ao evangelho do Reino que será anunciado pelos "pequeninos irmãos" do Senhor, o pequeno remanescente de judeus convertidos. Mas a mesma sorte estará vedada aos cristãos nominais que só diziam crer da boca para fora. Estes irão obrigatoriamente crer na mentira porque Deus fará que creiam assim.

Agora veja como o apóstolo Paulo conclui seu pensamento e tente achar alguma gota de terrorismo psicológico nestas palavras e não conseguirá:

"Mas devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do Senhor, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé da verdade; para o que pelo nosso evangelho vos chamou, para alcançardes a glória de nosso Senhor Jesus Cristo. Então, irmãos, estai firmes e retende as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa. E o próprio nosso Senhor Jesus Cristo e nosso Deus e Pai, que nos amou, e em graça nos deu uma eterna consolação e boa esperança, console os vossos corações, e vos confirme em toda a boa palavra e obra." (2 Ts 2:13-17).

Portanto, a ordem dos eventos é: Cristo vem buscar sua Igreja no arrebatamento, que nada tem a ver com o "dia de Cristo" quando ele virá para julgar as nações. Com a saída da Igreja e do Espírito Santo da terra, o mal fica livre para agir e o anticristo é manifestado, vindo depois a grande tribulação, da qual os verdadeiros salvos não sentirão sequer o cheiro. O Senhor mesmo prometeu: "Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra." (Ap 3:10).

Quer mesmo treinar seus filhos do modo como a Bíblia ensina? Então dirija seus olhares para Cristo e eles saberão como se comportar quando passarem por qualquer dificuldade e provas aqui. A impressão que dá nessas pregações aterradoras é que o pregador está querendo ensinar o cristão a salvar a própria vida e de sua família. Mas será isso que devemos temer? "Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma" (Mt 10:28), disse Jesus.

Atos 11 nos fala da perseguição que se abateu sobre os primeiros cristãos e eles efetivamente fugiram dos perseguidores, mas em sua fuga eles levaram o evangelho por onde quer que passavam. "A mão do Senhor estava com eles, e muitos, crendo, se converteram ao Senhor" (At 11:21). Barnabé corre lá para ajudar tanto os novos convertidos como os que lhes pregaram o evangelho, e o que lhes diz em face da perseguição que crescia? Aprendam artes marciais, comprem armas, estoquem alimentos?

Não, "tendo ele chegado e, vendo a graça de Deus, alegrou-se e exortava a todos a que, com firmeza de coração, permanecessem no Senhor." (At 11:23). A segurança do crente não está em técnicas de preparo ou enfrentamento da perseguição; sua segurança está em permanecer firme no Senhor. Em 2 Crônicas 12:14 a crítica feita a Roboão não foi apenas por ele fazer "o que era mau", pois isto era consequência de outra coisa: "Não preparou o seu coração para buscar ao Senhor". Quanto àqueles que pregavam o evangelho em meio à perseguição, viram seu fruto porque estavam mais preocupados com a glória do Senhor e seu testemunho, do que em salvarem a própria pele: "E muita gente se uniu ao Senhor" (At 11:24).

Podemos nos preparar e à nossa família para muitas coisas, mas de nada valerá se não estivermos preparados para buscar o Senhor em qualquer situação. E as perseguições? Bem, elas estavam previstas, não estavam? O Senhor não disse que seríamos odiados como ele foi, perseguido como ele foi? "Se alguém vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. E qualquer que não levar a sua cruz, e não vier após mim, não pode ser meu discípulo." (Lc 14:26-27). Levar a cruz não tem nada a ver com peregrinação com uma cruz nas costas, mas tomar sobre si o sinal de morte.

Fique agora com as palavras de Pedro que demonstram que não há nenhuma novidade nisso, e sim motivo de alegria. Pedro faz também distinção entre o sofrimento que passamos segundo a vontade de Deus e aquele que vem por desobediência. Prepare seus filhos para viverem segundo a vontade de Deus e acatarem qualquer prova que vier de Deus e eles serão cristãos tranquilos vivendo neste mundo sem sobressaltos, não esperando pela vinda do anticristo, mas pelo encontro com Cristo nos ares.

"Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse; mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis. Se pelo nome de Cristo sois vituperados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus; quanto a eles, é ele, sim, blasfemado, mas quanto a vós, é glorificado. Que nenhum de vós padeça como homicida, ou ladrão, ou malfeitor, ou como o que se entremete em negócios alheios; mas, se padece como cristão, não se envergonhe, antes glorifique a Deus nesta parte. Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus; e, se primeiro começa por nós, qual será o fim daqueles que são desobedientes ao evangelho de Deus? E, se o justo apenas se salva, onde aparecerá o ímpio e o pecador? Portanto também os que padecem segundo a vontade de Deus encomendem-lhe as suas almas, como ao fiel Criador, fazendo o bem." (1 Pe 4:12-19).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana