As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Por que Deus reprovou os amigos de Jo'?



https://youtu.be/qH5vgV_nlqs

Você pergunta por que Deus teria reprovado os amigos de Jó, considerando que eles falaram tantas coisas boas que até podem ser úteis para nossa vida. Deus reprovou os amigos de Jó porque estavam errados, apesar de existirem algumas verdades misturadas a mentiras em seus discursos.

Os amigos de Jó e seus discursos são exemplos típicos das religiões e filosofias humanas, que trazem muitas verdades, porém apenas camuflando mentiras em seu bojo. Jó conhecia a Deus, mas seus três amigos não. Os argumentos do primeiro amigo, Elifaz, são baseados em sua experiência pessoal, e ele próprio revela isso: “Segundo eu tenho visto…” (Jó 4:8). Por mais que nossas próprias experiências possa ajudar a outros em alguns casos, devemos sempre ter em mente que elas nem sempre são conforme a vontade de Deus expressa em sua Palavra.

Outro amigo, Bildade, sugere que Jó recorra à tradição dos homens, ao dizer: “Indaga, pois, eu te peço, da geração passada, e considera o que seus pais descobriram.” (Jó 8:8). Muitas religiões e filosofias são construídas em cima da cultura e das tradições da humanidade, e isso impregnou até mesmo a cristandade. Quem já passou por alguma denominação cristã católica ou protestante sabe o quanto de práticas existem baseadas em tradições de homens que não têm qualquer amparo bíblico. O próprio Jesus repreendia os religiosos de seu tempo, dizendo:

"Por que transgredis vós, também, o mandamento de Deus pela vossa tradição?... Assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus. Hipócritas, bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: 'Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim. Mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens." (Mt 15:3-9).

Finalmente o terceiro amigo, Sofar, baseia seus argumentos na religião convencional, que é a tentativa de auto aperfeiçoamento para ser aceito por Deus, e diz: “Se tu preparares o teu coração, e estenderes as mãos para ele [Deus]…” (Jó 11:13). Talvez neste ponto você possa perguntar como a Bíblia pode ser chamada de Palavra de Deus se ela contém conselhos errôneos como os que esses homens deram a Jó.

É preciso entender que não saberíamos das coisas que esses homens disseram se o Espírito Santo de Deus não as tivesse revelado aos profetas, portanto como é Deus quem está nos contando o que disseram aqueles homens, esta porção das Escrituras também é Palavra de Deus. Até mesmo o que o diabo disse a Eva no Jardim do Éden chegou ao nosso conhecimento pela Palavra de Deus revelada a Moisés, que a escreveu.

Por isso é preciso sempre discernir na Bíblia quem disse algo, com que objetivo, quando, em que circunstâncias etc. Desta maneira você saberá manejar bem a Palavra da Verdade, como escreveu Paulo em 2 Timóteo 2:15. Com discernimento e oração podemos ter a Palavra de Deus como nosso guia e o próprio Senhor para nos guiar.

E você, qual é o seu abrigo? A que ou a quem você recorre no dia da angústia? Será que você se abriga na experiência humana, na tradição, na religião ou nos braços do Salvador? Jó, apesar de suas muitas falhas, sabia que podia encontrar refúgio na presença do Senhor. Por isso, apesar de seus defeitos e falhas, ele é consolado por Deus e seus amigos, com toda sua experiência, tradição e religiosidade, acabaram repreendidos.

por Mario Persona


Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)


Mais acessadas da semana