As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Não é presunção você dizer que está salvo?



https://youtu.be/3QwPgaTIcsQ

Não creio que seja uma presunção afirmar que estou salvo. Se a salvação é pela fé somente, sem obras, não é presunção se afirmar salvo. Deus me diz que se eu crer em Cristo eu tenho a vida eterna; não entrarei em condenação. Eu creio em Cristo. Devo, a partir de então, duvidar da promessa de Deus para aquele que crê? De modo algum.

Não é presunção nem hipocrisia afirmar que se tem a salvação, se a única prerrogativa para sermos salvos é sermos pecadores (I Tm. 1:15). Ele não veio salvar justos (pois não os há), mas pecadores. Se eu me reconheço pecador, arruinado pelo pecado e inimigo de Deus (Rm 5:10), e estou consciente de que nunca poderei melhorar minha velha natureza, caída e corrompida pelo pecado (Jr. 13:23), e venho a Cristo, crendo n'Ele e esperando apenas na misericórdia e graça de Deus (e não em meus méritos), não estarei sendo hipócrita e presunçoso.

Por outro lado, uma pessoa que crê que a salvação é pelo seu reto proceder e pela sua obediência, esta sim estará adotando uma posição pretensiosa e soberba, pois mesmo que afirme que não pode ter certeza de já estar salvo, tem a esperança de que um dia "chegará lá" pelos seus esforços. Paulo, que se reconhecia "o principal" dentre os pecadores, tinha a certeza de ser levado pelo Senhor, quando se inclui no arrebatamento da Igreja (I Tess. 4).

Mais acessadas da semana