As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

O que acha do que diz essa estudiosa do Novo Testamento?



https://youtu.be/cDW-nqxZc9A

Você escreveu dizendo ter lido os argumentos de uma americana que se diz "estudiosa" do Novo testamento, e ela dizia que "o uso véu tem sido frequentemente interpretado como significando submissão das mulheres. Na verdade, quando visto à luz da cultura da época, o velar das mulheres significava que elas eram honradas e dignas. O cabelo das mulheres era considerado lindo e o cabelo descoberto significava que elas eram honradas e dignas, assim o véu das mulheres realmente as protegia, mostrando que elas estavam fora dos limites para os homens.".

A tal estudiosa ainda disse que a pressão e contendas para que as mulheres usassem véus vinha dos homens de Corinto e devia ser mais dirigido às prostitutas e mulheres de baixa renda que frequentavam a igreja.

Eu gostaria de viajar na mesma máquina do tempo em que ela viajou para ter ido a Corinto e visto tudo isso lá, porque na Bíblia eu não vi. Além disso a carta não é só para Corinto, mas é endereçada "À igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados santos, com TODOS os que EM TODO LUGAR invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso" (1 Co 1:1).

O primeiro ponto é a visão estreita dos que acham que a cobertura para a cabeça fosse uma ordenança para as reuniões da igreja ou assembleia. A passagem de 1 Coríntios 11 fala no sentido geral e é dirigida não somente às mulheres, mas também aos homens. Por que os que tentam negar a validade da ordem dada para as mulheres nunca fazem o mesmo com a ordem dada aos homens?

Vivendo num país cristianizado todos nós vimos homens tirar o chapéu para entrar num templo. Então a ordem ali é para homens e mulheres, quando oram ou profetizam, isto é, quando falam da Palavra de Deus (que é o profetizar) ou falam a Deus (que é o ato de orar). Independente do lugar, homens deviam manter a cabeça descoberta e mulheres coberta.

"Todo o HOMEM que ora ou profetiza, tendo a cabeça coberta, desonra a sua própria cabeça. Mas toda a MULHER que ora ou profetiza com a cabeça descoberta, desonra a sua própria cabeça, porque é como se estivesse rapada. Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também [linguagem sarcástica]. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu. O homem, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus, mas a mulher é a glória do homem. Porque o homem não provém da mulher, mas a mulher do homem. Porque também o homem não foi criado por causa da mulher, mas a mulher por causa do homem. Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos. Todavia, nem o homem é sem a mulher, nem a mulher sem o homem, no Senhor." (1 Co 11:4-11).

O argumento de que a cobertura da cabeça (no original não fala do objeto "véu", mas de "cabeça velada" ou "coberta") seria por causa da cultura da época também dá trombada no texto bíblico, que diz ser esse ato "por causa dos anjos" ("Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos." 1 Co 11:10).

Outro problema de se atribuir os ensinos do Senhor dados por intermédio de Paulo como se devessem se adaptar à cultura e à época traz consequências trágicas. Por exemplo, embora as cartas do mesmo apóstolo Paulo falem contra relações homossexuais (como em Romanos 1:26-27) e fornicação (ou sexo fora do casamento, como em 1 Coríntios 7:9), será que deveríamos adaptar o comportamento dos cristãos hoje para acompanhar o padrão já aceito pela sociedade moderna?

Mas aí teríamos de prestar contas, não a Paulo ou à cultura grega, mas ao Senhor, uma vez que fomos avisados de que o que o apóstolo escreve "são mandamentos do Senhor" (1 Co 14:37). Disso a autora que você mencionou terá de prestar contas, uma vez que não está apenas deturpando a Palavra de Deus e desencaminhando muitos cristãos, como já erra por princípio, ao querer ensinar doutrina.

Digo isto porque a mesma Palavra de Deus diz: "A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão." (1 tM 2:11-14).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana