As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

Todos no tempo de Noe' tiveram chance de ouvir?



https://youtu.be/ljFpyUfw6n0

Você pergunta se teriam existido pessoas que morreram no dilúvio sem conhecer Noé e sem saber do verdadeiro Deus. Se não ouviram os avisos de Noé, como saberiam da salvação? A passagem de 1 Pedro diz que Cristo pregou, através de Noé, aos espíritos das pessoas que morreram naquele dilúvio e agora se encontram aprisionadas no hades aguardando a sentença do Grande Trono Branco.

"Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito; no qual [Espírito] também foi, e pregou aos espíritos [agora] em prisão; os quais noutro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água" (1 Pe 3:18-20).

O Espírito de Cristo estava em Noé enquanto este avisava do juízo que iria cair sobre a terra. Noé fez isso durante 120 anos, pois foi esse o prazo que Deus havia dado para os homens se arrependerem: "Então disse o Senhor: Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem; porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos." (Gn 6:3). Mas se Noé precisou se ocupar com a construção da arca, como poderia ter tempo de sair pelo mundo pregando? Como poderia ter avisado todas as pessoas? Se Deus diz que foram avisados, então não tenho problema com isso.

Mas se quiser deixar o problema ainda mais complexo, que tal pensar na população do planeta na época? Encontrei em um site um cálculo que aponta para um número astronômico: 10 trilhões de habitantes! Mas ele leva em consideração estimativas atuais de crescimento populacional. Ainda que as pessoas tivessem uma constituição para viver na casa das centenas de anos, não dá para estipular a expectativa de vida de cada um, pois não sabemos a que perigos de pestes e epidemias estavam sujeitos, além de certamente estarem em um mundo onde o nível de criminalidade faria nossas cidades mais perigosas parecerem jardim da infância.

Acredito que a taxa de mortalidade era infinitamente superior a qualquer estimativa moderna, pois, além das doenças, "a terra... estava corrompida diante da face de Deus; e encheu-se a terra de violência." (Gn 6:11). Um cálculo mais correto seria estimar a população levando em conta o índice de mortalidade do bairro mais violento do planeta, e ainda assim elevar isso à enésima potência considerando que era um planeta habitado também por seres híbridos descendentes de anjos caídos. Em nossas Bíblias eles são chamados de "gigantes", mas palavra hebraica usada para identificá-los é nefilim, originada de nefal, que significa "ele caiu", e que pode ser traduzida como "tirano". Então poderiam ou não serem homens de grande estatura, mas certamente tinham grande poder e eram capazes de coisas que um ser humano comum não seria capaz.

"E aconteceu que, como os homens começaram a multiplicar-se sobre a face da terra, e lhes nasceram filhas, viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram... Havia naqueles dias gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama. E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente." (Gn 6:1-5).

A Bíblia chama os anjos de "filhos de Deus" justamente em seu livro mais antigo, o Livro de Jó (Jó 1:6; 2:1; 38:7). A rigor, o conceito de "filho de Deus" segundo a Bíblia é apenas daqueles que vêm diretamente por Deus, por isso Adão é também chamado de filho de Deus na genealogia de Jesus (Lc 3:38) por ter vindo direta mente de Deus. Jesus é Filho de Deus, porém não como um ser criado por Deus, mas por ser uma das três Pessoas divinas e eternas que compõem a Trindade. Todavia, em sua humanidade, el foi gerado pelo Espírito Santo no ventre de Maria, portanto nascido de Deus neste mundo. Finalmente, além de Jesus, dos anjos e de Adão, somente os que agora creem em Jesus trazem esse título de filhos de Deus. "A todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. (Jo 1:12-13).

Portanto esqueça a ideia de que todos os seres humanos são filhos de Deus porque não são. Adão era filho de Deus, criado diretamente por ele, nós somos apenas "do sangue... da vontade da carne... da vontade do homem", a menos que tenhamos a nova vida que recebe todo aquele que nasce de novo pelo poder da Palavra de Deus aplicada pelo Espírito na alma.

A mitologia de diferentes povos da terra é cheia de lendas sobre seres poderosos que seriam mescla de deuses e homens. Os gregos tinham seus semideuses que há muito tempo foram adotados por Hollywood. Quem nunca assistiu a filmes com Hércules, Perseu, Aquiles e outros? Ou o mais recente Thor, das lendas nórdicas? Os semideuses eram divinos e mortais ao mesmo tempo. Os gregos são os mais conhecidos, mas os egípcios também acreditavam em uma linhagem híbrida, fruto da cópula entre deuses e mulheres. A mitologia hindu, inca, chinesa, nórdica e de praticamente todo o planeta é povoada deste conceito de "quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama" (Gn 6:4).

Junte tudo o que falei até aqui e você já pode imaginar um mundo pré-diluviano como algo parecido com o cenário de "Senhor dos Anéis", com seres que teriam capacidades e poderes que hoje só acreditaríamos ser fruto da imaginação de um autor de ficção. Pense nos poderes satânicos utilizados pelos magos de Faraó para imitar o poder de Deus — exceto na criação de vida na forma de piolhos — e você já pode imaginar de que esses "valentes que houve na antiguidade, os homens de fama" eram capazes com seu DNA de anjos caídos mesclado ao das mulheres que tomaram. Minha imaginação voa, mas devo parar por aqui porque não temos subsídios para saber em detalhes como seria a vida em um planeta assim e sua população. Mas certamente eu não gostaria de ter vivido ali, e acredito que você também não, a menos que curta viver cercado de seres malignos com poderes sobrenaturais.

Voltando à questão de Noé ter ou não conseguido avisar a todos, Deus sempre deixou claro que os homens são inescusáveis, pois sempre foram avisados. Portanto podemos descansar no fato de que se Deus disse que foram avisados, então foram avisados. "Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos." (Rm 1:19-22).

E se Deus diz que os homens são inescusáveis e serão julgados com justiça é porque ninguém poderá se eximir da própria culpa de não ter prestado atenção à comunicação que Deus fez, ou através da natureza, ou de seus servos, ou até mesmo pela própria consciência. "Porquanto estabeleceu um dia em há de julgar o mundo com justiça" (Atos 17:31). "Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei; os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os; no dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens, por Jesus Cristo, segundo o meu evangelho." (Rm 2:14-16). 

Embora nem todos possam ter ouvido diretamente da boca de Noé do terrível juízo que cairia sobre o mundo, as pessoas acabavam conversando sobre isso enquanto viam aquele enorme navio sendo construído. Lembre-se que a confusão de línguas só iria acontecer em Babel após o dilúvio, no capítulo 11 de Gênesis, portanto a comunicação da população antediluviana era mais fácil. Não sabemos os meios de comunicação que utilizavam na época, mas sabemos que não faz muito tempo as notícias corriam rapidamente via códigos enviados por fogueiras, luz e fumaça (a Grande Muralha da China tinha algo assim que fazia as notícias correram em toda a sua extensão rapidamente). Um grego, Enéas, inventou até mesmo um "telégrafo hidráulico"!

E agora volto a viajar na imaginação para pensar nas capacidades que poderiam ter tido aqueles seres híbridos, os semideuses, dotados de ciência, tecnologia e poderes satânicos dos quais não fazemos ideia. Enquanto você rumina tais pensamentos, tente responder: Quanto tempo Satanás teria levado para transportar Jesus do deserto a uma alta montanha e também ao ponto mais alto do Templo de Jerusalém? "E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo... Levou-o também a Jerusalém, e pô-lo sobre o pináculo do templo" (Lc 4:5-9).

Nada é impossível de ter existido no mundo antes do dilúvio se levarmos em conta essa raça híbrida de anjos caídos e humanos que surgiu em Gênesis 6. A miscigenação e corrupção da semente humana, da qual Deus prometeu que viria aquele que esmagaria a cabeça de Satanás, foi uma das razões do dilúvio, pois entendo que o propósito do diabo era o de contaminar a semente humana para impedir a vinda do Filho de Deus em carne. Existe muita literatura com especulações do que teria existido em termos de tecnologia no mundo anterior ao dilúvio, mas é difícil filtrar o que pode ter sido verdade, daquilo que é mera ficção. A arqueologia moderna não conseguiria trazer à tona se a tecnologia anterior ao dilúvio tiver sido baseada em madeira e outros materiais perecíveis que não deixaram ruínas.

Além disso, pense num mundo totalmente diferente deste em que hoje vivemos. Não havia chuva, "porque o Senhor Deus não fizera chover sobre a terra, e também não havia homem para lavrar o solo. Mas uma neblina subia da terra e regava toda a superfície do solo." (Gn 2:5-6). Com uma atmosfera saturada de vapor não dá para prever como podia ser viver em um mundo assim. Nos primeiros capítulos de Gênesis vemos os descendentes de Caim, a linhagem ímpia, inventando instrumentos musicais e tecnologia. É hoje impossível imaginar o nível tecnológico dos povos de então, que poderiam ter tecnologias de comunicação que desconhecemos. Digo isto porque o cataclismo que o dilúvio trouxe ao mundo é comparado por Pedro ao que virá no futuro. O objetivo de ambos foi e será o de destruir, não apenas os homens, mas todas as suas obras. Uma leitura atenta de 2 Pedro 35-10 mostra isso:

"Porque, deliberadamente, esquecem que, de longo tempo, houve céus bem como terra, a qual surgiu da água e através da água pela palavra de Deus, pela qual veio a perecer o mundo daquele tempo, afogado em água. Ora, os céus que agora existem e a terra, pela mesma palavra, têm sido entesourados para fogo, estando reservados para o Dia do Juízo e destruição dos homens ímpios... também a terra e as obras que nela existem serão atingidas."

Inicialmente acreditava-se que a escrita teria surgido entre os fenícios, porque foram os gregos que disseram isso. Mas hoje se sabe que os povos que habitaram na região da Romênia já sabiam escrever bem antes daqueles do Oriente Médio. Portanto não podemos ser ingênuos em pensar que um Noé capaz de construir um navio de 137 metros de comprimento todo de madeira seria analfabeto e que seus conterrâneos seriam incapazes de se comunicar pela escrita. Quando Moisés escreveu a frase "Este é o livro da genealogia de Adão" (Gn 5:1) ele poderia estar se referindo a um livro mesmo (ou pergaminho) que Deus lhe revelava como tendo existido.

Então podemos crer que todos foram avisados, se não diretamente por Noé, ao menos tiveram conhecimento pelos meios de comunicação da época, tanto por Noé como por meio de terceiros. Quando a Bíblia diz que no futuro o evangelho será pregado a todas as nações isso não significa um a um, mas que será tornado público. É como quando o governo faz uma lei e ela é publicada no Diário Oficial. Nenhum brasileiro poderá alegar desconhecer uma lei tornada pública, mesmo que nunca tenha lido o jornal.

De qualquer maneira, a atitude normal de quem conhece verdadeiramente a Deus é reconhecer que não há injustiça em todos os aspectos e maneiras de Deus agir. Por isso não se preocupe, pois só será condenado quem realmente merecer ser condenado.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana