fonte

Por que Deus permitiu que eu fosse assaltado?



https://youtu.be/AOs1msZWE3k

Você contou que foi assaltado à mão armada e os bandidos levaram seu carro, deixando você muito irado com o que aconteceu e querendo que o bandido morra. Então você pergunta se Deus permite que coisas assim aconteçam aos seus filhos.

Uma coisa é o mal que sempre existiu e existirá na terra enquanto Cristo não voltar. Outra são nossos sentimentos, às vezes nem sempre tão santos e piedosos como gostaríamos. Temos sentimentos de revolta e revanche porque somos humanos e ainda temos a carne em nós. Por isso pecamos tanto em atos e pensamentos, como o Senhor Jesus mesmo ensinou, embora sejamos exortados a não pecar. Quando pecamos, desejando em nosso coração que o malfeitor sofra, confessamos nossos pecados ao Pai por meio de Jesus.

Tudo que nos acontece só pode acontecer com a permissão de Deus. Veja que para tocar em Jó e tirar tudo que tinha Satanás precisou pedir autorização ao Senhor. Quando algo ruim nos acontece isso pode ter algumas razões. Uma, Deus quer nos ensinar alguma coisa que talvez não conseguiríamos aprender de outra maneira, e o fato de você me escrever pedindo uma explicação já é prova de que sente a necessidade de aprender algo disso.

Uma outra razão pela qual Deus permite que sejamos atingidos pelo mal é por querer ensinar outros por meio de nosso sofrimento e da maneira como reagimos a ele. Mas também pode ser que o desejo do Senhor esteja em querer trabalhar o coração de quem nos causou o mal, como na história que li uma vez de uma jovem que teve seu dormitório na universidade invadido por um ladrão.

A jovem entrou antes que o ladrão tivesse roubado alguma coisa e, pegando o que encontrou mais perto de si — uma enorme e pesada Bíblia — a jogou acertando sua cabeça. O ladrão, para não sair no prejuízo, catou a Bíblia do chão e fugiu pela janela. Tempos depois essa mesma jovem estava assistindo a uma pregação do evangelho e um homem foi à frente testemunhar de sua conversão. Contou que era ladrão e que um dia invadiu um dormitório, mas não conseguiu roubar nada, a não ser uma Bíblia que a estudante atirou em sua cabeça. Ele tinha se convertido lendo aquela mesma Bíblia.

O mesmo princípio, de Deus querer ensinar algo ao crente, a outros ou até mesmo a um homicida,  acontece quando um crente morre prematuramente. Ou ele estava andando tão errado que Deus achou melhor levá-lo antes para o céu, ou foi para, por meio de sua morte, ensinar algo às pessoas que o cercam, ou ainda trabalhar no coração do culpado por sua morte, no caso morte acidental ou por homicídio.

O centurião que esteve ao lado da cruz de Jesus talvez esteja inserido nesta última situação, mas lendo o livro de Atos e as cartas de Paulo você percebe que todos os cristãos que ele levou à morte estavam em sua consciência e faziam parte do trabalho que o Senhor fazia em seu coração. E o que dizer de suas vítimas? Bem, elas estavam bem melhor que Paulo que ainda estava no mundo, pois todas elas já estavam na companhia do Senhor.

Até o apóstolo Paulo foi assaltado muitas vezes, além de passar por muitos outros sofrimentos e privações depois de convertido, dos quais ele procurava tirar algum proveito ou entender que serviam para a consolação de outros. Veja o que ele diz em sua carta:

"Cinco vezes recebi dos judeus uma quarentena de açoites menos um; fui três vezes fustigado com varas; uma vez, apedrejado; em naufrágio, três vezes; uma noite e um dia passei na voragem do mar; em jornadas, muitas vezes; em perigos de rios, EM PERIGOS DE SALTEADORES, em perigos entre patrícios, em perigos entre gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre falsos irmãos; em trabalhos e fadigas, em vigílias, muitas vezes; em fome e sede, em jejuns, muitas vezes; em frio e nudez. Além das coisas exteriores, há o que pesa sobre mim diariamente, a preocupação com todas as igrejas. Quem enfraquece, que também eu não enfraqueça? Quem se escandaliza, que eu não me inflame? Se tenho de gloriar-me, gloriar-me-ei no que diz respeito à minha fraqueza. O Deus e Pai do Senhor Jesus, que é eternamente bendito, sabe que não minto. Em Damasco, o governador preposto do rei Aretas montou guarda na cidade dos damascenos, para me prender; mas, num grande cesto, me desceram por uma janela da muralha abaixo, e assim me livrei das suas mãos." (2 Co 11:24-33).

"Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação! É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus." (2 Co 1:3-4).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Nunca compartilharemos seu email com terceiros.

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional www.mariopersona.com.br. Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.
O que respondi by Mario Persona is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License. Creative Commons License
Esclarecimentos: O conteúdo deste blog traz respostas a perguntas de correspondentes, portanto as afirmações feitas aqui podem não se aplicar a outras pessoas e situações. Algumas respostas foram construídas a partir da reunião das dúvidas de mais de um correspondente. O objetivo é apenas mostrar o que a Bíblia diz a respeito das questões levantadas, e não sugerir qualquer ingerência de cristãos na política e na sociedade, no sentido de exigir que as pessoas sigam os preceitos bíblicos. O autor é favorável à livre expressão e, ainda que seu entendimento da Bíblia possa conflitar com a opinião de alguns, defende o respeito às pessoas de diferentes crenças e estilos de vida. Aqui são discutidas ideias e julgadas doutrinas, não pessoas. A opção "Comentários" foi desligada, não por causa das opiniões contrárias, mas de opiniões que pareciam favoráveis mas que tinham o objetivo ofender pessoas ou fazer propaganda de alguma igreja ou religião, induzindo os leitores ao erro.

Respondi

O que Respondi

3 Minutos

Evangelho em 3 Minutos

Pela Graça