fonte

Como deve ser o jejum e a oração?



https://youtu.be/3X8QZL-lyfM

Eu vim aqui falar de um assunto que acho importante neste momento. Eu andei escutando muita gente falar sobre jejum e oração esses dias e pensei que eu poderia falar algo para esclarecer algumas coisas a esse respeito, uma vez que existe muita informação equivocada sobre o que seriam jejum e oração. O que nós encontramos na palavra de Deus a respeito desses temas? Bom, o que vou falar aqui vai contra o senso comum, já que todos pensam: Que mal existe em jejuar e orar? Não é isso o que Deus realmente quer das pessoas? Afinal, em todas as religiões as pessoas jejuam e fazem orações. Sim, é isso mesmo: em todas as religiões.

Mas o que eu vou falar é a respeito do que diz o cristianismo, a Bíblia. Entenda: cristandade é uma coisa, cristianismo é outra. Alguém definiu o cristianismo como sendo a neve pura que desce do céu, branquinha, limpa, bonita e cristandade é o que acontece quando essa neve pura entra em contato com a terra, com o mundo: Ela se transforma em uma lama. E é isso que vemos hoje basicamente na cristandade, que é o grande conjunto da profissão cristã. Então, tendo este cuidado, o que eu vou falar não é sobre o costume da cristandade que diz que temos que orar e jejuar.

Será que é assim que o Senhor Jesus faria em uma situação como essa em que nós estamos passando? O coronavírus, claro, é uma situação horrível, delicada e um problema muito difícil; embora eu particularmente acredite que Deus permite situações assim para chamar a atenção das pessoas a se converterem a Cristo. Ele fez isso várias vezes na história. Nós vemos ao longo da Bíblia, por exemplo, com faraó, quando Deus causou todas aquelas pragas, mas sempre no desejo de que existisse arrependimento e conversão. Ou ainda quando Deus mandou seu servo Jonas pregar contra Nínive, cidade que Ele iria destruir caso seus habitantes não se arrependessem. Nínive arrependeu-se! Quando Deus traz alguma situação difícil para nós, devemos entender que Ele quer falar alguma coisa. E nem sempre, cessar a situação ruim é a vontade de Deus, apesar de Ele poder fazer isso num estalar de dedos.

Mas, o que basicamente vemos na Bíblia? O que deveria nos meter medo?

Eu me dirijo agora a todos aqueles que não têm a certeza do que vai acontecer com eles, caso sejam atingidos pela infecção do coronavírus e venham a morrer. Se você não sabe ainda o que vai lhe acontecer caso morra, então você está com um problemão muito maior do que esta atual crise, ou a falta de emprego, passar fome, etc. Porque a Bíblia fala que “aos homens está determinado morrerem uma vez, e depois disso o juízo”. Se você sair daqui com os seus pecados não perdoados, você entra na presença de Deus e nunca mais sai; porque dali não há mais escapatória: Você vai ter que receber de Deus a sentença pelos seus pecados, que é a condenação eterna no lago de fogo. Eu não vou dourar a pílula aqui e falar que é uma coisinha pequena. Não! É muito sério.

Se você fizer uma busca na Bíblia eletrônica verá que quem mais falou de inferno, de lago de fogo, de condenação e de juízo, foi Jesus. Para você ver a seriedade do assunto. Ele próprio já veio aqui a este mundo para morrer em uma cruz e levar os pecados de todos aqueles que nele creem. E ele voltará, mas não como a primeira vez em que veio humilde e manso; mas voltará como juiz severo para matar os seus inimigos e condenar depois ao lago de fogo todos os incrédulos, todos que não creram nele, que não o receberam como Salvador e Senhor. Ele vai se a assenhorar de todo o universo, e eu espero que você esteja incluído nisso, caso contrário, o seu problema como eu disse, não é o coronavírus, mas o pecado.

O pecado original que está em você e que faz com que você peque, e esses pecados que você pratica serão todos anotados para o dia do juízo. Portanto, creia em Jesus agora como seu Salvador, receba dele o perdão dos seus pecados e a vida eterna. Ele mesmo disse: "Quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna. Não entrará em condenação ou em juízo, mas passou da morte para a vida”. Primeiro, antes de lavar as mãos para não pegar o coronavírus -  que é importante também, sem dúvida - creia em Jesus como seu Salvador; isso é mais importante do que lavar as mãos, que só serve para esta vida. Eu porém, estou falando em um remédio para a vida eterna.

Mas muito bem, vamos a Mateus 10:28, que diz o seguinte:

"Não temais aqueles que matam o corpo". Inclui-se aí, criminosos, bandidos, vírus, bactérias, doenças, “e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo”.

É esse que você tem que temer antes de tudo. Antes de você temer o vírus, tema aquele que pode condenar eternamente uma pessoa que ainda não pediu perdão pelos seus pecados e que pela fé em Jesus, creu que ele na cruz, pagou por todos os pecados para nossa salvação.

Outra coisa que é importante entender e que soará muito estranho para você: Devo eu, orar para que a solução seja resolvida, para que o mundo tenha um tempo de prosperidade, paz, sem doenças e sem problemas? Deveria eu fazer isso? Um evangélico disse que tem uma revelação de que o Brasil será o celeiro do mundo. Amigo, se você está esperando o Brasil ser o celeiro do mundo, você não está esperando Cristo voltar para te levar daqui! Essa é a promessa e a esperança do cristão; não é ficar aqui, em um mundo bonito e arrumadinho! Mas é ir embora. O evangelho não é uma missão de melhoria do mundo, mas uma missão de resgate para tirar do mundo aqueles que pertencem a Cristo. Essa é a boa notícia que nos é dada.

Mas vamos a João, ver o que Deus acha dessa ideia de orar pelo mundo. Em João 17:6 o Senhor Jesus está orando da sua derradeira hora, antes de partir para o Pai, de ser pregado em uma cruz e entregar sua vida para depois ressuscitar. “Manifestei o teu nome aos homens (ele está falando com o Pai) que do mundo me deste; eram teus, e tu mos deste, e guardaram a tua palavra. Agora já têm conhecido que tudo quanto me deste provém de ti; porque lhes dei as palavras que tu me deste; e eles as receberam, e têm verdadeiramente conhecido que saí de ti, e creram que me enviaste”.

Reparou como isso tem a ver com aquele versículo que eu citei, de João 5?

"Aquele que ouve a minha voz e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida."

Aí ele diz o seguinte no versículo 9 de João 17: “Eu rogo por eles; (pelos que creram em Jesus), não rogo pelo mundo. Anotou aí? O Senhor Jesus, quando estava aqui na terra, não orava pelo mundo, não orava por essa esfera da humanidade para que ela resolvesse ou tivesse seus problemas resolvidos. É estranho, mas ele não orava.

"Não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. E todas as minhas coisas são tuas, e as tuas coisas são minhas; e neles sou glorificado. E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós. Estando eu com eles no mundo, guardava-os em teu nome. Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, (Judas) para que a Escritura se cumprisse. Mas agora vou para ti, e digo isto no mundo, para que tenham a minha alegria completa em si mesmos. Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou.”

Por que o mundo os odiou? Ele explica depois: "Porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. Não são do mundo, como eu do mundo não sou. Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo. E por eles me santifico a mim mesmo, para que também eles sejam santificados na verdade."

E em seguida, ele fala de mim. Sim, fala de mim e de você também! Não estava falando apenas daqueles discípulos que estavam andando com ele aqui no mundo: "E não rogo somente por estes (aqueles que estavam junto com ele) mas também por aqueles que pela tua palavra hão de crer em mim; para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.”

Resumindo: o Senhor Jesus não orava pelo mundo; ele orava pelos que são do Pai; por aqueles que creem na palavra dele, por aqueles que se converteram a ele, que o receberam como Salvador e Senhor. E o Senhor continua intercedendo por esses agora lá no céu; não pelo mundo, pois este o rejeitou. O mundo virou as costas para ele, pregou o Senhor da glória em uma cruz. Ele vai orar pelo mundo? Não, ele vai deixá-lo seguir o seu curso até que venha o dia do juízo, o dia da reparação de todas as coisas.

Mas, alguém pode perguntar:

— E o incrédulo, quando ora a Deus para resolver os problemas?

— Deus não escuta o incrédulo, a menos que ele esteja orando a Deus por salvação; quando está desesperado, e quer ter os seus pecados perdoados, e pede a Deus ou a Cristo por salvação. Porque só existe um mediador entre Deus e os homens, é o que a Bíblia diz: Jesus Cristo, homem! Se alguém não faz um pedido através de Jesus, reconhecendo quem ele é, essa oração não chega a Deus. Sim, eu sei que é estranho falar isso, mas eu avisei no começo que eu não ia falar aquilo que a cristandade ensina, mas o que está na palavra de Deus.

Outra passagem também em João 16:24, Jesus diz aos seus discípulos:

"Até agora nada pedistes em meu nome”, porque ele ainda não tinha ensinado a seus discípulos pedir as coisas ao Pai em seu próprio nome) "pedi, e recebereis, para que o vosso gozo se cumpra”.

— Então agora ficou fácil! Quer dizer que eu pedindo, fazendo uma oração em nome de Jesus, o Pai vai atender?

Calma, não vá com tanta pressa! Tiago 4:1 diz o seguinte:

"De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis. Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites. Adúlteros e adúlteras não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus”.

— Quero pedir simplesmente que todos sejam livres do corona vírus!

Mas, para quê? Para continuar vivendo como sempre viveram? Neste momento, tem gente praticando atentado terrorista à bomba, lá no Oriente Médio. Você acha que ele está preocupado com coronavírus? Ele quer é fincar uma bandeira e ocupar seu território, quer ser parte deste mundo, não quer sair daqui. Então, isso é muito importante, não é apenas uma questão de pedir. O Senhor fala em outro versículo em uma das cartas de João, que tudo aquilo que pedirmos segundo a Sua vontade, nós recebemos. Mas, como você vai saber a vontade de Deus, se você nem sequer crê em Cristo como seu Salvador, se você nem sequer anda em comunhão com Deus para escutá-lo, para saber o que ele está dizendo para você pedir consoante a própria vontade de Deus? Percebe?

O meu pai tinha um costume muito interessante e minhas irmãs e eu conhecíamos bem o jeito dele. Quando ele estava conversando com alguém, e nós estávamos do lado; se a pessoa contasse alguma história que estava na cara que era mentira, ou era um absurdo, ou o cara estava querendo se gabar, meu pai com a cara mais séria do mundo,  fungava. Quando ele dava essas puxadas no nariz, sabíamos que ele estava mandando uma mensagem para nós não acreditarmos naquele cara; era balela, conversa mole dele. Quando meu pai olhava para mim, eu já sabia o que ele queria dizer.

Assim é com toda criança que tem uma boa comunhão com seu pai, ela sabe; basta uma olhada, não precisa nem falar. O Senhor Jesus no Salmo, fala: "Guiar-te-ei com os meus olhos”. Para não precisar ser que nem o cavalo, o jumento que precisa de cabresto para poder virar para cá e para lá. Deus quer guiar você e eu com o olhar dele. Para receber o que pede em oração, você precisa estar em comunhão com Deus. Precisa estar pertinho dele para escutar a Sua voz na Sua palavra; para saber qual é a vontade dele e orar então, segundo a vontade de Deus.

Uma outra passagem que estão usando muito nesta crise, pelas redes sociais, está em 2 Crônicas 7:12. Salomão tinha acabado de construir o templo de Deus. Entenda o seguinte: só existe um templo de Deus no mundo! Aquela coisa na esquina que você chama de igreja, não é templo de Deus, ok? A igreja é a reunião dos salvos; é um conjunto de pessoas, não é um edifício de pedras, tijolos, com sino, uma torre e uma cruz no topo. Isso não é igreja. Pode ser um templo no sentido humano da palavra, mas não é o templo de Deus. O único templo de Deus, é aquele que Ele próprio mandou que fizessem em Jerusalém e Salomão o construiu. Não tem cruz em cima, não tem sino, nada disso; aquele sim, era o templo de Deus, o lugar de Sua habitação na Terra. Hoje,  nesta atual dispensação, Deus permitiu que o templo fosse demolido e raspado, para não ficar nada a não ser o muro de arrimo que segura o aterro do templo. Esse ainda está lá e é ali que os judeus oram, pensando que dali Deus os escuta. Não está! Pois eles estão em rebeldia contra Deus.

Teve até um caso de um jornalista que perguntou para um velhinho que estava lá:

— Você está orando para esse muro?

— A vida inteira eu passei orando aqui. — Respondeu o homem.

— E como você se sente? — Perguntou o jornalista.

— Como se eu estivesse falando com uma parede.

Claro, porque Deus não recebe os pedidos que ele faz naquele muro; Deus não está mais ali. Hoje, o templo de Deus é cada um que crer em Cristo como Salvador, porque é feito templo do Espírito Santo de Deus. E o templo de Deus é também a Igreja, que é a casa de Deus na Terra, o conjunto dos salvos; não é mais um edifício de pedra. O Senhor Jesus falou para a mulher samaritana: vocês adoram aqui ou ali, nós adoramos nesse monte, mas vem hora e agora é, que cada um adorará a Deus em espírito e em verdade. Não será mais em Jerusalém, ou no monte, ou qualquer outro lugar.

Só abri esse parêntese para explicar que o templo que Deus ordenara construir, Salomão o fez e ele tinha acabado de ser construído nesse momento que vamos ler agora:

“E Salomão santificou o meio do átrio, que estava diante da casa do Senhor; porquanto ali tinha ele oferecido os holocaustos e a gordura dos sacrifícios pacíficos; porque no altar de metal, que Salomão tinha feito, não podia caber o holocausto, e a oferta de alimentos, e a gordura. E, assim, naquele mesmo tempo celebrou Salomão a festa... (vou passar um pouco mais para frente agora)... Assim Salomão acabou a casa do Senhor, no versículo 11.... E a casa do rei, e tudo quanto Salomão intentou fazer na casa do Senhor e na sua casa prosperamente o efetuou. E o Senhor apareceu de noite a Salomão, e disse-lhe: Ouvi a tua oração, e escolhi para mim este lugar para casa de sacrifício”. 2 Crônicas 7:11-12.

Então, se você acha que aquilo ali na esquina, é um templo de Deus, dê uma olhada lá e verifique se eles estão matando animais, derramando sangue; porque isso era o que acontecia no templo de Deus. Ali havia sacrifício de sangue. Claro que ninguém está fazendo isso, não é?

“O Senhor apareceu de noite a Salomão, e disse-lhe: Ouvi a tua oração, e escolhi para mim este lugar para casa de sacrifício. Se eu fechar os céus, e não houver chuva; ou se ordenar aos gafanhotos que consumam a terra; ou se enviar a peste entre o meu povo”... (seja ela, Coronavírus, H1N1, não importa)... “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. Agora estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração deste lugar”.

Entendeu? De que lugar a oração seria feita? Desse lugar, do templo de Deus na terra.

“Porque agora escolhi e santifiquei esta casa, para que o meu nome esteja nela perpetuamente; e nela estarão fixos os meus olhos e o meu coração todos os dias”. 2 Crônicas 7:15.

Ele vai falar mais vezes, depois em outras passagens, que as orações dirigidas àquela casa, Deus escutaria. Porém, isso não era para o cristão, mas para os judeus. O povo que era identificado pelo nome do Senhor, pelo nome de Jeová, no Antigo Testamento, era o judeu, não os cristãos. Logo, não existe um templo hoje para você orar. É uma bobagem muito grande falar que precisamos abrir os templos, porque as pessoas precisam disso. Abrir templos? A não ser que você faça uma cesárea em alguma mulher crente, aí sim, você estará abrindo o templo! Pois hoje, o corpo do crente é o templo do Espírito Santo e isso está muito claro na doutrina que foi dada aos apóstolos. Então, esqueça por exemplo, orar virado para Jerusalém, como Daniel fazia muito corretamente, no tempo em que esteve no exílio em Babilônia, quando abria a janela e orava virado para Jerusalém, naquele tempo sim, Deus havia ordenado. Porque em Jerusalém estava a casa de Deus e o templo do Senhor.

Eu falei da oração, certo? “Agora estarão abertos os meus olhos, e atentos os meus ouvidos a oração deste lugar”; o Senhor Jeová que é Jesus no Antigo Testamento, falou isso. Aquele lugar que estava ali na terra, naquele tempo.

Mas, e o jejum? Bom, o primeiro jejum que Deus exige de qualquer pessoa não é de arroz e feijão, mas sim jejum daquela coisa que é a última que morre no ser humano: a vaidade! Tiago fala que oramos mal e não recebemos porque oramos errado, oramos para satisfazer os nossos próprios desejos; para sermos alguém; para conseguirmos algo e isso é vaidade. O próprio Salomão no tempo do arrependimento e confissão, fala: vaidade das vaidades, tudo é vaidade. Entre no Twitter e veja lá quanta vaidade: Um político brigando com outro; um reclamando do outro e o outro reclamando do um; e uma briga tremenda de vaidades, porque este sentimento é a última coisa que morre no ser humano. Eu tenho também a vaidade. Então, o primeiro jejum que Deus requer de nós, é o jejum da vaidade; é deixarmos de nos alimentar da vaidade própria.

Mas, vamos à passagem bíblica.

Quando o Senhor Jesus fala de jejum, em Lucas 18:12, nós encontramos um exemplo disso que eu acabei de falar. Vemos um homem que está no templo de Deus em Jerusalém, e o Senhor está contando uma história, fazendo uma comparação. Ele fala no versículo 10 que havia dois homens que subiram ao templo para orar: um fariseu, e outro, publicano:

“O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana e dou os dízimos de tudo quanto possuo”. Uau! Ele não estava orando a Deus; mas estava orando a si próprio. Veja o que ele fala: Ó Deus, graças te dou porque EU não sou como os demais homens,  nem ainda como este publicano. E EU jejuo duas vezes na semana, e EU dou os dízimos de tudo quanto EU, possuo. O publicano era o coletor de impostos daquela época, ele coletava impostos do povo judeu para entregar ao invasor romano. Ele era assim, um párea na sociedade judaica, porque era um judeu trabalhando para o invasor. Seria algo como um francês, na ocupação da França, trabalhando para Hitler e pegando impostos do povo para entregar a Hitler. O publicano estava reconhecendo que era um párea aos olhos dos homens e aos olhos de Deus:

“O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! Digo-vos (Jesus falando) que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; (o fariseu da história) porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado”.

Portanto, o primeiro jejum é o da vaidade. Esse homem jejuava duas vezes na semana; olhe que maravilha! Mas, e daí? Na Bíblia, Deus nunca ordenou o jejum, sabia disso? O jejum aparece a primeira vez com Moisés, quando ele para entrar na presença de Deus no monte, jejua por quarenta dias e quarenta noites, para receber as tábuas da lei. Mas, veja que isso foi antes até de ter sido dada uma lei que mandasse jejuar. Percebe?

Em Marcos 9, nós encontramos uma passagem que talvez tenha surgido na sua memória:

— Mas, como assim? Jesus pediu para jejuar!

O que temos aqui neste capítulo? Jesus havia descido do monte da transfiguração com Pedro, Tiago e João e quando chegou lá embaixo, tinha um homem com seu filho que estava possesso de um espírito imundo que caía no fogo, na água, se agitava, etc. Esse pai tinha insistido com os discípulos que expulsassem aquele espírito; e eles não conseguiram. Então, o Senhor pergunta para ele quanto tempo havia que lhe sucedia isso, e o homem respondeu, desde a infância.

“E muitas vezes o tem lançado no fogo, e na água, para destruí-lo; mas, se tu podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós, e ajuda-nos. E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê”.

Agora muito atenção aqui: Em quem que esse homem precisava crer? Em Jesus, certo?  As pessoas costumam falar que o importante é ter fé e que tudo vai dar certo. Não! Tudo é possível ao que crê em Jesus! Não é crer na própria crença, não é ter fé na própria fé. Não é um negócio que você fala: - Vou ter fé que este celular com o qual estou falando agora, vai mudar de modelo e será mais bonito, poderoso, com uma maior capacidade.

— Isso não é fé! A fé tem que ser no Senhor Jesus!

E ele diz:

“E Jesus, vendo que a multidão concorria, repreendeu o espírito imundo, dizendo-lhe: Espírito mudo e surdo, eu te ordeno: Sai dele, e não entres mais nele”.

Um parêntese aqui. A única pessoa que repreende espíritos imundos e enfermidades na Bíblia, é Jesus. Nem os seus discípulos repreendiam demônios; eles os expulsavam. E isso você aprende quando lê que o anjo não ousou falar palavra de maldição contra Satanás, mas disse: O Senhor te repreenda! Porque não cabia a ele repreender Satanás, que era um querubim da guarda, que está na hierarquia mais elevada de todos os seres espirituais; ainda que seja caído de sua posição por causa da sua vaidade. A vaidade derrubou satanás; sim, ele caiu da sua posição, entretanto o anjo não ousou repreendê-lo.

Então, esses caras que ficam aí nas esquinas, nessas igrejas, repreendendo o diabo, não sabem com quem estão brincando; isso é falta de entendimento do princípio de autoridade, que é aquela que mesmo estando errada, é autoridade. Deus as instituiu e também as potestades celestiais. Quando fala que a nossa guerra não é contra a carne e sangue, mas contra as potestades, os poderes nos lugares celestiais; que poderes são esses contra os quais lutamos? Não são os anjos bons, mas os anjos maus, que são poderes que estão acima de nós. Logo, muito cuidado com a maneira como você fala de Satanás, do diabo, dos anjos caídos, etc.

Voltemos agora ao versículo, quando ele expulsa e repreende esse espírito imundo.

“E, quando entrou em casa, os seus discípulos lhe perguntaram à parte: Por que o não pudemos nós expulsar?” O que aconteceu? Tentamos e não conseguimos? “E disse-lhes: Esta casta não pode sair com coisa alguma, a não ser com oração e jejum”. Marcos 9:29.

 — Ah, está vendo? Jejum é importante!

Sim, mas observe: Jesus, a qualquer momento, podia expulsar um demônio. Ele não falava: espere aí, que eu vou jejuar, vou ficar quarenta dias em jejum e depois volto aqui para libertar o seu filho. Jesus estava falando de um estado de jejum que ele tinha, não daquilo que pudesse trazer satisfação a si mesmo. Esse é o jejum verdadeiro. Não é parar de comer arroz e feijão, mas colocar-se em uma condição de não buscar satisfação nas coisas que normalmente satisfazem o homem natural.

Por que os discípulos não tinham conseguido expulsar o espírito imundo do menino? Porque eles não tinham feito o jejum da vaidade. Se você ler todo o contexto, verá que eles estavam discutindo qual dentre eles era o maior. E o Senhor tem que puxar a orelha deles e falar: isso aí não se faz, senão com jejum. Percebe agora o que é esse jejum? É abrir mão das coisas que achamos importantíssimas nesta vida; é aí que entra o jejum verdadeiro.

John Nelson Darby foi um cristão que viveu no século dezenove e escreveu uma obra extensa de mais de quarenta livros. Você encontra a maioria em inglês, na internet, para baixar e ler de graça. E Darby diz o seguinte: "O poder se conecta com a fé; a dificuldade não está no poder de Cristo, mas na incredulidade do homem; todas as coisas seriam possíveis se eles pudessem crer  (aqui, falando dos discípulos; porque não foi possível a eles expulsarem o demônio). Ora, a fé, que pode faltar em nós para podermos ser beneficiados por ela, é um princípio importante do poder de Cristo que nunca falha em cumprir tudo o que for bom para o homem”.

Então, não é que o Senhor possa falhar, somos nós que falhamos na nossa falta de fé.

Mas vamos continuar falando um pouco mais de jejum, porque a fé é a confiança em Deus, e não em si mesmo. E não é pensar: Sou um cara de muita fé! Pois já não é! Já perdeu o posto. A oração e jejum demonstram duas coisas. Primeiro: a oração demonstra dependência, porque eu estou recorrendo a Deus Pai, pois sei que eu não vou conseguir sozinho; não conseguirei de maneira nenhuma com os meus próprios esforços; então, eu oro. Isso é oração. E jejum é separação. Eu procuro separar-me do mal e de mim mesmo, das minhas necessidades, dos meus gostos, dos meus desejos, dos meus prazeres enfim, para buscar o Senhor. Há uma outra passagem muito interessante, quando o Senhor Jesus fala em Mateus 6:17-18:

“Tu, porém, quando jejuares, unge a tua cabeça, e lava o teu rosto, para não pareceres aos homens que jejuas, mas a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará”.

Desconfie de todo aquele que conta para você que está jejuando, porque a primeira coisa que o Senhor fala aqui é isso, se jejuar, lave o rosto para que ninguém saiba. Então, quando alguém chegar até você falando que está de jejum há dois, três dias, há uma semana ou há um mês, diga: - Você vai perder uns quilos, mas não vai ganhar nada do favor de Deus, porque não é esse o jejum que Deus estabeleceu. Isso é vaidade; se você está contando isso, você já não está jejuando da sua vaidade; que foi o mesmo pecado que derrubou Satanás da sua posição, o querubim da guarda. Os querubins são aqueles que estão em torno do Senhor no céu, é a sua guarda pessoal, digamos assim. Quando há um chefe de Estado, há também os guarda costas do presidente; aquela polícia secreta que fica perto dele, protegendo-o de atentados; esses são os querubins. Você os encontra no Antigo Testamento rodeando o Senhor Jeová. Satanás era um destes, mas caiu por causa de sua vaidade.

Uma pessoa que conta para outra que está jejuando, só vai perder quilos, não ganhará nada. Em Êxodo 34:28, lemos:

“E esteve ali com o Senhor quarenta dias e quarenta noites; não comeu pão, nem bebeu água, e escreveu nas tábuas as palavras da aliança, os dez mandamentos”.

Este foi o jejum de Moisés. O de Elias está em 1 Reis 19:8, e também era um jejum que significava separar-se da vida normal, dos desejos e das necessidades da carne, para se dedicar exclusivamente ao Senhor. Era o jejum de maior aproximação e comunhão com Deus. Em 1 Reis 19:8:

“Levantou-se, pois, e comeu e bebeu; e com a força daquela comida caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus”.

O fim do jejum foi comer para chegar a Horebe, que era o monte de Deus, ou seja, ele desejava chegar mais próximo de Deus. O primeiro jejum coletivo do povo de Israel está em Juízes 20:26 quando eles foram derrotados em uma batalha. Aquele era um jejum de humilhação. Por isso eu falo que o jejum é deixar de alimentar-se de vaidade. Vamos ler o versículo de Juízes:

“Então todos os filhos de Israel, e todo o povo, subiram, e vieram a Betel e choraram, e estiveram ali perante o Senhor, e jejuaram aquele dia até à tarde”.

O jejum é feito pelos ímpios também. Jezabel, que era uma rainha muito má, impiedosa, maligna até a raiz do cabelo, decretou um jejum em nome de Acabe que era um rei frouxo, porque quem mandava mesmo no reino era Jezabel. Em 1 Reis 21:9:

“E escreveu nas cartas, dizendo: Apregoai um jejum, e ponde Nabote diante do povo. E ponde defronte dele dois filhos de Belial, que testemunhem contra ele, dizendo: Blasfemaste contra Deus e contra o rei; e trazei-o fora, e apedrejai-o para que morra”.

Este é um jejum para livrar-se dos seus inimigos, dos seus opositores, esse jejum de Jezabel e Acabe era político.

Em Mateus 6, que já mencionei, vemos a privação voluntária das coisas que você sente que são necessárias para você; mas chegaremos numa outra passagem em Isaías 58:5 que acho muito importante pois ensina muito bem a respeito do jejum. O Senhor fala para o povo de Israel:

“A casa de Jacó anuncia ao meu povo, a sua transgressão”.

E por favor, entenda que quando fala povo, no Antigo Testamento, não é o Brasil, que diz que feliz o povo cujo Deus é o Senhor. Arranque aquele adesivo do vidro do seu carro! Não é o Brasil que é o povo de Deus, mas Israel!

“Anuncia ao meu povo a sua transgressão, e à casa de Jacó (que é Israel) os seus pecados. Todavia me procuram cada dia, tomam prazer em saber os meus caminhos”. Ou seja, os israelitas eram pessoas que queriam conhecer a vontade de Deus todos os dias. “Como um povo que pratica justiça, e não deixa o direito do seu Deus; perguntam-me pelos direitos da justiça, e têm prazer em se chegarem a Deus (até aí, parece estar tudo indo muito bem) Dizendo: Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos as nossas almas, e tu não o sabes? Eis que no dia em que jejuais, achais o vosso próprio contentamento, e requereis todo o vosso trabalho. Eis que para contendas e debates jejuais, e para ferirdes com punho iníquo; não jejueis como hoje, para fazer ouvir a vossa voz no alto. Seria este o jejum que eu escolheria que o homem um dia aflija a sua alma, que incline a sua cabeça como o junco, e estenda debaixo de si saco e cinza? Chamarias tu a isto jejum e dia aprazível ao Senhor?”

Ou seja, Ele está detonando o jejum que os israelitas faziam, porque eles faziam por motivos próprios, por desejos impuros, por necessidade suas. No versículo 6 de Isaías, 58 lemos:

"Porventura não é este o jejum que escolhi, que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo e que deixes livres os oprimidos, e despedaces todo o jugo?"

Jugo é a canga que prende tanto um boi no carro de boi, na carroça, quanto também o escravo, quando era preso. Este era amarrado em um pedaço de pau que levava nas costas, enquanto andava com aquela canga.

"Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres abandonados; e, quando vires o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne? Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do Senhor será a tua retaguarda. Então clamarás, e o Senhor te responderá; gritarás, e ele dirá: Eis-me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o estender do dedo (O que é? Acusação!) e o falar iniquamente; e se abrires a tua alma ao faminto, e fartares a alma aflita; então a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia. E o Senhor te guiará continuamente, e fartará a tua alma em lugares áridos, e fortificará os teus ossos; e serás como um jardim regado, e como um manancial, cujas águas nunca faltam. E os que de ti procederem edificarão as antigas ruínas; e levantarás os fundamentos de geração em geração; e chamar-te-ão reparador das roturas, e restaurador de veredas para morar.” Isaías 58:10-12.

Isso era uma ordem dada a Israel. É claro que nós temos que entender perfeitamente que igreja e Israel são povos distintos; Israel tem as suas promessas para a Terra e irão se cumprir. O fato dos judeus estarem morando hoje na Palestina, na terra de Israel, não é cumprimento de profecia coisa nenhuma, porque o cumprimento é quando eles voltarem tementes a Deus, e crendo no seu Messias. Eles não voltaram assim, estão ainda em profunda rebelião contra Deus até hoje. São contrários, avessos totalmente a Deus; profetizaram sobre si mesmos: "Caia sobre nós o seu sangue, e sobre os nossos filhos"; eles estão colhendo o que plantaram.

Um dia eles voltarão, pois têm o lugar deles no mundo, mas a igreja não tem o seu lugar aqui, “não são do mundo” conforme o Senhor Jesus falou. A igreja tem seu lugar no céu, enquanto Israel vai habitar a terra. Sinto muito, outros povos: árabes, palestinos, iranianos, jordanianos, turcos, otomanos; seja quem for: os judeus vão sim, estabelecer-se na terra, no futuro, pois isso é bíblico. Podem brigar, bater o pé, arrancar as calças e pisar em cima; não adianta, eles vão sim, chegar lá! Porém hoje, eles estão em desobediência. Mas, essas promessas são para Israel, para o futuro; Deus fará quando eles forem obedientes a Ele, quando crerem. Quando nós aprendemos do Antigo Testamento, aprendemos sobre as coisas celestiais, porque a esperança da igreja é celestial.

Resumindo tudo isso, para fecharmos: Primeiro, o Senhor Jesus não orou pelo mundo e ao cristão não cabe orar pelo mundo; devemos orar por aqueles que Ele salvou do mundo. E orarmos sim, pelos incrédulos, para que sejam livres, não do coronavírus, mas que sejam livres dos seus pecados, pela fé em Jesus, que é muito mais importante do que um virus. Outra coisa, o jejum não era um mandamento bíblico, mas seu significado tem muito mais a ver com abrir mão das coisas que nos aprazem, para termos maior comunhão com o Senhor. Outra coisa muito importante, não estamos no tempo do Antigo Testamento, não somos Israel. Eu vi subir agora um comentário de alguém que perguntou:

— Já vai pedir dízimos e ofertas?

— Não! Ninguém, no tempo da igreja pede dízimo, biblicamente falando, porque não encontramos isso para a igreja na doutrina dos apóstolos. Ofertas eram e continuam sendo voluntárias, mas nenhum cristão deve pedir dinheiro para ninguém. Se um cristão pede dinheiro é porque ele é servo de homens. Eu pedia dinheiro para o meu pai quando eu era criança e precisava do meu pai; quando trabalhei em uma empresa, eu pedia dinheiro para o meu patrão, porque eu era seu empregado; porém, nas coisas de Deus, nós pedimos a Deus. Quando o Senhor Jesus falou no evangelho: "Rogai ao Pai, para que envie trabalhadores para sua seara”; a seara é dele, então, os trabalhadores na seara de Deus pedem os seus recursos a Deus, nunca aos homens. Entendeu isso?

Eu fico pasmo, porque às vezes, começo a falar do Evangelho, e alguém chega e fala: "Ih, vai pedir dinheiro, dízimo, e não sei mais o quê." Cara, o evangelho verdadeiro, o genuíno, não é isso que você vê na TV; ali alguém até pode falar do Evangelho, mas aquela petição de dinheiro constantemente é impiedade elevada a milésima potência! Não existe isso e muito menos pedir e aceitar dinheiro de incrédulos. Quanto o rei de Sodoma foi até Abraão querendo dar a ele um monte de coisas, Abraão falou: "Eu não quero nem uma correia da sandália do rei de Sodoma". Assim deve seu o cristão hoje, nunca pedir nada a Sodoma, que é este mundo aqui.

Acho que na terceira carta de João, ele elogia os cristãos gentios, dizendo: "Saíram do meio dos gentios, nada pedindo a eles". Esse é o cristão. Você está com dificuldade, precisa de dinheiro, você sentiu o chamado para obra do Senhor e você tem que sair para pregar o Evangelho lá na África, na China, não sei onde? Peça ao Pai! É Ele o seu patrão, não o povo, não é Internet. Como chama aquele negócio? Fazer campanha de arrecadação, crowdsourcing.

— Vou fazer isso pois quero pregar o evangelho para os perdidos no mundo.

Pode esquecer meu amigo, isso não é bíblico. Fugi do assunto jejum e oração, mas foi bom, porque tem muitos que contestam, porque ficaram tão acostumados a encontrar os mercadores da fé, que acabaram cauterizando a sua consciência e tapando os seus ouvidos para não escutar o verdadeiro evangelho, que é: Cristo morreu pelos nossos pecados, ressuscitou ao terceiro dia para nossa justificação; é nisso que você tem que crer para ser salvo. Não é fazer-se membro de alguma igreja, nem sustentar algum pastor milionário, nada disso!

Você tem que crer em Jesus, como seu Salvador e seu Senhor. Quanto a orar pelo mundo, não cabe ao cristão fazer isso; já deixei muito claro, o Senhor Jesus falou: "Não peço pelo mundo". E se você quer jejuar pelo mundo, jejue, mas entenda que esse ato significa abrir mão das coisas que podem te trazer satisfação, mas isso, para ficar mais próximo de Deus, não para fazer uma barganha; - Eu jejuo, fico um dia a jejuar, isso vai aumentar um dia na minha saúde.

Não é nada disso!

Eu espero que tenha esclarecido. Eu sei que tem muita gente hoje, totalmente confusa com umas mentiras que são pregadas na cristandade, que é a lama suja em que o cristianismo, que é a neve pura que desce do céu, quando encontra o chão, a terra, a  política, os desejos humanos, o comércio, se transforma. Então vá à fonte, vai à Bíblia, o verdadeiro evangelho; não vá atrás de homens que ficam pedindo dinheiro para você, ou que querem de alguma maneira lhe escravizar dentro de uma instituição, dizendo que você não pode viver, a não ser que esteja submisso na coleira deles. Liberte-se desse jugo!

Que Deus possa lhe abençoar no restante deste dia.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Nunca compartilharemos seu email com terceiros.

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional www.mariopersona.com.br. Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.
O que respondi by Mario Persona is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License. Creative Commons License
Esclarecimentos: O conteúdo deste blog traz respostas a perguntas de correspondentes, portanto as afirmações feitas aqui podem não se aplicar a outras pessoas e situações. Algumas respostas foram construídas a partir da reunião das dúvidas de mais de um correspondente. O objetivo é apenas mostrar o que a Bíblia diz a respeito das questões levantadas, e não sugerir qualquer ingerência de cristãos na política e na sociedade, no sentido de exigir que as pessoas sigam os preceitos bíblicos. O autor é favorável à livre expressão e, ainda que seu entendimento da Bíblia possa conflitar com a opinião de alguns, defende o respeito às pessoas de diferentes crenças e estilos de vida. Aqui são discutidas ideias e julgadas doutrinas, não pessoas. A opção "Comentários" foi desligada, não por causa das opiniões contrárias, mas de opiniões que pareciam favoráveis mas que tinham o objetivo ofender pessoas ou fazer propaganda de alguma igreja ou religião, induzindo os leitores ao erro.

Respondi

O que Respondi

3 Minutos

Evangelho em 3 Minutos

Pela Graça