fonte

O que você fará se o Brasil for dominado pela China?



https://youtu.be/6-JM2au6U_A

Depois que alguém perguntou "O que você faria se a China viesse a dominar o mundo" e eu respondi brevemente "Pode dominar à vontade. Não sou do mundo.", você perguntou: "Se ao virmos uma autoridade estuprando uma criança, ou agredindo uma mulher, ou então matando uma família inteira injustamente, deveríamos simplesmente ignorar?".

Aparentemente você perguntou pensando nos horrores praticados por regimes ditatoriais de esquerda nos países dominados por essa ideologia, e horrores não faltam na história da tomada do poder pela ideologia comunista na China e em outras partes do mundo. A questão é que autoridades estuprarem crianças, agredirem mulheres ou matarem famílias inteiras não é exclusividade deste ou daquele regime, mas consequência do pecado e da maldade que há no coração do pecador.

Pelo que vi de seu perfil no Facebook você parece ser um ativo militante de direita, ao menos no volume de mensagens anti-esquerda e pró-direita que encontrei ali. Então para você deve ser um horror pensar na possibilidade de um mundo esquerdizado. Não sei se sabe o que aconteceu na China e Rússia depois que afrouxaram ou eliminaram totalmente as restrições e perseguições contra cristãos: Muitos esfriaram em sua comunhão com o Senhor, e isso é testemunhado por irmãos desses países. Eram mais ativos e perseverantes quando o cristianismo era proibido, do que agora que é permitido. Então se o Senhor permite algo neste mundo, seja um domínio de esquerda hoje ou a escravidão do povo hebreu no Egito no passado, é porque ele sabe que aquilo é necessário para o seu povo.

Você seria capaz de dizer que o Senhor erra quando permite que o seu povo sofra? Ou se ele permitir que as bandeiras do Brasil e do mundo se tornem vermelhas? Se o Senhor permitir é porque viu ser necessário para o bem de seu povo, porque sabe que a dor da injeção não é nada comparada com o “louvor, e honra, e glória” que isso irá produzir. Deus prova nossa fé de diferentes maneiras, e uma delas pode ser colocando homens ímpios para governarem sobre nós. Ou você acha que Nero era "um anjo de candura com coração de rapadura"? Veja o que a Palavra de Deus diz das provações que vêm sobre os cristãos:

"Mediante a fé estais guardados na virtude de Deus para a salvação, já prestes para se revelar no último tempo, em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações, para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo." (1 Pe 1:5-7).

"Amados, não estranheis o fogo ardente que surge no meio de vós, destinado a provar-vos, como se alguma coisa extraordinária vos estivesse acontecendo; pelo contrário, alegrai-vos na medida em que sois co-participantes dos sofrimentos de Cristo, para que também, na revelação de sua glória, vos alegreis exultando. Se, pelo nome de Cristo, sois injuriados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus. Não sofra, porém, nenhum de vós como assassino, ou ladrão, ou malfeitor, ou como quem se intromete em negócios de outrem; mas, se sofrer como cristão, não se envergonhe disso; antes, glorifique a Deus com esse nome. Porque a ocasião de começar o juízo pela casa de Deus é chegada; ora, se primeiro vem por nós, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus? E, se é com dificuldade que o justo é salvo, onde vai comparecer o ímpio, sim, o pecador? Por isso, também os que sofrem segundo a vontade de Deus encomendem a sua alma ao fiel Criador, na prática do bem." (1 Pe 4:12-19).

Mas vamos à resposta à sua pergunta de como um cristão deveria proceder se visse "uma autoridade estuprando uma criança, ou agredindo uma mulher, ou então matando uma família inteira injustamente", se deveria agir ou "simplesmente ignorar". As pessoas adoram levantar questões para as quais elas próprias não têm resposta ou poder de resolver. Já viu quanto se discutiu nos tempos da pandemia se o vírus era de laboratório ou não? Ou se tinha vindo da China ou do boteco da esquina? Aí eu pergunto: "E daí?". O vírus está aí e nem eu nem você podemos mudar isso.

Então o debate vai para o lado das medidas de proteção e vão buscar artigos e declarações "científicas" pró e contra máscaras, e mais uma vez eu digo: "E daí?". Se você for cristão deve se sujeitar às autoridades e se as autoridades dizem para não sair de casa sem máscara, então é seu dever cristão usar máscara. No meu caso é até uma vantagem porque esconde metade de minha idade e feiura.

Então perguntar o que alguém faria se o mundo fosse dominado pela China só serve para aterrorizar com algo que nenhum cristão tem poder de resolver. Nem eu nem você saberemos como responder se nos encontrássemos nessa situação, pois nem eu nem você sabemos qual seria nossa reação. Influenciados pelos teoristas conspiratórios de plantão, com seus textos e vídeos alarmistas, molhar as calças seria uma delas, sair às ruas levando bala de borracha seria outra, existindo ainda um sem número de possibilidades entre uma coisa e outra.

Quando a água bate no queixo ninguém pode prever como irá agir porque temos em nós fortes instintos carnais que, como cristãos, não deveríamos deixar que fossem o vetor de nossos comportamentos. Quando eu tinha sete anos de idade minha mãe me colocou nas aulas de judô para eu aprender a me defender, mas quando vi a primeira briga de coleguinhas mais graduados na saída da aula percebi que estava perdendo meu tempo aprendendo aquela arte milenar. Os meninos se atracaram com socos, pontapés e puxões de cabelo, exatamente o contrário da reação que eu esperava encontrar em judocas.

No filme "Caçador Implacável", de 1980 e último de sua carreira feito no ano de sua morte, o ator Steve Mcqueen faz o papel de um corajoso caçador de recompensas que luta com bandidos, cavalga um trem pelos túneis do metrô e persegue criminosos com uma colheitadeira em um milharal. Mas toda essa coragem desaparece quando sua mulher dá à luz e ele desmaia no saguão do hospital. Se não sabe quem foi Steve Mcqueen, ele estrelou "Bullit", um pioneiro cult da perseguição policial, e iria se converter a Cristo depois de receber a notícia de um câncer terminal. Morreria quatro dias depois agarrado a uma Bíblia que ganhou de Billy Graham.

Mesmo se eu ou você respondêssemos a essa pergunta dizendo como reagiríamos diante de uma situação assim, lembre-se de que nem eu e nem você servimos de exemplo de como outros devem proceder, pois somos falhos como qualquer ser humano. Independente de qual fosse nossa reação, certa ou errada, Deus não perderia o controle e nem a oportunidade de transformar aquilo em algo que fosse para sua própria glória, usando para isso tanto nossa reação ou a falta dela, o agressor e o agredido. A maldade existe desde que o pecado entrou no mundo, isto é fato, mas o que nos esquecemos é que o Senhor é capaz de transformar até mesmo as maiores perversões em bem para os que lhe pertencem. Veja o exemplo de José, no Egito:

"Vendo então os irmãos de José que seu pai já estava morto, disseram: Porventura nos odiará José e certamente nos retribuirá todo o mal que lhe fizemos. Portanto mandaram dizer a José: 'Teu pai ordenou, antes da sua morte, dizendo: Assim direis a José: Perdoa, rogo-te, a transgressão de teus irmãos, e o seu pecado, porque te fizeram mal; agora, pois, rogamos-te que perdoes a transgressão dos servos do Deus de teu pai.' E José chorou quando eles lhe falavam. Depois vieram também seus irmãos, e prostraram-se diante dele, e disseram: 'Eis-nos aqui por teus servos.' E José lhes disse: 'Não temais; porventura estou eu em lugar de Deus? Vós bem intentastes mal contra mim; porém Deus o intentou para bem, para fazer como se vê neste dia, para conservar muita gente com vida. Agora, pois, não temais; eu vos sustentarei a vós e a vossos filhos.' Assim os consolou, e falou segundo o coração deles.". (Gn 50:15-21).

Faz lembrar a estudante cristã, que voltava da igreja e flagrou um ladrão em seu dormitório. Era de se esperar que ela, imbuída de total controle de si mesma e de amor cristão, nada fizesse. Mas, na falta de uma faca ou fuzil, ela atirou sua pesada Bíblia na cabeça do pobre marginal. Este, para não sair no prejuízo, pegou a Bíblia e fugiu. Tempos depois, para surpresa dela, a jovem reencontrou o homem numa pregação do evangelho testemunhando de sua conversão. “Eu tinha entrado para assaltar um dormitório de estudantes, e uma jovem atirou uma Bíblia em mim. Decidi ler aquela Bíblia e me converti”.

Espero ter deixado claro em minhas mensagens que falo de seguirmos a Cristo, e não de me tomarem como referencial. Não é minha opinião que costumo expressar, mas o que encontro na Bíblia, a Palavra de Deus, que deve ser do mesmo Autor dessa que você tem aí. Então sua pergunta seria mais adequadamente formulada se fosse: "Se Jesus visse uma autoridade estuprando uma criança, ou agredindo uma mulher, ou então matando uma família inteira injustamente, deveria ele simplesmente ignorar?".

Repare que não existe nada de absurdo em perguntar assim, porque se eu disse que não me importa que o mundo seja dominado pela China comunista porque não sou do mundo, digo isto com a autoridade que o Senhor me deu de dizer isto, pois ele também disse, de si mesmo, "Eu não sou do mundo". Você crê nas palavras de Jesus? Ou melhor, você realmente crê nele como seu Salvador e Senhor e está disposto a viver segundo as palavras que ele falou?

"Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; como, todavia, não sois do mundo, pelo contrário, dele vos escolhi, por isso, o mundo vos odeia. Lembrai-vos da palavra que eu vos disse: não é o servo maior do que seu senhor. Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós outros; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa... Eu lhes tenho dado a tua palavra, e o mundo os odiou, porque eles não são do mundo, como também eu não sou. Não peço que os tires do mundo, e sim que os guardes do mal. Eles não são do mundo, como também eu não sou." (Jo 15:19-20; 17:14-16).

A Palavra de Deus, tanto a proferida diretamente por Jesus, como aquela que foi inspirada em seus apóstolos, deixa muito claro como Senhor reagiria em cada situação e gostaria que os seus agissem da mesma maneira. Então o que diz a Bíblia? Antes de ler as cem passagens que tenho sobre não-violência aconselho você a pegar uma boa caneca de café e escolher uma poltrona bem confortável, porque vem aí um textão. Você perguntou, então não reclame.

"Ouvistes que foi dito: Olho por olho, dente por dente. Eu, porém, vos digo: não resistais ao perverso; mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra; e, ao que quer demandar contigo e tirar-te a túnica, deixa-lhe também a capa. Se alguém te obrigar a andar uma milha, vai com ele duas." (Mt 5:28-41).

"Respondeu Jesus: O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus ministros se empenhariam por mim, para que não fosse eu entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui... Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo." (Jo 18:36; 16:33).

"Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo. Não se vendem dois pardais por um asse? E nenhum deles cairá em terra sem o consentimento de vosso Pai. E, quanto a vós outros, até os cabelos todos da cabeça estão contados. Não temais, pois! Bem mais valeis vós do que muitos pardais." (Mt 10:28-31)

Pensando melhor, vou ser amigável com você antes que me acuse de violência se eu citar aqui a lista que tenho de cem passagens bíblicas de não-violência. Antes que seu café esfrie vou citar só mais uma e creio que será suficiente para eu me fazer entender.

"Não torneis a ninguém mal por mal; esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens; se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens; não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira; porque está escrito: A mim me pertence a vingança; eu é que retribuirei, diz o Senhor. Pelo contrário, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem." (Rm 12:17-21).

Agora sou eu quem pergunta a você: "Se VOCÊ visse uma autoridade estuprando uma criança, ou agredindo uma mulher, ou então matando uma família inteira injustamente, como reagiria? Conseguiria fundamentar sua reação em qualquer uma dessas passagens da Palavra de Deus?". Para ajudar em sua resposta sugiro que pesquise no Novo Testamento todas as reações dos discípulos quando ocorriam injustiças contra os cristãos do primeiro século. Digo "Novo Testamento" porque se buscar no Antigo Testamento irá encontrar práticas nem um pouco endossadas pelo Senhor quando veio depois em graça e Verdade. Veja, por exemplo, as reações sugeridas por Jeová para os inimigos de Israel:

"Agora vão, ataquem os amalequitas e consagrem ao Senhor para destruição de tudo o que lhes pertence. Não os poupem; matem homens, mulheres, crianças, recém-nascidos, bois, ovelhas, camelos e jumentos... Fiquem órfãos os seus filhos, e viúva a sua mulher! Andem errantes os seus filhos, e mendiguem; esmolem longe das suas habitações assoladas. O credor lance mão de tudo quanto ele tenha, e despojem-no os estranhos do fruto do seu trabalho! Não haja ninguém que se compadeça dele, nem haja quem tenha pena dos seus órfãos!... O povo de Samaria carregará sua culpa, porque se rebelou contra o seu Deus. Eles serão mortos à espada; seus pequeninos serão pisados e despedaçados, suas mulheres grávidas terão rasgados os seus ventres... Filha da Babilônia, que hás de ser destruída, feliz aquele que te der o pago do mal que nos fizeste. Feliz aquele que pegar teus filhos e esmagá-los contra a pedra." (1 Sm 15:3; Sl 109:9-12; Os 13:16; Sl 137:8-9).

Se você tiver sido doutrinado no catolicismo ou no protestantismo fundamentalista, que professam a Teologia do Pacto, irá achar que os Cruzados fizeram um bom trabalho massacrando muçulmanos ou que os norte-americanos deveriam ter usado mais napalm para assar ao fogo os habitantes das aldeias e livrar o Vietnã da praga comunista. A Teologia do Pacto não consegue distinguir que Deus possui dois povos, um terreno, que é Israel, e um celestial, que é a Igreja. O povo terreno tinha sua esperança só na terra e precisava lutar por ela de todas as maneiras possíveis, inclusive pegando os bebês filhos de seus inimigos e esmagando suas cabeças contra a pedra, como diz o Salmo 137. O povo celestial não tem na terra nem o espaço de um pé, porque é cidadão do céu, portanto não cabe a ele aqui lutar pelo que é seu porque o que é seu está muito acima deste mundo.

Entendeu agora o contraste entre o que demandava Jeová no Antigo Testamento para seu povo garantir um lugar no mundo, e o que ensinava o mesmo Jeová, vindo em graça e Verdade como Jesus nos Evangelhos, ao novo povo que convocou para ser estrangeiro e peregrino no mundo? Seria interessante você apontar nos Evangelhos como agiam os discípulos do Senhor quando ele era açoitado, cuspido e pregado numa cruz. Não vale o exemplo de Pedro, que foi repreendido por sua violência.

Me diga também o que os outros cristãos fizeram em Atos e nas epístolas quando Estêvão era apedrejado, Pedro preso, Paulo apedrejado e mulheres cristãs caçadas por judeus e romanos para serem vendidas como escravas sexuais em bordéis. Isso mesmo: quando Paulo dizia que prendia cristãos que eram depois torturados e mortos, suas filhas e esposas eram estupradas pelos soldados antes de serem vendidas a bordeis. O que os outros cristãos faziam nessa hora? Depois dessa pesquisa em sua Bíblia você pode me dizer?

Se não encontrar qualquer exemplo de reação violenta, manifestações contra governantes e atos de fomento à desobediência civil, acabará concluindo que o cristão, que não é do mundo, não vai sair por aí cortando orelhas como Pedro fez, antes de ser repreendido pelo próprio Senhor. O cristão irá orar para que essas coisas horríveis que você mencionou não aconteçam, e se acontecerem em sua presença, ele irá buscar se sujeitar à direção do Espírito Santo de como agir naquela hora, porque irá reconhecer que não saberá dizer de antemão. Nenhum de nós sabe.

Corrie Ten Boon, a famosa escritora cristã que foi prisioneira em um campo nazista durante a Segunda Guerra Mundial, disse em seu livro “O refúgio secreto” que quando era adolescente, e sua família escondia judeus em uma quarto secreto em casa, ela perguntou ao seu pai como iria lidar com o sofrimento, se ela e sua família fossem presos e enviados para um campo de concentração nazista. O pai respondeu algo assim: "Você reparou que quando você viaja de trem para visitar sua tia eu nunca lhe dou os ingressos antes, mas só no último momento antes de embarcar? Faço isso porque você não precisa dos ingressos antes de entrar no trem. e se eu lhe esse antes você poderia perdê-los".

Então no momento em que você me faz a pergunta, eu não saberia dizer como reagiria diante das atrocidades que mencionou, mas tenho certeza de que o Senhor me daria sabedoria e força para lidar com isso. Eu poderia molhar as calças, eu poderia desmaiar como o personagem do filme de Steve Mcqueen, todo valentão o filme inteiro e na hora que sua mulher dá à luz desmaia no hospital.

“E, quando vos entregarem, não cuideis em como ou o que haveis de falar, porque, naquela hora, vos será concedido o que haveis de dizer, visto que não sois vós os que falais, mas o Espírito de vosso Pai é quem fala em vós.” (Mt 10:19-20).

Agora é minha vez de perguntar: "Se o Brasil for dominado pela China, e as barbaridades que citou forem cometidas pelos invasores, você se submeterá ao Senhor e à sua Palavra para fazer a vontade dele e não a sua, ou irá querer iniciar uma coleção de orelhas?" Lembre-se: "É Deus quem muda o tempo e as estações, remove reis e estabelece reis." (Dn 2:21).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Nunca compartilharemos seu email com terceiros.

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional www.mariopersona.com.br. Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.
O que respondi by Mario Persona is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License. Creative Commons License
Esclarecimentos: O conteúdo deste blog traz respostas a perguntas de correspondentes, portanto as afirmações feitas aqui podem não se aplicar a outras pessoas e situações. Algumas respostas foram construídas a partir da reunião das dúvidas de mais de um correspondente. O objetivo é apenas mostrar o que a Bíblia diz a respeito das questões levantadas, e não sugerir qualquer ingerência de cristãos na política e na sociedade, no sentido de exigir que as pessoas sigam os preceitos bíblicos. O autor é favorável à livre expressão e, ainda que seu entendimento da Bíblia possa conflitar com a opinião de alguns, defende o respeito às pessoas de diferentes crenças e estilos de vida. Aqui são discutidas ideias e julgadas doutrinas, não pessoas. A opção "Comentários" foi desligada, não por causa das opiniões contrárias, mas de opiniões que pareciam favoráveis mas que tinham o objetivo ofender pessoas ou fazer propaganda de alguma igreja ou religião, induzindo os leitores ao erro.

Respondi

O que Respondi

3 Minutos

Evangelho em 3 Minutos

Pela Graça