As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Deus usa seres malignos para cumprir seus propósitos?



https://youtu.be/EPvr3TsC1IY

Você escreveu perguntando "por que, exceto no livro de Jó, todos os acontecimentos negativos no Antigo Testamento eram feitos diretamente pelo Pai e nunca descritos como tendo a influência de Satanás". Não sei se entendi direito sua dúvida, mas em sua pergunta já existem alguns equívocos.

No Antigo Testamento Deus não se revela como Pai, como você mencionou. Lá você encontra Elohim, que é o Deus triúno, e Jeová, que é Jesus, o Filho, em seu relacionamento com os homens. Mas existem sim outras passagens no Antigo Testamento em que Deus usa entidades malignas para cumprir seus desígnios. Eis algumas:

"E o Espírito do Senhor (Jeová) se retirou de Saul, e atormentava-o um espírito mau da parte do Senhor (Jeová)." (1 Sm 16:14).

"E disse o Senhor (Jeová): Quem induzirá Acabe, para que suba, e caia em Ramote de Gileade? E um dizia desta maneira e outro de outra. Então saiu um espírito, e se apresentou diante do Senhor (Jeová), e disse: Eu o induzirei. E o Senhor (Jeová) lhe disse: Com quê? E disse ele: Eu sairei, e serei um espírito de mentira na boca de todos os seus profetas. E ele disse: Tu o induzirás, e ainda prevalecerás; sai e faze assim. Agora, pois, eis que o Senhor (Jeová) pôs o espírito de mentira na boca de todos estes teus profetas, e o Senhor (Jeová) falou o mal contra ti." (1 Rs 22:20-23).

"E os servos do rei Ezequias foram ter com Isaías. E Isaías lhes disse: Assim direis a vosso senhor: Assim diz o Senhor: Não temas à vista das palavras que ouviste, com as quais os servos do rei da Assíria me blasfemaram. Eis que porei nele um espírito, e ele ouvirá um rumor, e voltará para a sua terra; e fa-lo-ei cair morto à espada na sua terra." (Is 37:5-7).

Mas não é apenas no Antigo Testamento que vemos esse uso de entidades malignas da parte do Senhor. Se formos para o Novo Testamento veremos o Senhor Jesus dando uma ordem direta a Judas, que naquele momento estava possuído por Satanás, para levar adiante o plano que trazia em seu coração, que era o de trair o Senhor.

"E, inclinando-se ele sobre o peito de Jesus, disse-lhe: Senhor, quem é? Jesus respondeu: É aquele a quem eu der o bocado molhado. E, molhando o bocado, o deu a Judas Iscariotes, filho de Simão. E, após o bocado, entrou nele Satanás. Disse, pois, Jesus: O que fazes, faze-o depressa." (Jo 13:25-27).

Apesar de ter vindo em carne e na forma de Servo, Jesus não deixou de ser Deus e de ter autoridade sobre todos os seres espirituais, do bem e do mal. Por isso nós o vemos repreender Satanás, algo que homem algum, e nem sequer o arcanjo Miguel, tem autoridade para fazer. "Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda." (Jd 1:9). Quando Pedro foi influenciado pelo diabo, Jesus usou dessa autoridade: "Retira-te de diante de mim, Satanás; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas as que são dos homens." (Mc 8:33).

Satanás sempre esteve e está debaixo da autoridade de Deus e não pode fazer nada sem antes pegar um carimbo de autorização no céu, como vemos nos capítulos 1 e 2 do livro de Jó. Isso também encontramos nos tempos apostólicos, quando os apóstolos tinham poder de entregar um mau cristão a Satanás para a destruição da carne, isto é, para que fosse morto e deixasse de ser um estorvo para o testemunho. Ananias e Safira foram assim e o homem de 1 Coríntios 5 teria morrido caso não se arrependesse e mudasse. Mas em no segundo capítulo de 2 Coríntios temos pistas de que ele teria se arrependido e escapado da punição.

Apenas os apóstolos tinham esse poder de entregar alguém a Satanás por aquilo que fosse "pecado para morte". Mas mesmo sem a intervenção dos apóstolos sabemos que a disciplina de Deus vinha sobre os cristãos, pois em 1 Co 11:29-32 vemos falar de "muitos fracos e doentes, e muitos que dormem", isto é, que tinham morrido por sua negligência para com as coisas do Senhor.

Juntando tudo, vemos que o Senhor usou Satanás no caso de Jó e usa nos casos de pecado para morte, e a finalidade está em 1 Coríntios 5:5 "Seja entregue a Satanás para destruição da carne, para que o espírito seja salvo no dia do Senhor Jesus.". Então podemos dizer que o Senhor usa Satanás para salvar, não exatamente do pecado e da condenação eterna, mas de nós mesmos.

Isto não tem nada a ver com a doutrina maligna professada pelo Adventismo do Sétimo Dia e outras religiões que interpretam o "bode emissário" de Levítico 16 como se fosse uma figura de Satanás levando embora nossos pecados. Isso é um erro grave, pois faz do diabo um coadjuvante de nossa salvação eterna. A verdade é que os dois bodes daquele capítulo representam dois aspectos da mesma obra de Cristo na cruz.

Mas não é de salvação eterna que estou falando aqui, mas de sermos salvos de nós mesmos de nosso orgulho, de nossos desvios e mau testemunho neste mundo. Jó precisava ser salvo de si mesmo, então Deus usou Satanás. Paulo, em vista do cabedal de revelações que recebeu quando arrebatado ao terceiro céu, precisava ser salvo de si mesmo, de se orgulhar e se exaltar, então Deus usou Satanás para colocar nele um "espinho na carne, mensageiro de Satanás". (2 Co 12:7).

Portanto, no Novo Testamento você também encontra Satanás agindo contra os salvos, mas como um instrumento designado pelo Senhor e para disciplina dos filhos de Deus e salvação de si mesmos, seja pelo sofrimento, doença ou morte. Mas, como aprendemos bem dos capítulos 1 e 2 de Jó, Satanás nunca pode ultrapassar os limites impostos por Deus na aplicação de algum mal aos que são do Senhor.

É neste sentido que Isaías diz que o Senhor cria o mal, não que tenha criado o mal em sua essência, mas que eventualmente traz o mal conforme seus desígnios e com um objetivo em mente, e para isso pode usar homens e seres espirituais, como é o caso do diabo, seus anjos e demônios. "Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o Senhor (Jeová), faço todas estas coisas." (Is 45:7).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana