fonte

Devo lutar contra quem promover uma educação de esquerda?



https://youtu.be/g68EdoDsqrk

Você é apenas mais um dos que me escreveram, indignados com meus comentários bíblicos de submissão às autoridades. Talvez isso seja consequência de você não ler a Bíblia, não entender que cristãos não são israelitas que lutam pela defesa de seu território, ou por se deixar pautar por seus instintos mais primitivos. Suas palavras, a respeito de meu artigo intitulado "Sério que você assiste os debates desse bobo da corte?", foram estas:

"Digo que tenho filho pequeno e lutarei contra quem quiser torná-lo ateu, empurrar homossexualidade goela abaixo de uma criança, contra quem defende aborto, maconha, pedofilia e etc. Enfim vou lutar contra eles sim, pois enquanto vida eu tiver, ou a igreja do Santo Deus estiver aqui, eles terão opositores!". — isto disse você referindo-se a partir para a violência contra um autoritarismo de esquerda.

No jornal de ontem encontrei esta manchete: "Traficantes usam pandemia para criar 'Complexo de Israel' unindo cinco favelas na Zona Norte do Rio". Trata-se de uma facção criminosa que utiliza símbolos bíblicos do Antigo Testamento para impor sua lei no território onde domina, inclusive perseguindo religiões de matriz africana e destruindo seus terreiros. O chefe dos traficantes diz ser "Arão, irmão de Moisés". Seu braço direito ele chama de "Jeremias" e a quadrilha toda de "Tropa de Arão". Uma "Estrela de Davi" e a bandeira de Israel foram instaladas em pontos altos da comunidade.

Essa sua sede de luta, vingança e justiça pelas próprias mãos pode ser também um "complexo de Israel", não no sentido territorial do termo usado pelos traficantes, mas no âmbito do psicológico. Podem ser resquícios de uma doutrinação baseada na Teologia do Pacto que sempre imperou tanto os meios católicos quanto protestantes fundamentalistas, que acreditam ser a Igreja uma continuação de Israel, portanto com o direito e responsabilidade de varrer de seu território tudo o que for contrário à Bíblia.

Se para Israel seu território era a terra do Oriente Médio delimitada para herança dos israelitas, para a Teologia do Pacto o território é o mundo inteiro, sobre o qual acreditam que os cristãos devem prevalecer. Ora, não foi o próprio Jesus quem disse "Ide por todo o mundo..."? Então para muitos isso é permissão suficiente para invadir países e fincar neles o estandarte de Cristo, ou expulsar de seus próprios países os que chegam trazendo um outro estandarte. Puro sintoma do complexo de Israel, em seu estágio mais medieval.

Se você se preocupa com a influência que a esquerda possa ter em seu filho pequeno é porque ainda não entendeu que a Palavra de Deus diz aos pais, e não ao Estado, para criar seus filhos "na doutrina e admoestação do Senhor" (Ef 6:4). O Estado tem sua própria doutrina e admoestação, que nem sempre é vinda do Senhor, mas de homens. É um erro querer cristianizar o Estado para exigir que crie seus filhos e você possa se eximir dessa responsabilidade.

Quando a árvore do vizinho cresce demais, e seus galhos começam a passar por cima do muro deixando cair folhas podres em seu quintal, a solução não é eliminar a árvore ou o vizinho, mas elevar a altura de seu muro de proteção. Meus filhos já foram pequenos e não precisei combater o mundo para criá-los "na doutrina e admoestação do Senhor" (Ef 6:4). Apenas aumentei o muro de proteção de suas mentes e corações para que ficasse acima dos galhos e folhas podres do mundo.

O Senhor diz que somos "luz do mundo... Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus." (Mt 5:14). Isto não significa que devemos obrigar nosso vizinho ou o Estado a ser "luz do mundo". Esta é uma capacidade que tem somente o povo de Deus, não o povo que está debaixo da tirania do Príncipe deste mundo, que é Satanás. Você reparou que a história se repete? Quando o povo terreno de Deus, os hebreus, habitavam no Egito, uma das pragas derramadas sobre aquele país foram as trevas.

"Então disse o Senhor a Moisés: Estende a tua mão para o céu, e virão trevas sobre a terra do Egito, trevas que se apalpem. E Moisés estendeu a sua mão para o céu, e houve trevas espessas em toda a terra do Egito por três dias. Não viu um ao outro, e ninguém se levantou do seu lugar por três dias; mas todos os filhos de Israel tinham luz em suas habitações." (Êx 10:21-23).

O termo "trevas espessas... trevas que se apalpem" nos fala de trevas tangíveis, quase materiais, ou seja, se alguém acendesse um vela esta não seria capaz de iluminar. Por isso "não viu um ao outro, e ninguém se levantou do seu lugar por três dias", diz a passagem. Mas você reparou que "todos os filhos de Israel tinham luz em suas habitações"?

Pode ter certeza de que essa luz não era fornecida por Faraó, mas pelo Senhor. Mesmo porque o desejo do diabo, representado ali por Faraó, era o de deixar os hebreus saírem do Egito desde que deixassem seus filhos ali, sob os cuidados da educação egípcia. O que Moisés respondeu? "Havemos de ir com os nossos jovens, e com os nossos velhos; com os nossos filhos, e com as nossas filhas" (Hb 10:9). Moisés conhecia muito bem o sistema educacional egípcio, pois tinha sido "instruído em toda a ciência dos egípcios; e era poderoso em suas palavras e obras" (At 7:22).

Muitos anos antes desse episódio Moisés tinha sido criado pela filha de Faraó como príncipe do Egito, e quando se doeu de ver seu próprio povo sendo maltratado como escravos, ele achou que a graduação, pós-graduação, mestrado e doutorado que tinha feito nas universidades faraônicas o tornavam capaz de libertar seu povo. Ledo engano. O Senhor precisou desterrá-lo e enviá-lo ao deserto para ser pastor de cabras, reformatando sua mente para eliminar "toda a [má] ciência dos egípcios".

Como eu sei que o programa que o Senhor usou para limpar sua mente foi eficiente? Ora, é só você comparar a passagem que diz que Moisés "era poderoso em suas palavras e obras", como decorrência de ter sido "instruído em toda a ciência dos egípcios" (At 7:22). Veja como Moisés retruca ao ser convocado quarenta anos mais tarde para liderar o povo de Deus:

"Ah, meu Senhor! eu não sou homem eloquente, nem de ontem nem de anteontem, nem ainda desde que tens falado ao teu servo; porque sou pesado de boca e pesado de língua. E disse-lhe o Senhor: Quem fez a boca do homem? ou quem fez o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego? Não sou eu, o Senhor? Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar." (Êx 4:10-12).

Porém, mesmo com essa garantia vinda do próprio Senhor, Moisés ainda se achava incapaz demais e pediu que Arão lhe servisse de porta-voz, uma espécie de assessor de comunicação, para fazer a interface dele com o povo. Mas fica evidente que não seria com a capacidade de oratória que ele havia aprendido nas aulas de comunicação no Egito que Deus se comunicaria com seu povo, mas com uma capacitação que viria do próprio Deus.

Vi nas redes sociais uma discussão de pais querendo que as autoridades tirem do ar um Youtuber que tem exercido má influência em seus filhos. Isso é tão risível quanto Moisés, no Egito, exigir que Faraó destruísse todos os pergaminhos, estátuas e hieroglifos das paredes do reino. Será que esses pais nunca ouviram falar de controle de tablets e smartphones, de disciplinar seus filhos e ensiná-los a obedecer, acima de tudo, a autoridade no lar? Se você proíbe seu filho pequeno de aceitar doces de estranhos e entrar no carro de desconhecidos que abrirem uma porta para eles, por saber que seus órgãos podem acabar em algum frigorífico, por que deixaria ele entrar em qualquer canal que queira fazer o mesmo com seu cérebro?

É em casa que qualquer censura deve ser imposta — sim, eu disse "imposta" e pais frouxos precisam aprender que toda criança nasce em estado selvagem e se não for domesticada (e domesticar tem a ver com prepará-la no ambiente doméstico para viver na sociedade) ela crescerá guiada por seus instintos mais primitivos. Ou será que você acredita mesmo que dará certo querer que a sua moral seja imposta aos governantes do Egito ou de Sodoma para que eles cuidem de dar a seu filho uma educação cristã? Pode esquecer.

Deus falou a Abraão que "sua descendência seria peregrina em terra alheia" (At 7:6), e se Ló tivesse seguido o exemplo de seu tio e  habitado em tendas como estrangeiro na terra, ao invés de ir habitar em Sodoma e buscar ocupar uma cadeira de juiz à porta da cidade, não precisaria ter chegado a um nível tão baixo, que foi o de oferecer suas filhas virgens aos sodomitas para as estuprarem e poupar os anjos hospedados em sua casa.

Um cristão que confie que o Estado irá criar seus filhos dentro de conceitos morais cristãos não deve se surpreender ao descobrir que eles sofreram um estupro mental desse mesmo Estado, pois este é o fundamento de uma educação ateísta. Não queira que o mundo se adapte ao modo como você quer criar seus filhos, mesmo porque você não é do mundo e nem o mundo é seu. Você crê nas palavras de Jesus? Sim, o mesmo Filho de Deus que desceu dos céus para morrer e resgatar pecadores deste mundo vil não perdeu seu tempo lançando candidatura a algum cargo na tentativa de fazer com que o Império Romano mudasse seu modo de ser.

"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim. Se vós fósseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia." (Jo 15:18-19).

"Eu rogo por eles; NÃO ROGO PELO MUNDO, mas por aqueles que me deste, porque são teus. E todas as minhas coisas são tuas, e as tuas coisas são minhas; e nisso sou glorificado. E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós. Estando eu com eles no mundo, guardava-os em teu nome. Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que a Escritura se cumprisse. Mas agora vou para ti, e digo isto no mundo, para que tenham a minha alegria completa em si mesmos. 

"Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. NÃO SÃO DO MUNDO, COMO EU DO MUNDO NÃO SOU. Santifica-os [SEPARA-OS] na tua verdade; a tua palavra é a verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo. E por eles me santifico a mim mesmo, para que também eles sejam santificados na verdade. E não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim; para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste." (Jo 17:9-21).

Posso dar um conselho? Se preciso for, faça como a mãe de Moisés, siga o que o Faraó ordenou lançando seu bebê nas águas da morte do Nilo, mas faça isso num cesto impermeável para que o rio não entre nele. O problema não é o cesto entrar no rio, mas o rio entrar no cesto. Como fez a mãe de Moisés, mantenha o cesto próximo da margem, perto de voce e ao alcance de sua mão. Se você morasse num país islâmico ia fazer o que? Querer que o governo mudasse a religião?

Usando de seu argumento, imagine a mãe de Moisés dizendo: "Tenho filho pequeno e lutarei contra quem quiser torná-lo ateu, empurrar homossexualidade goela abaixo de uma criança, contra quem defende aborto, maconha, pedofilia e etc. Enfim vou lutar contra eles sim, pois enquanto vida eu tiver, ou o povo do Santo Deus estiver aqui, eles terão opositores!".

Ok, então você iria lutar contra Faraó e exigir que o Nilo fosse drenado até não oferecer mais perigo para seu filho. É neste ponto que alguém sem noção irá perguntar se pode comprar um "Cesto Moisés" para seu bebê feito na China, ou se isso iria trazer influências nefastas na formação da criança. Não ria. Você não acredita na quantidade de dúvidas supersticiosas que recebo.

Então lembre-se de que o cristão não é do mundo e o mundo não é do cristão. O mundo foi entregue por Adão ao diabo, e os que são do mundo pertencem ao mundo e ao seu príncipe, não ao Senhor. Espero não ser o seu caso, pois com uma disposição assim até parece que você quer ser do mundo. Nós cristãos estamos aqui de passagem e não devemos querer que o mundo seja como esperamos que seja.

O trecho a seguir é de um vídeo/texto de 2013 e continua atual. O título da versão completa é "Devemos nos preocupar com o que as escolas ensinam?". A "pastora" citada ali professa ser cristã e é hoje Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, e em que pese suas boas intenções de implantar uma educação cristã no país, sinto dizer que no médio e longo prazo isso não irá vingar. A tendência mundial é de deterioração de todas as coisas, até o mundo receber com aplausos o anticristo e depois ser devastado quando o próprio Cristo vier julgar as nações antes de estabelecer seu Reino milenar, e pode ter certeza de que o Senhor não precisará da ajuda de cristãos para fazerem a terraplenagem.

Naquele texto/vídeo eu dizia:

"Os pais cristãos devem preparar seus filhos em casa, e não esperar que aprendam os caminhos do Senhor nas escolas. A formação do caráter se dá pelo ensino e exemplo dos pais, não do Estado. Moisés é um exemplo de alguém que foi educado segundo a sabedoria deste mundo, mas mesmo assim foi preservado por Deus. É isto que devemos buscar para nossos filhos: nós os entregamos inevitavelmente às águas da morte do Nilo, porém em um cesto devidamente impermeabilizado para essas mesmas águas não penetrarem. E Deus irá fielmente cuidar deles naquilo que não estiver ao nosso alcance. Não nos cabe querer impor um ensino de valores cristãos em um mundo incrédulo e inimigo de Deus.".

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Nunca compartilharemos seu email com terceiros.

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional www.mariopersona.com.br. Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.
O que respondi by Mario Persona is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License. Creative Commons License
Esclarecimentos: O conteúdo deste blog traz respostas a perguntas de correspondentes, portanto as afirmações feitas aqui podem não se aplicar a outras pessoas e situações. Algumas respostas foram construídas a partir da reunião das dúvidas de mais de um correspondente. O objetivo é apenas mostrar o que a Bíblia diz a respeito das questões levantadas, e não sugerir qualquer ingerência de cristãos na política e na sociedade, no sentido de exigir que as pessoas sigam os preceitos bíblicos. O autor é favorável à livre expressão e, ainda que seu entendimento da Bíblia possa conflitar com a opinião de alguns, defende o respeito às pessoas de diferentes crenças e estilos de vida. Aqui são discutidas ideias e julgadas doutrinas, não pessoas. A opção "Comentários" foi desligada, não por causa das opiniões contrárias, mas de opiniões que pareciam favoráveis mas que tinham o objetivo ofender pessoas ou fazer propaganda de alguma igreja ou religião, induzindo os leitores ao erro.

Respondi

O que Respondi

3 Minutos

Evangelho em 3 Minutos

Pela Graça