fonte

Por que Deus não criou o homem incapaz de pecar?



https://youtu.be/-WgOc9a8Nas

Você pergunta a razão de Deus, em sua onipotência, não ter criado um mundo perfeito com pessoas perfeitas, sem a possibilidade de pecarem. A resposta é que, se Deus fizesse um homem em quem não existisse a possibilidade de fazer suas escolhas, esse homem já deixaria de ser perfeito, pois seria pré-programado e travado para mudanças.

Imagine que você seja um cirurgião e quando nasce o seu filho você opere seu cérebro para que ele seja obediente e nunca faça nada de vontade própria, mas apenas obedeça a suas ordens. Você acha que isso seria aperfeiçoar seu filho ou transformá-lo num deficiente mental com sérias limitações?

Você há de concordar que um filho que obedecesse por vontade própria e lealdade, e não por ter sido pré-programado para isso, seria o filho ideal. Então sua pergunta não deveria ser "Por que Deus..." e sim "Por que o ser humano...", pois a responsabilidade da queda e de suas consequências não pode de maneira alguma ser lançada sobre Deus. Portanto, se existe mal no mundo e em mim devo admitir que é tudo por minha culpa, minha culpa, minha máxima culpa.

Somente um pecador convicto é capaz de justificar a Deus em todos os seus atos e jamais imputar a ele qualquer culpa pela ruína do mundo e do ser humano. Mas faz parte do pacote que veio com nosso pecado a tendência de "tirar o corpo fora" e lançar a responsabilidade sobre Deus. Se não fôssemos assim poderíamos até duvidar se o pecado foi corruptor como a Bíblia diz que foi. Porque o corrupto de carteirinha está sempre pronto a se esquivar e lançar a culpa em outro.

"Mas a sabedoria é justificada por todos os seus filhos" (Lc 7:35), isto é, somente os que agora são filhos de Deus por terem nascido de novo e crido em Jesus como Salvador conseguem justificar a sabedoria de Deus em todos os seus aspectos, seja na Criação, seja no modo como tem tratado da humanidade desde então.

Se Deus é amor e ele nos ama, então você deve partir do princípio de que ele criou os seres humanos para serem capazes de amar. Agora imagine que você, sendo esse mesmo cirurgião de meu exemplo, se apaixone por uma garota que nem percebe que você existe, e você teme a possibilidade de ser odiado por ela quando se encontrarem pela primeira vez. Então você a sequestra e implanta nela um chip pré-programado para que ela ame você desesperadamente por toda a vida. (É melhor ter a certeza de implantar um chip pré-pago com carga vitalícia de amor).

O que acha da ideia? Detestável, porque isso não seria amor. Você não pode obrigar alguém a amar você e Deus não criou autômatos programados para amá-lo sem reservas. O amor e a obediência precisavam brotar de forma espontânea no coração do homem, ou ele seria tão limitado quanto uma planta ou uma ameba. Se existe maldade no mundo isto é só por Deus nos ter dado a possibilidade de escolhermos fazer ou não sua vontade, de obedecê-lo ou não, de amá-lo de livre e espontânea vontade ou não. Logo de início o ser humano decidiu pegar a vereda da desobediência, da auto-suficiência e do que pensou ser liberdade de seu Criador. O resto é a história da humanidade.

Se existe algo de que você pode culpar a Deus é de ter criado o homem perfeito, e não imperfeito. É claro que hoje somos todos imperfeitos por conta do pecado e perdemos até o livre arbítrio ou a livre escolha, já que por nascermos pecadores iremos sempre escolher o pecado e nunca escolheremos a Deus. Romanos 3:11 diz que "não há quem busque a Deus".

Então como é possível existir alguns que buscam a Deus, que se tornam cristãos, que amam a Deus de livre e espontânea vontade? Isto só acontece porque Deus passou a limpo a vida desses dando a eles um novo nascimento pela ação da "água" da Palavra de Deus aplicada em suas almas pelo Espírito Santo. Foi aí que deixaram de ser criaturas espiritualmente mortas, pois a vida que foi inoculada neles fez com que sentissem o peso de seus pecados e corressem pedir perdão a Deus, que estava pronto para perdoá-los tão logo cressem na obra de salvação que Jesus, o Filho de Deus, cumpriu na terra, morrendo e ressuscitando.

A resposta do homem a essa obra é fé, a certeza inabalável de que Deus é bom e de que o sacrifício de Cristo foi suficiente para purificar aquele que crê de todos os seus pecados e fazer dele alguém pronto a habitar na presença de Deus sem ser consumido por seu juízo. A pergunta agora é: Você crê nessa obra? Você crê nessa Pessoa como seu Salvador e Senhor? Se não crer continuará tão perdido e condenável quanto Adão e Eva no momento em que decidiram seguir a vontade própria em rebelião contra Deus.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Nunca compartilharemos seu email com terceiros.

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional www.mariopersona.com.br. Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.
O que respondi by Mario Persona is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License. Creative Commons License
Esclarecimentos: O conteúdo deste blog traz respostas a perguntas de correspondentes, portanto as afirmações feitas aqui podem não se aplicar a outras pessoas e situações. Algumas respostas foram construídas a partir da reunião das dúvidas de mais de um correspondente. O objetivo é apenas mostrar o que a Bíblia diz a respeito das questões levantadas, e não sugerir qualquer ingerência de cristãos na política e na sociedade, no sentido de exigir que as pessoas sigam os preceitos bíblicos. O autor é favorável à livre expressão e, ainda que seu entendimento da Bíblia possa conflitar com a opinião de alguns, defende o respeito às pessoas de diferentes crenças e estilos de vida. Aqui são discutidas ideias e julgadas doutrinas, não pessoas. A opção "Comentários" foi desligada, não por causa das opiniões contrárias, mas de opiniões que pareciam favoráveis mas que tinham o objetivo ofender pessoas ou fazer propaganda de alguma igreja ou religião, induzindo os leitores ao erro.

Respondi

O que Respondi

3 Minutos

Evangelho em 3 Minutos

Pela Graça