As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Existe alguma condição para falar línguas estranhas?



https://youtu.be/Du6OTaMr4Bw

A Palavra de Deus, escrita pela inspiração do Espírito Santo, apresenta pelo menos cinco condições para se falar em línguas estranhas, ou estrangeiras, que é a tradução mais correta por se tratar de idiomas. Se forem atendidas menos do que as cinco, não poderei crer que se trate de uma manifestação do Espírito, pois se Ele Se manifestasse de uma maneira diferente daquela que ordenou, já não poderíamos mais confiar na Palavra escrita.

Você poderá verificar se as cinco condições estão sendo atendidas, fazendo as seguintes perguntas:
  1. A reunião onde são manifestadas as línguas, é de portas abertas para todos, ou reservada apenas aos crentes? "De sorte que as línguas são um sinal, não para os fiéis, mas para os infiéis" (1 Co 14.22).
  2. São no máximo três pessoas que falam em línguas estranhas ou são muitas? "E se alguém falar em língua estranha, faça‑se isso por dois, ou quando muito três" (1 Co 14.27a).
  3. Falam um de cada vez ou todos juntos? "...e por sua vez" (1 Co 14.27b).
  4. Existe interpretação simultânea de todos os que falam? "...e haja intérprete. Mas se não houver intérprete, esteja calado na igreja" (1 Co 14.27c).
  5. As mulheres também falam? "As mulheres estejam caladas nas igrejas; porque lhes não é permitido falar" (1 Co 14.34).
Pode‑se acrescentar ainda a pergunta: Existem judeus presentes? Pois Deus não enviou os sinais para convencer os gentios (ou gregos) mas sim os judeus, "porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria" (1 Co 1.22), e as línguas era um sinal prometido aos judeus (1 Co 14.21).

Mais acessadas da semana