As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

A submissão no casamento deve ser de ambos?



https://youtu.be/04K1i1-hAJQ

Segundo você, um pastor disse em um vídeo que a submissão no casamento deve ser mútua, e ele usou como base o texto de Efésios 5:21, e você gostaria de saber se tal afirmação seria correta. Talvez ele não entenda o que seja submissão e nem o princípio da autoridade. Jesus, o Filho de Deus, andou em submissão ao Pai, mas isso não fez dele um Deus menor, pois sempre foi tão Deus quanto o Pai e o Espírito Santo. Era apenas questão de ordem e posicionamento.

O versículo que ele citou foi Efésios 5:21: "Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus.". Se você ler o capítulo inteiro irá entender que este versículo é o último do assunto que ele estava tratando, que é o relacionamento entre irmãos no sentido geral. Neste sentido seria correto dizer que o Presidente deve andar em um espírito de submissão ao Vice-Presidente, o patrão ao empregado, o professor ao aluno, o pai ao filho etc. porque nessa parte o apóstolo está falando de relacionamento entre irmãos, não de ordem e autoridade. É o mesmo sentido de Filipenses 2:3: "Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo.".

Porém no texto de Efésios o apóstolo começa outro assunto a partir do versículo 22, que é o da relação no casamento, e logo de cara diz: "Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor; porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos." (Ef 5:22-24).

Repare que agora não é o caso de uma atitude de respeito mútuo ou de uma submissão genérica entre cristãos, mas da relação de autoridade entre marido e mulher que é uma figura da relação de autoridade existente entre Cristo e a Igreja. Ou será que o tal "pastor" acha também que Cristo deveria se sujeitar à Igreja, que deveria obedecer o que os cristãos o mandassem fazer?

Mas antes que algum marido mais apressado estufe o peito achando que isso lhe dá carta branca para oprimir sua esposa, a continuação mostra que sua tarefa é muito mais difícil (eu diria impossível até para o homem natural) do que a responsabilidade da mulher. Porque se a ela foi dito para se submeter ao marido, a ele foi dito para amar a esposa como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela. Que tal, maridos, começarem a agir assim? "Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela." (Ef 5:25).

Recebi também outra dúvida semelhante a esta sobre a submissão da mulher, desta vez de alguém que ouviu uma "pastora" dizer que a palavra grega "hupotasso" usada em Efésio para dizer que as esposas devem se submeter aos seus maridos nunca teria significado obedecer ou colocar-se debaixo de uma autoridade. Segundo essa "pastora", a palavra teria o significado de uma "autoridade voluntária de ceder, cooperar, assumir responsabilidade, levar uma carga".

Considerando que isso saiu de uma suposta "pastora" nem seria preciso gastar muito tempo analisando tal afirmação, pois a Palavra de Deus é clara em indicar que essa mulher está em aberta desobediência. E se ela não se submete ao mandamento da Palavra de Deus, o que poderia querer ensinar sobre submissão?

Digo isto com base no que encontro em 1 Timóteo 2:11-14, que diz: "A mulher aprenda em silêncio, com toda a submissão. E não permito que a mulher ensine, nem exerça autoridade de homem; esteja, porém, em silêncio. Porque, primeiro, foi formado Adão, depois, Eva. E Adão não foi iludido, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão.".

O dicionário grego traz vários significados para "hupotasso", traduzido em algumas versões como submissão ou submeter-se, então cabe ao leitor da Bíblia buscar o contexto para saber qual o significado mais apropriado. O termo pode significar sujeitar-se, obedecer, submeter-se ao controle de alguém, render-se à admoestação ou conselho de alguém, obedecer ou estar sujeito. Pode também significar organizar as tropas sob o comando de um líder em um contexto militar, e no contexto não militar, como mencionou a tal "pastora", pode ser uma atitude voluntária de ceder, cooperar, assumir responsabilidade, e levar um carga.

Considerando que o termo pode ser visto por vários ângulos é preciso avaliar outras instâncias para ver a que se refere. Como já disse, considere que é a mesma palavra que aparece em Efésios 5:24: "De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos.".

Não faria qualquer sentido aplicar o sentido ditado por essa "pastora" para significar nossa sujeição como Igreja a Cristo, ou seja, querer afirmar que o termo "hupotasso... nunca quis dizer obedecer ou colocar-se abaixo de uma autoridade". Ela é que não entende o significado de "sujeição" ou "submissão" da mulher ao seu cabeça que é o homem, por também não entender o que é estar submissa ou sujeita a Cristo. Se entendesse não sairia por aí pregando e ensinando publicamente.

Não basta buscar o significado original de uma palavra isolada, pois pode ser traduzida de diversas maneiras como acontece com "hypotasso". Então o que se deve buscar é uma harmonia com o entendimento de outras passagens e aí fica muito claro que a submissão a que o termo se refere é colocar-se sob uma autoridade, obedecer a alguém hierarquicamente numa posição superior. Basta uma análise de outras passagens que falam da relação homem-mulher na ordem estabelecida por Deus para perceber que a "pastora" citada está enganada e enganando seus seguidores.

"E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele. Então o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar; e da costela que o Senhor Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão. E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada." (Gn 2:18-23).

"Portanto, deve a mulher, por causa dos anjos, trazer véu na cabeça, como sinal de autoridade. No Senhor, todavia, nem a mulher é independente do homem, nem o homem, independente da mulher. Porque, como provém a mulher do homem, assim também o homem é nascido da mulher; e tudo vem de Deus. Julgai entre vós mesmos: é próprio que a mulher ore a Deus sem trazer o véu?" (1 Co 11:10-13).

"E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará [governará]." (Gn 3:16).

"Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor; porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos." (Ef 5:22-24).

"Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido." (Ef 5:33).

"A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão. Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecer com modéstia na fé, no amor e na santificação." (1 Tm 2:11).

"Semelhantemente, vós, mulheres, sede sujeitas aos vossos próprios maridos; para que também, se alguns não obedecem à palavra, pelo porte de suas mulheres sejam ganhos sem palavra; considerando a vossa vida casta, em temor. O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura dos vestidos; mas o homem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus. Porque assim se adornavam também antigamente as santas mulheres que esperavam em Deus, e estavam sujeitas aos seus próprios maridos; como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor; da qual vós sois filhas, fazendo o bem, e não temendo nenhum espanto." (1 Pe 3:1-6).

Mas não espere que estas verdades sejam aplaudidas e populares numa época de ruína do testemunho cristão. A verdade também não era aceita ou apreciada nos tempos de ruína de Israel, e assim como aconteceu com aquele povo em seu declínio, acontece hoje com a Igreja. Dos hebreus Isaías declarou:

"Povo rebelde é este, filhos mentirosos, filhos que não querem ouvir a lei do Senhor. Eles dizem aos videntes: Não tenhais visões; e aos profetas: Não profetizeis para nós o que é reto; dizei-nos coisas aprazíveis, profetizai-nos ilusões; desviai-vos do caminho, apartai-vos da vereda; não nos faleis mais do Santo de Israel." (Is 30:9-11).

Portanto não é de admirar que também nestes últimos dias da cristandade o desejo do povo é por falsos profetas e profetizas que falem coisas boas, motivadoras, que ajudem a inflar o ego, deem sensação de empoderamento e sejam de acordo com o "politicamente correto". Isso já estava previsto pelo Espírito Santo, que revelou:

"Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios;  pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência... Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas, e exercita-te a ti mesmo em piedade... Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas." (1 Tm 4:1-2, 7; 2 Tm 4:3-4).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana