fonte

O crente pode repreender Satanás?



https://youtu.be/W9vhfO_t9oI

Você leu ou ouviu uma mensagem minha dizendo que não devemos injuriar Satanás por ser hierarquicamente superior aos homens, e isto com base na passagem diz que "nem mesmo o arcanjo Miguel, quando argumentava com o Diabo, e batalhava a respeito do corpo de Moisés, se atreveu a fazer qualquer acusação injuriosa contra o inimigo, limitando-se a declarar: “'O Senhor te repreenda!'” (Jd 1:9). Então você pergunta: "Acaso sendo agora crentes não somos superiores aos anjos? Isso não nos capacita a repreender o diabo em nome de Jesus?".

Se o fato de agora crermos em Cristo mudasse alguma coisa em relação à ordem estabelecida por Deus na Criação, estaríamos desobrigados de honrar e obedecer as autoridades constituídas sobre nós. É preciso saber identificar o que é a ordem estabelecida por Deus na Criação, na qual temos Deus, Cristo, homem e mulher nessa ordem hierárquica de 1 Coríntios 11, e a posição que agora o crente tem em Cristo (não na Criação):

"Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus." (Gl 3:27-28).

Por esta razão também não fica liberado o casamento entre pessoas de um mesmo gênero entre os cristãos, porque esse "não há macho nem fêmea" é a posição em que o crente é visto por Deus em Cristo, enquanto as imposições da Criação ainda permanecem. Isto também se aplica em sua relação com "os principados... as potestades... os príncipes das trevas deste século... as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais" (Ef 6:12), muito embora ainda que reconheçamos sua posição, não nos sujeitamos a obedecê-las. Repare que o contexto da passagem que você citou é de homens vis que não reconhecem as autoridades superiores estabelecidas por Deus, seguindo-se então o exemplo do arcanjo Miguel.

"Pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação, os quais, desde muito, foram antecipadamente pronunciados para esta condenação, homens ímpios, que transformam em libertinagem a graça de nosso Deus e negam o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo... Ora, estes, da mesma sorte, quais sonhadores alucinados, não só contaminam a carne, como também rejeitam governo e difamam autoridades superiores. Contudo, o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo e disputava a respeito do corpo de Moisés, não se atreveu a proferir juízo infamatório contra ele; pelo contrário, disse: O Senhor te repreenda! Estes, porém, quanto a tudo o que não entendem, difamam; e, quanto a tudo o que compreendem por instinto natural, como brutos sem razão, até nessas coisas se corrompem." (Jd 1:4-10).

Hebreus 2:6-10 mostra a posição de inferioridade em que Jesus se colocou como homem, a mesma posição inferior em que toda a humanidade se encontra e da qual os salvos só irão sair depois da ressurreição, quando compartilharão com Cristo do domínio da Criação, e quando os santos terão autoridade até para julgar o mundo e os anjos. "Ou não sabeis que os santos hão de julgar o mundo?... Não sabeis que havemos de julgar os próprios anjos?" (1 Co 6:2-3).

William Macdonald faz um comentário sobre a posição de inferioridade hierárquica assumida pelo Senhor ao se fazer homem, em total empatia com os homens, para em sua exaltação voltar a dominar sobre toda a Criação juntamente com os santos.

====
O Salmo 8:4-6 é citado para mostrar que o domínio eventual sobre a terra foi dado ao homem, não aos anjos. Em certo sentido, o homem é insignificante, e, no entanto, Deus se preocupa com ele. Em certo sentido, o homem não é importante, mas Deus cuida dele. Na escala da criação, o homem recebeu um lugar mais baixo que os anjos. Ele é mais limitado quanto ao conhecimento, mobilidade e poder. E ele está sujeito à morte. No entanto, nos propósitos de Deus, o homem está destinado a ser coroado de glória e honra. As limitações de seu corpo e mente serão amplamente removidas e ele será exaltado na terra. Tudo será colocado sob a autoridade do homem naquele dia vindouro - as hostes angelicais, o mundo dos animais, pássaros e peixes, o sistema planetário - de fato, todas as partes do universo criado serão colocadas sob seu controle.

Essa era a intenção original de Deus para o homem. Ele disse a ele, por exemplo, para “encher a terra e subjugá-la; ter domínio sobre os peixes do mar, sobre os pássaros do ar e sobre todo ser vivo que se move sobre a terra ”(Gn 1: 28). Por que então não vemos todas as coisas sujeitas a ele? A resposta é que o homem perdeu seu domínio por causa de seu pecado. Foi o pecado de Adão que trouxe a maldição sobre a criação. Criaturas dóceis tornaram-se ferozes. O chão começou a produzir espinhos e cardos. O controle do homem sobre a natureza foi comprometido e limitado.

Porém, quando o Filho do Homem voltar a reinar sobre a terra, o domínio do homem será restaurado. Jesus, como homem, restaurará o que Adão perdeu e muito mais. Portanto, enquanto não vemos tudo sob o controle do homem no momento, vemos Jesus, e nele encontramos a chave para o domínio final do homem sobre a terra.

Por um tempo, Jesus foi feito inferior aos anjos, especificamente, durante trinta e três anos de seu ministério terrestre. Sua descida do céu a Belém, ao Getsêmani, ao tribunal, ao Gólgota e ao túmulo, marcam os estágios de sua humilhação. Mas agora ele está coroado de glória e honra. Sua exaltação é resultado de seu sofrimento e morte; a cruz o levou à coroa.

O propósito gracioso de Deus em tudo isso era que Cristo pudesse provar a morte por todos. O Salvador morreu como nosso Representante e como nosso Substituto; isto é, ele morreu como homem e morreu pelo homem. Ele carregou em seu corpo na cruz todo o juízo de Deus contra o pecado, para que aqueles que nele creem nunca tenham que suportar esse mesmo juízo. — W. Macdonald.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Nunca compartilharemos seu email com terceiros.

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional www.mariopersona.com.br. Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.
O que respondi by Mario Persona is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License. Creative Commons License
Esclarecimentos: O conteúdo deste blog traz respostas a perguntas de correspondentes, portanto as afirmações feitas aqui podem não se aplicar a outras pessoas e situações. Algumas respostas foram construídas a partir da reunião das dúvidas de mais de um correspondente. O objetivo é apenas mostrar o que a Bíblia diz a respeito das questões levantadas, e não sugerir qualquer ingerência de cristãos na política e na sociedade, no sentido de exigir que as pessoas sigam os preceitos bíblicos. O autor é favorável à livre expressão e, ainda que seu entendimento da Bíblia possa conflitar com a opinião de alguns, defende o respeito às pessoas de diferentes crenças e estilos de vida. Aqui são discutidas ideias e julgadas doutrinas, não pessoas. A opção "Comentários" foi desligada, não por causa das opiniões contrárias, mas de opiniões que pareciam favoráveis mas que tinham o objetivo ofender pessoas ou fazer propaganda de alguma igreja ou religião, induzindo os leitores ao erro.

Respondi

O que Respondi

3 Minutos

Evangelho em 3 Minutos

Pela Graça