As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Qual teólogo está' com a razão?



https://youtu.be/QWQ_yXWFD14

Você escreveu dizendo que escutou uma palestra com quatro teólogos que apresentaram pensamentos diferentes sobre a volta de Cristo. Um dizia que seria antes da tribulação, outro dizia que seria durante, e o outro dizia que ela só aconteceria depois da grande tribulação. Então você pergunta: "Qual estaria com a razão? Quando leio entendo de uma maneira, você de outra, e outros de outras. Acho que vai ser difícil alguém chegar a uma conclusão certa, só quando acontecer.".

A Palavra de Deus não é para ser interpretada pela mente humana e por raciocínios, mas deve ser ensinada pelo Espírito Santo. Então se você tem quatro pessoas dizendo coisas diferentes sobre um mesmo assunto não existirão quatro explicações verdadeiras, só uma ou, dependendo do caso, nenhuma. Como saber? Pedro fala mais disso:

"Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente compostas; mas nós mesmos vimos a sua majestade. Porquanto ele recebeu de Deus Pai honra e glória, quando da magnífica glória lhe foi dirigida a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me tenho comprazido. E ouvimos esta voz dirigida do céu, estando nós com ele no monte santo; e temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações. Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo." (2 Pe 1:16-21).

John Nelson Darby explica esta passagem da carta de Pedro assim:

"O apóstolo prossegue avisando os fiéis que as profecias das escrituras não eram como declarações da vontade humana, e não deviam ser interpretadas como se cada uma tivesse uma solução separada — como se cada profecia fosse suficiente em si mesma para a explicação de seu completo significado. Elas eram todas partes de um todo, tendo um único e mesmo objeto, que é o reino de Deus. Cada evento foi um passo preliminar em direção a este objeto e um elo na corrente do governo de Deus que leva a isso, algo impossível de ser explicado a menos que o objetivo do todo fosse apreendido, a saber, o alvo revelado dos conselhos de Deus na glória do seu Cristo. Pois homens santos, movidos pelo Espírito Santo, pronunciaram estes oráculos, tendo um único e mesmo Espírito dirigindo e coordenando o todo para o desenrolar, aos olhos da fé, das maneiras de Deus proceder, maneiras que terminariam no estabelecimento daquele reino cuja glória havia aparecido na transfiguração." — J. N. Darby.

Portanto a interpretação das profecias bíblicas, isto é, de tudo o que Deus proferiu por intermédio dos apóstolos e profetas, não foi algo que eles tiraram de seus próprios entendimentos, mas algo soprado pelo Espírito Santo. Pela mesma razão não cabe à inteligência humana discernir as coisas do Espírito porque "o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido. Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo." (1 Co 2:14-16).

Mas será que isto significa que aqueles quatro teólogos, ou ao menos três deles, não têm a mente de Cristo? Não têm o Espírito Santo? Longe de mim afirmar tal coisa. Se eles um dia creram verdadeiramente em Cristo e foram selados pelo Espírito, estão aptos a entender os pensamentos de Deus. A menos que... (e é aqui que entra uma condição) não tenham sido contaminados com ideias humanas. Essas ideias humanas podem ser originárias de filosofias, da teologia e das religiões, por isso é importante procurar saber o background de quem está dizendo essas coisas.

Se ele for um clérigo de algum sistema, organização religiosa ou denominação, então será obrigado a defender o ensino dessa organização. Se ele descobrir que o significado é "A", e seu "patrão", a organização religiosa à qual ele está sujeito, determina que seja "B", ele será obrigado a seguir essa diretriz. A menos que seja sincero o suficiente para abrir mão de seu cargo e privilégios para se deixar guiar apenas pelo Espírito Santo, e não por uma teologia lavrada nos ditames de sua denominação.

Deus não quer que fiquemos ignorantes de seus desígnios, pois "isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade." (1 Tm 2:3-4). Já os falsos professos da cristandade, descritos em 2 Timóteo 3 (sim, ali está falando da esfera do testemunho cristão), estes "tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela... aprendem sempre e jamais podem chegar ao conhecimento da verdade." (2 Tm 3:5, 7). Repare que são homens em posição de liderança, que até parecem ser o que não são.

Que tal então você verificar os bastidores desses teólogos? Se eles erram em outras doutrinas da Bíblia, certamente não serão confiáveis nesta questão do arrebatamento. Quando você começa a abotoar sua camisa pelo botão errado, todos os outros serão abotoados errado e o todo — neste caso sua camisa — ficará torto. É disso que Darby estava falando quando escreveu que cada profecia faz parte de um todo e não pode ser isolada, ou "abotoada", sem pensar no conjunto.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana