As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Perdi minha posicao de obreiro. O que fazer?



https://youtu.be/zrPjaXYjHjU

Você escreveu dizendo ser membro e cooperador na obra de sua denominação, mas por discordar do dízimo e da cobrança de carnês está sendo ameaçado. Se não der o dízimo e comprovar isso com sua assinatura no carnê não poderá mais ser obreiro e deverá ficar longe do púlpito. Depois de tudo que você contribuiu para essa denominação você se sente indignado por ser tratado assim e quer saber como deve proceder.

Fico feliz por você estar sendo tratado assim e espero sinceramente que o próximo passo seja expulsarem você dessa denominação. Você sentiu o gostinho amargo do sistema religioso, onde são os homens e seus interesses que ditam as normas. Você também entendeu que o dízimo não tem lugar na Igreja, pois na doutrina dos apóstolos somos ensinados a dar ofertas, não para sustentar alguma organização e seus líderes, mas para as necessidades dos santos.

Comprovar dízimo e ter ainda um carnê para isso é um absurdo, pois o próprio Senhor ensinou que devemos evitar divulgar quando damos algo a alguém. Embora a passagem do Evangelho esteja falando de esmolas, o princípio é o mesmo da oferta, e a doutrina dos apóstolos nos ensina a separar em casa o que daremos na coleta. Isso deve permanecer um assunto entre o crente e o Senhor.

"Guardai-vos de fazer a vossa esmola diante dos homens, para serdes vistos por eles; aliás, não tereis galardão junto de vosso Pai, que está nos céus. Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita; para que a tua esmola seja dada em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, ele mesmo te recompensará publicamente." (Mt 6:1-4).

"Ora, quanto à coleta que se faz para os santos, fazei vós também o mesmo que ordenei às igrejas da Galácia. No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade." (1 Co 16:1-2). A versão Almeida Atualizada diz: "cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade", o que ajuda a entender o caráter privativo do que se separa para ofertar na coleta.

Eu disse que seria bom que você fosse expulso da denominação, mas talvez deveria dizer que seria melhor se você mesmo se apartasse, não apenas dessa, mas de qualquer denominação religiosa. Afinal, você seria capaz de identificar a qual denominação pertenciam Pedro, Paulo, Tiago e os outros apóstolos, ou os primeiros cristãos? Se pesquisar em Atos e nas epístolas não irá encontrar outro nome além do nome de Jesus para identificar o seu povo. Todos eles eram genericamente chamados "cristãos" pelos de fora, e congregavam regularmente ao Nome do Senhor Jesus, e não a algum nome inventado por homens.

O que você não deve fazer de maneira nenhuma é continuar dentro desse sistema tentando minar suas bases. Digo isto porque existem alguns que, depois de entenderem que algumas práticas da denominação não têm fundamento bíblico, continuam ali como um câncer, tentando aliciar simpatizantes para destruir a organização ou transformá-la em outra com práticas mais corretas.

Isso é um erro, porque fazendo assim você estaria promovendo a divisão entre irmãos, o que Deus abomina. Na lista de sete coisas negativas em Provérbios, as seis primeiras apenas aborrecem a Deus, mas a sétima é abominável aos olhos dele:

"Seis coisas o Senhor aborrece, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, testemunha falsa que profere mentiras e o que semeia contendas entre irmãos." (Pv 6:16-19).

Sei de pessoas que, depois de entenderem que denominações são um erro, tentam a todo custo alcançar o púlpito para se fazer ouvir, ou então fazem isso nos bastidores para semear contendas entre irmãos. Repare que Deus considera isso pior que "mãos que derramam sangue inocente"! Ao entender que você está envolvido com o erro, seu dever diante de Deus não é tentar destruir esse erro, mas apartar-se dele. Os que permanecerem lá são um assunto para Deus resolver, não você. "O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniquidade." (2 Tm 2:19).

O mesmo vale para aqueles que deixam uma denominação mas seguem "infiltrados" em grupos de discussão da denominação que abandonou, na tentativa de conquistar prosélitos para suas ideias. Mais uma vez estarão semeando contendas entre irmãos, o que Deus abomina.

O capítulo 13 de Hebreus faz uma distinção clara entre os costumes e celebrações dos judeus e a Igreja, o povo peregrino de Deus neste mundo na atual dispensação. Lá diz: "Saiamos, pois, a ele — a Jesus —, fora do arraial, levando o seu vitupério. Na verdade, não temos aqui cidade permanente, mas buscamos a que há de vir. Por meio de Jesus, pois, ofereçamos a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome." (Hb 13:13-15).

Quando você percebe que a cristandade criou um sistema muito semelhante ao arraial dos judeus, não resta opção a não ser sair desse arraial cristão para compartilhar da vergonha e rejeição que Cristo tem neste mundo e fora do arraial. Muitas coisas que você encontra nas denominações cristãs foram importadas do judaísmo, em parte por não entenderem que Israel e Igreja são dois povos distintos com promessas e destinos também distintos.

Templos, sacerdotes, vestimentas especiais, clero, dízimos, lugares santos, objetos santificados, dias de festa, corais e bandas são coisas que faziam sentido no judaísmo, mas não entre aqueles congregados ao nome do Senhor. A mudança que deveria ocorrer entre a adoração judaica, visível e voltada para os sentidos, e a adoração que o Pai buscaria naqueles que o adorassem em espírito e em verdade, ficou clara na conversa que o Senhor teve com a mulher samaritana.

"Senhor, disse-lhe a mulher [samaritana], vejo que tu és profeta. Nossos pais adoravam neste monte; vós, entretanto, dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, podes crer-me que a hora vem, quando nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos judeus. Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade." (Jo 4:19-24).

Se você deseja oferecer sempre a Deus sacrifício de louvor como o fruto de lábios que confessam o nome de Jesus, e não outro nome, esta é a coisa certa a fazer: sair do arraial, mas sair a Jesus e seguir com aqueles que, com um coração puro — isto é, purificado desses erros da grande casa da cristandade, — invocam o Senhor. É o que escreveu Paulo a Timóteo:

"De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra. Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor. E rejeita as questões loucas, e sem instrução, sabendo que produzem contendas." (2 Tm 2:21-23).

Quando somos exortados a sair fora do arraial, isto não significa que no arraial cristão não existam verdadeiros cristãos. Creio até que a maioria dos salvos está lá, muitos bem mais piedosos do que eu jamais fui. Mas ainda que muitos ali preguem a Cristo e não sua denominação, mas quando uma pessoa se converte ela é convidada a se fazer membro daquele sistema. Os sistemas que os homens inventaram não tiveram sua origem em Deus, portanto afaste-se deles.

Na Bíblia não vemos que alguém deva se tornar membro de alguma associação ou organização, pois no momento em que creu em Jesus essa pessoa já foi acrescentada ao seu corpo, que é a igreja. Desta fazem parte TODOS os salvos, e não os que se filiaram a alguma organização religiosa. A ideia de que alguém deva se fazer membro de uma "igreja" denominacional foi importada do catolicismo romano, que transformou a igreja em instrumento acessório de salvação.

Ou seja, se você não estiver na igreja católica não será salvo. Encontrei um artigo de alguém que se identifica como "Padre Ricardo" esta declaração sobre a suposta necessidade de ser membro da igreja católica para se salvar:

"Essas duas verdades – 'a real possibilidade de salvação em Cristo para todos os homens, e a necessidade da Igreja para essa salvação' – parecem estar em contradição, a um primeiro olhar. Diante dessa tensão, o fiel católico não deve simplesmente aceitar uma verdade e negar a outra, mas abraçar as duas verdades... Entre as coisas que a Igreja sempre pregou e nunca deixará de pregar está também a afirmação infalível que nos ensina que 'fora da Igreja não há salvação'." - (Pe. Ricardo).

Considerando que a definição bíblica de "igreja" é a do conjunto dos salvos, é uma afronta à obra de Cristo, que derramou seu sangue na cruz para nos salvar, dizer que a salvação seja garantida por um conjunto de pessoas, como se o Senhor precisasse da ajuda de homens para salvar alguém.

Quando eu disse que seria bom que você fosse expulso da denominação estava pensando no cego curado por Jesus, que foi expulso da sinagoga dos judeus. Veja que o judaísmo foi a única religião criada por Deus e dada aos homens com todo o seu clero, práticas e cerimônias. Mas o próprio deus colocaria um ponto final naquele sistema de adoração ao permitir que o Templo de Jerusalém fosse destruído.

Mesmo que no passado Deus tivesse colocado o seu nome em Jerusalém e mais especificamente no Templo que ordenou que fosse construído ali, do evangelho de Mateus, capítulo 18, versículo 20 aprendemos que o Senhor edificaria a sua igreja e estaria no meio de dois ou três reunidos pelo Espírito Santo ao seu nome, o que teve início em Atos 2.

Repare que foi só depois de ter sido expulso da sinagoga e do sistema judaico que o homem que fora cebo conheceu mais de Jesus e pôde adorá-lo de forma consciente e inteligente. Essa é a adoração que espera por todo cristão fora do arraial. Ainda que no arraial ele possa adorar "em espírito", não pode adorar "em verdade" por estar associado a um lugar e práticas que não estão fundamentadas na Verdade da Palavra de Deus.

"Ouvindo Jesus que o tinham expulsado, encontrando-o, lhe perguntou: Crês tu no Filho do Homem? Ele respondeu e disse: Quem é, Senhor, para que eu nele creia? E Jesus lhe disse: Já o tens visto, e é o que fala contigo. Então, afirmou ele: Creio, Senhor; e o adorou." (Jo 9:35-38).

Alguns alegam que não importa você estar ligado a um sistema religioso denominacional, desde que esteja salvo pois o importante é a salvação. Mas isso não é realmente assim. É claro que Deus quer salvar e que é possível uma pessoa ser salva em qualquer lugar onde venha a ouvir a Palavra de Deus, seja num templo católico ou protestante, seja numa pregação no rádio ou no Youtube.

Porém Deus quer mais, ele quer "coisas melhores, e coisas que acompanham a salvação" (Hb 6:9). Ele quer adoradores, e os "verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade." (Jo 4:23-24).

O cego tinha sido curado pelo Senhor, mas o povo não conseguia entender como aquilo havia acontecido. Não conseguiam entender como alguém, que não fazia parte do clero e que, na opinião deles, "não guardava o sábado" (Jo 9:16), poderia ter feito tal coisa fora do sistema religioso que eles tanto prezavam. A princípio o que fora cego também não entendi muita coisa, mas de uma coisa ele tinha certeza: ele era cego, mas agora via.

Os pais do que tinha sido cego são interrogados, mas por prezarem mais a religião exterior do que a verdadeira obra que Deus estava fazendo não queriam se indispor com os sacerdotes e fariseus. Para eles era preferível ficar de bem com o sistema religioso oficial, reconhecido por toda a sociedade, do que ficar "fora do arraial" compartilhando da rejeição de Jesus. Com todas as vantagens que o convívio social e religioso lhes oferecia, não poderiam nem pensar na possibilidade de serem expulsos da sinagoga. É por isso que muitos temem ser expulsos de uma denominação, seja ela católica ou protestante.

A passagem do cego curado por Jesus termina com ele aos pés do Senhor, o adorando com aquela adoração que é reservada exclusivamente a Deus. Fora do arraial religioso de sua época ele recebeu uma medida especial de revelação. Quão precioso é estar como ele, podendo adorar ao Senhor fora de tudo o que é do homem, sabendo não apenas que era cego e agora via, mas que agora podia adorar o Filho de Deus. Por isso estarei torcendo para você ser expulso de sua denominação.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana