As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Como confessar pecados que esqueci?



https://youtu.be/Y3ssGRgdIlg

Você escreveu dizendo que tem algo dentro de você que precisa ser confessado ao Senhor, mas que você não tem certeza de que seja exatamente. Você disse já ter confessado todos os pecados em sua memória e que admite sua condição ruim diante de Deus, mas se acha incapaz de verbalizar de forma clara o que falta confessar. O que fazer?

Muitos de nós trazem o costume católico de se confessar ao padre por uma janelinha treliçada do confessionário. A coisa ficava tão automática que eu já chegava com meu discurso pronto e com a lista dos pecados usuais, devidamente diluídos e açucarados para não me comprometer. E saía dali, não como alguém contrito pelo fato de ter desagradado a Deus, mas como alguém que pensava ter cumprido uma obrigação religiosa que (no meu pensar) iria contar pontos em meu programa de milhagem das Linhas Aéreas Celestiais.

Se fôssemos perdoados apenas pelos pecados que confessamos estaríamos perdidos, porque nem sempre nos lembramos de todos eles. Algo que hoje de manhã pode ter afligido minha alma por eu saber que desagradei a Deus, na próxima vez que for orar pode ter se escondido atrás de algum neurônio e eu nem me lembrar mais. Ah, tem um ponto que é importante incluir aqui: Sabia que um salvo por Cristo não pede perdão a Deus por seus pecados?

Isso mesmo. O crente em Cristo pediu perdão no dia em que se converteu e recebeu o perdão de todos os seus pecados, passados, presentes e futuros, pois o poder do sangue de Cristo é atemporal. Ele não limpou apenas os pecados que você cometeu até o dia de sua conversão, mesmo porque você nem existia quando aquele precioso sangue foi derramado. Cristo levou sobre si os pecados de todos os que, no passado antes de Cristo, creram que Deus enviaria um Cordeiro inocente para pagar pelo culpado. E também levou os pecados de todos os que depois creriam que isso já aconteceu, como é o nosso caso, tendo a cruz no particípio passado.

Se está surpreso com minha afirmação de que o crente não deve pedir perdão de seus pecados depois de ter se convertido, experimente procurar em algum lugar a partir de Atos dos Apóstolos algum salvo pedindo perdão a Deus ou sendo instruído pelas epístolas a fazer assim. O que temos, isso sim, é a instrução para confessarmos nossos pecados:

"E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas. Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós. Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo." (1 Jo 1:5-10; 2:1-2).

Algumas religiões, principalmente de doutrina pentecostal, não dão ao crente a certeza de sua salvação eterna, por isso seus seguidores vivem em constante angústia sem saber se foram devidamente perdoados. Vivem também numa espécie de loteria, pois seus pregadores utilizam-se erroneamente do versículo "a alma que pecar esta morrerá", sem entender que Ezequiel 18 está falando de pena de morte, ou seja, de morte física para os israelitas que praticassem algum dos delitos arrolados naquele capítulo.

Já pensou viver fazendo roleta russa? É assim que vive um crente sincero que foi manipulado com terrorismo psicológico por algum pregador pentecostal. Ou então vive como um hipócrita, como eram os fariseus, que se achavam justos porque tinham uma listinha bem limitada de pecados (como a minha no confessionário católico) e procuravam se manter longe dos males marcados nela.

Alguns mercadores da fé tentam ameaçar um cristão salvo por Cristo com bobagens do tipo "maldição familiar", mantendo seus escravos sob controle e dependentes de sua dose diária de manipulação mediante um preço. Pague, e o pregador cortará um elo de sua corrente. Pague de novo e ele cortará outro elo. Ou ao menos é isso que promete. Quem segue lobos assim não entende o evangelho da graça de Deus e despreza a eficácia do sangue de Cristo que nos purifica de todo pecado. O cristão não passará pelo juízo final porque os seus pecados foram todos pagos por Jesus, o "Justo" que morreu pelos injustos, como afirmam repetidamente os versículos abaixo:

"Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus... Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus... O qual por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para nossa justificação... Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras... O qual se deu a si mesmo por nossos pecados, para nos livrar do presente século mau, segundo a vontade de Deus nosso Pai... O qual [Cristo], sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas... Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados... Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça... E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo... E bem sabeis que ele se manifestou para tirar os nossos pecados; e nele não há pecado... Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados... E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Aquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados... Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo." (Rm 8:1; 1 Pe 3:18; Rm 4:25; 1 Co 15:3; Gl 1:4; Hb 1:3; 1 Pe 2:24; 1 Jo 1:9; 2:2; 3:5; 4:10; Ap 1:5; 2 Co 5:17).

Mas voltando à sua dúvida do início, quando for confessar seus pecados pense numa biópsia. Sim, aquela que o médico pede se suspeitar que o paciente tem câncer em algum órgão, o cérebro por exemplo. Seria muita ingenuidade pensar que para examinar se existe câncer no cérebro o médico mandasse extrair o cérebro inteiro para exames, não é mesmo? Então o que ele faz é extrair um pedacinho que não chegue a afetar o funcionamento daquele órgão, para examinar se existem células cancerígenas. E se existirem, o médico irá tratar o tumor ou o cérebro todo, dependendo do caso, pois talvez nem ele consiga detectar todas as partes afetadas.

Então quando for confessar, apresente a Deus uma biópsia de sua alma colocando-se integralmente na condição de quem não está sendo fiel a Deus, ainda que consiga se lembrar de apenas uma ou duas células de pecado que praticou. Deus irá entender bem que você está contrito e triste por ter desagradado a ele e será sua a promessa que a Palavra de Deus faz em 1 João 1:9 e também do Salmo 32:4-6:

"Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça... Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado. Sendo assim, todo homem piedoso te fará súplicas em tempo de poder encontrar-te. Com efeito, quando transbordarem muitas águas, não o atingirão."

Faça assim, lembrando que "o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que segundo Deus intercede pelos santos." (Rm 8:26-27).

E mais uma coisa: Não vá na conversa de líderes religiosos que exigem que você faça por escrito uma lista de todos os pecados que cometeu em sua vida, porque isso é dar a ele um documento assinado para ele poder fazer chantagem contra você quando bem entenderem. Devemos confessar aos nossos irmãos, não publicamente, mas reservadamente e a irmãos responsáveis, quando cometermos algum pecado grave que exija uma ação disciplinatória da assembleia por comprometer publicamente a santidade da casa de Deus, mas tudo isso é feito diante do Senhor e em temor. Quanto às faltas de todos os dias basta apresentarmos ao Senhor, já que elas não contaminam o testemunho e os irmãos com os quais temos comunhão.

http://www.respondi.com.br/2016/02/davi-foi-perdoado-apenas-confessando.html

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana