fonte

Seria correto rir da infelicidade alheia?



https://youtu.be/iYj7iI4olcA

Você pergunta se é correto rirmos da infelicidade alheia como parece dizer o Salmo 52:6: "E os justos o verão, e temerão: e se rirão dele". É importante analisar todo o contexto de uma passagem, quando foi escrita, para quem foi escrita, a respeito de quem, em que circunstâncias, com que finalidade etc. O versículo 1 do Salmo 52 dá uma pista histórica do contexto: "Quando Doegue, o edomeu, o anunciou a Saul, e lhe disse: Davi veio à casa de Aimeleque".

Se buscarmos conhecer a história em 1 Samuel capítulos 21 e 22 veremos que Doegue era "o mais poderoso dos pastores de Saul" (1 Sm 21:7), o que equivalia a um capataz com responsabilidade sobre os rebanhos do rei. Seu nome significa "Ansioso" ou "Medroso", um nome bem adequado a um covarde, dedo-duro, pelego e outros adjetivos que costumamos usar hoje para uma pessoa bisbilhoteira que leva e trás recados visando o benefício próprio às custas da desgraça alheia.

Doegue foi quem viu o sacerdote Aimeleque dar a Davi e seus companheiros os pães da proposição, pois aquele que fugia de Saul estava faminto, e também a espada com a qual Davi havia vencido Golias, o filisteu. Esse mesmo homem deve ter escutado a conversa que Davi teve com o sacerdote que o protegia:

"E disse Davi a Aimeleque: Não tens aqui à mão lança ou espada alguma? Porque não trouxe à mão nem a minha espada nem as minhas armas, porque o negócio do rei era apressado. E disse o sacerdote: A espada de Golias, o filisteu, a quem tu feriste no vale do carvalho, eis que está aqui envolta num pano detrás do éfode. Se tu a queres tomar, toma-a, porque nenhuma outra há aqui, senão aquela. E disse Davi: Não há outra semelhante; dá-ma. E Davi levantou-se, e fugiu aquele dia de diante de Saul." (1 Sm 21:8-10).

Doegue foi correndo contar ao rei Saul, como encontramos na descrição dos eventos em 1 Samuel 22:9-23:

"Vi o filho de Jessé chegar a Nobe, a Aimeleque, filho de Aitube, o qual consultou por ele ao Senhor, e lhe deu mantimento, e lhe deu também a espada de Golias, o filisteu. Então o rei mandou chamar a Aimeleque, sacerdote, filho de Aitube, e a toda a casa de seu pai, os sacerdotes que estavam em Nobe; e todos eles vieram ao rei. E disse Saul: Ouve, peço-te, filho de Aitube. E ele disse: Eis-me aqui, senhor meu. Então lhe disse Saul: Por que conspirastes contra mim, tu e o filho de Jessé? Pois deste-lhe pão e espada, e consultaste por ele a Deus, para que se levantasse contra mim a armar-me ciladas, como se vê neste dia?".

Aimeleque se defende, deixando claro que não tinha começado agora a servir a Davi consultando por ele ao Senhor, e tampouco sabia de qualquer ato de conspiração perpetrado por Davi contra Saul. Aquela neurose toda se passava principalmente na cabeça do rei Saul e não condizia com a realidade e nem com o caráter de Davi. E de fato Davi, mesmo fugindo da perversa inveja de Saul, não ousou matar o rei quando teve oportunidade para isso, reconhecendo que ele tinha sido ungido pelo Senhor.

"E respondeu Aimeleque ao rei e disse: E quem, entre todos os teus criados, há tão fiel como Davi, o genro do rei, pronto na sua obediência, e honrado na tua casa? Comecei, porventura, hoje a consultar por ele a Deus? Longe de mim tal! Não impute o rei coisa nenhuma a seu servo, nem a toda a casa de meu pai, pois o teu servo não soube nada de tudo isso, nem muito nem pouco. Porém o rei disse: Aimeleque, morrerás certamente, tu e toda a casa de teu pai, e disse o rei aos da sua guarda que estavam com ele: Virai-vos, e matai os sacerdotes do Senhor, porque também a sua mão é com Davi, e porque souberam que fugiu e não mo fizeram saber. Porém os criados do rei não quiseram estender as suas mãos para arremeter contra os sacerdotes do Senhor. Então disse o rei a Doegue: Vira-te, e arremete contra os sacerdotes.".

Na continuação vemos que Doegue não se limitou a matar apenas os sacerdotes do Senhor e suas famílias, mas entrou na cidade onde moravam e matou a todos os seus habitantes e até a seus rebanhos, revelando assim uma malignidade que ia muito além de simples obediência à ordem do rei.

"Então se virou Doegue, o edomeu, e arremeteu contra os sacerdotes, e matou naquele dia oitenta e cinco homens que vestiam éfode de linho. Também a Nobe, cidade destes sacerdotes, passou a fio de espada, desde o homem até à mulher, desde os meninos até aos de peito, e até os bois, jumentos e ovelhas passou a fio de espada.".

Voltando ao Salmo que gerou a dúvida, um segundo ponto a ser considerado é que estamos aqui no Antigo Testamento e dentro do contexto de um povo ao qual foi prometida vida perene na terra, em paz e tendo seus inimigos derrotados. A esperança do cristão, que é um povo celestial, não é a mesma dos israelitas. Por isso você encontra o Senhor no Antigo Testamento mandando o seu povo terreno de Israel matar os inimigos e eles se regozijando quando isso acontecia, porque estavam protegendo a herança que o Senhor lhes havia prometido aqui na terra.

Porém o mesmo Senhor, no Novo Testamento, e depois por meio dos apóstolos nas epístolas dirigidas à Igreja, nos ensina a amarmos nossos inimigos e não buscarmos vingança.

Disse Jesus: "Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus." (Mt 5:43-44).

Paulo escreve: "Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira, porque está escrito: Minha é a vingança; eu recompensarei, diz o Senhor. Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem." (Rm 12:19-21).

Um outro ponto a ser considerado é o aspecto profético do Salmo, que aponta para Doegue como uma figura do anticristo, aquele homem ímpio e covarde que se levantará e se oporá contra o Senhor, promovendo a morte de todos os que forem fieis ao Messias de Israel. A primeira parte do Salmo 52 descreve com clareza o caráter do anticristo:

"Por que te glorias na malícia, ó homem poderoso? Pois a bondade de Deus permanece continuamente. A tua língua intenta o mal, como uma navalha amolada, traçando enganos. Tu amas mais o mal do que o bem, e a mentira mais do que o falar a retidão. Amas todas as palavras devoradoras, ó língua fraudulenta. Também Deus te destruirá para sempre; arrebatar-te-á e arrancar-te-á da tua habitação, e desarraigar-te-á da terra dos viventes." (Sl 52:1-5).

Agora tente entrar nos sentimentos do remanescente de judeus fieis que se levantará depois do arrebatamento da Igreja quando receberem a notícia da condenação do anticristo. Eles se regozijarão de que a justiça foi feita, como diz o Salmo:

"E os justos o verão, e temerão: e se rirão dele, dizendo: Eis aqui o homem que não pós em Deus a sua fortaleza, antes confiou na abundância das suas riquezas, e se fortaleceu na sua maldade." (Sl 52:6-7).

Tal sentimento estará bem apropriado aos judeus que passarão pela Grande Tribulação e também estará alinhado ao sentimento do próprio Senhor diante de todos os que se oporão a ele e serão destruídos em sua vinda para reinar.

"Por que se amotinam os gentios, e os povos imaginam coisas vãs? Os reis da terra se levantam e os governos consultam juntamente contra o Senhor e contra o seu ungido, dizendo: Rompamos as suas ataduras, e sacudamos de nós as suas cordas. Aquele que habita nos céus se rirá; o Senhor zombará deles. Então lhes falará na sua ira, e no seu furor os turbará." (Sl 2:1-5).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Nunca compartilharemos seu email com terceiros.

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional www.mariopersona.com.br. Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.
Esclarecimentos: O conteúdo deste blog traz respostas a perguntas de correspondentes, portanto as afirmações feitas aqui podem não se aplicar a outras pessoas e situações. Algumas respostas foram construídas a partir da reunião das dúvidas de mais de um correspondente. O objetivo é apenas mostrar o que a Bíblia diz a respeito das questões levantadas, e não sugerir qualquer ingerência de cristãos na política e na sociedade, no sentido de exigir que as pessoas sigam os preceitos bíblicos. O autor é favorável à livre expressão e, ainda que seu entendimento da Bíblia possa conflitar com a opinião de alguns, defende o respeito às pessoas de diferentes crenças e estilos de vida. Aqui são discutidas ideias e julgadas doutrinas, não pessoas. A opção "Comentários" foi desligada, não por causa das opiniões contrárias, mas de opiniões que pareciam favoráveis mas que tinham o objetivo ofender pessoas ou fazer propaganda de alguma igreja ou religião, induzindo os leitores ao erro.

O que respondi by Mario Persona is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License. Creative Commons License

Respondi

O que Respondi

3 Minutos

Evangelho em 3 Minutos

Pela Graça