As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Cristo pode me usar sendo eu tao fraco?



https://youtu.be/kaR7qRAZSCI

Muitos salvos por Cristo vivem procurando em si mesmos os recursos para fazer coisas como pregar o evangelho e testemunhar de Cristo em casa, na escola, no trabalho ou onde quer que seja. Acredito que um texto de John Nelson Darby escrito no século 19 possa ser de auxílio neste caso. Ele escreve:


Cristo é “o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre” (Ap 3:7). Cristo não está procurando força nos santos; Ele entra em Seu serviço pessoal e peculiar, e Ele próprio segura “a chave”, e é esta a nossa confiança. Se uma onda de violência se levanta nos países que nos cercam, e a pregação do evangelho parece estar impedida, tudo está em Sua mãos. Posso desejar ver o evangelho pregado em determinado lugar e as dificuldades podem parecer muitas e demasiadamente grandes, mas meu consolo é saber que Cristo tem “a chave”, e tem todo o poder de Deus à Sua disposição.

Como está em João 10:3: “A este o porteiro abre”, de forma que quando Jesus Se apresentou, como fez nos Evangelhos, nada poderia eliminar o Seu testemunho. Todos os poderes da Terra – os fariseus, os doutores da lei, os principais sacerdotes, os governadores, Pilatos e Herodes não poderiam impedir uma pobre ovelha sequer de escutar a voz do Bom Pastor nos dias de Sua carne. E assim acontece agora, pois Cristo é “o mesmo ontem, e hoje, e eternamente” (Hb 13:8).

Esta é nossa confiança ao pregarmos o evangelho, pois apesar de toda a liberdade com que somos abençoados neste país grandemente favorecido (N.T.: O autor viveu na Inglaterra), eu não poderia contar com isto para ter garantia de liberdade nem mesmo por só mais um ano. Conto, porém, com esta simples promessa: “Eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar” (Ap 3:8). Eu poderia ir despreocupadamente a qualquer país, não importando quais fossem as circunstâncias exteriores, se visse que o Senhor estaria pondo diante de mim uma porta aberta.

Evidentemente, devemos aguardar pelo tempo do Senhor para termos a porta aberta, como vemos no caso de Paulo. Certa vez ele foi impedido de pregar na Ásia, mas depois o encontramos ali por três anos, com o Senhor aprovando seu trabalho, de maneira que toda a Ásia – da qual Éfeso, onde Ele estava reunindo uma igreja, era a capital – escutou a Palavra de Deus. Devemos ficar satisfeitos em descansar, por fé, nos braços dAquele que tem a chave, e em nossa paciência devemos possuir nossas almas, pois sempre haverá circunstâncias que se levantarão para provar para nós que sem Ele nada podemos fazer. É então que descobrimos que não temos forças, e que Deus atende nossa fraqueza em conformidade com Sua própria força, pois Ele não pode falhar em atender à fé que Ele próprio deu.

“Eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar” (Ap 3:8). Esta palavra tem, com freqüência, me dado grande confiança – “ninguém a pode fechar”. Trata-se de um conforto por demais bendito; se Cristo abriu uma porta, ninguém – homem, diabo ou espírito mau – pode fechá-la. Apesar de não termos força, nem mesmo para segurar a porta aberta, ela está aberta para nós. Toda a Igreja está fraca, tão fraca quanto poderia estar, e isto no mau sentido, pois que fé temos? Escutamos falar de pouca fé. Deus nos mostra Seu poder, do qual já ouvimos falar em diversas passagens, mas onde se encontra a força e energia de fé entre nós que possa ser mencionada? Mas Deus é fiel, e assim o será até que tenha terminado o dia da graça. Nisto está nossa confiança.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana