As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

A terra tem cantos?



https://youtu.be/V32z27-15II

Quando vejo um incrédulo acreditando que a terra seja plana, sinto pena dele por sua falta de informação. Ele está relegando todo o conhecimento científico comprovável e muitas testemunhas oculares só para adotar uma crença que nos tempos medievais já estava dois mil anos atrasada em relação ao que os gregos conheciam antes de Cristo.

É claro que você poderá argumentar que adotar a visão científica atual incluiria acreditar que a terra veio do Big-Bang e o homem evoluiu do macaco, mas não é a mesma coisa. O conhecimento científico do formato da terra, que era baseado em cálculos matemáticos pelos gregos antigos e hoje é baseado em testemunhas oculares e fatos comprovados, é diferente do pseudo conhecimento científico que se baseia em teorias.

O Big-Bang e a evolução das espécies são apenas teorias, pois são impossíveis de serem comprovadas pela experimentação, a menos que alguém viaje no tempo, ou consiga iniciar outro universo ou fazer uma ameba se transformar num mamífero vertebrado.

Quando um cristão me diz que acredita que a terra seja plana a coisa fica um pouco mais séria. Digo isto porque ele não só está indo contra as evidências já comprovadas em mais de meio século de viagens espaciais e lançamento de satélites e sondas, mas está dizendo que centenas de astronautas e milhares de trabalhadores da indústria aeroespacial, muitos deles cristãos sinceros, são mentirosos que aceitaram dinheiro para fazer parte de uma suposta conspiração mundial.

Você, cristão, teria coragem de dizer cara a cara a um irmão em Cristo que ele é um mentiroso corrupto que aceita dinheiro sujo para mentir que foi ao espaço? Se não conhece pessoalmente um astronauta, faça o teste: Vá a uma loja de antenas parabólicas e diga ao balconista cristão que ele é mentiroso corrupto, porque quando aponta aquela antena para o espaço está apontando na verdade para alguma torre das redondezas. Sim, pois não se trata apenas do formato da terra: essa teoria nega até a possibilidade de se enviar satélites ao espaço e considera o funcionamento de seu GPS ficção.

Além de fazer falsas acusações contra irmãos em Cristo, o problema de um cristão seduzido por essa e outras teorias conspiratórias é que ele se coloca ombro a ombro com homens ímpios que o levam a acreditar que as provas dessas teorias possam ser encontradas na Bíblia. Entendeu o que eu disse? Sim, até mesmo ateus e céticos criam vídeos no Youtube usando a Bíblia para sustentar suas ideias. Você acredita no que um ateu diz sobre a Bíblia, sabendo que "o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente." (1 Co 2:14)?

Existe também outro problema, que é a ignorância literária e incapacidade de interpretação de textos. Para começar, a Bíblia não é um livro científico e nem se propõe a sê-lo. As próprias evidências da Criação que encontramos nela não são para ser enxergadas como evidências científicas, pois não precisamos de comprovação científica para crer na Palavra de Deus. Considero um erro muitos que, começando pela fé, acabam pela vista quando recorrem à ciência e arqueologia na tentativa de provar a incrédulos Criação ou que as espécies não evoluíram.

Nós cristãos não chegamos ao entendimento da Criação assim e o incrédulo também não irá chegar a menos que creia na Palavra de Deus. A ciência procura entender o Universo por experimentação e teorias científicas, mas o crente em Cristo já entende tudo acerca da Criação e não precisa de uma luneta, régua ou balança para isso. Ele só precisa da fé, pois "pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente." (Hb 11:3).

Ao tentarem apelar para a Bíblia a fim de provarem suas teorias tudo o que os seguidores de teorias conspiratórias conseguem é revelar desconhecimento linguístico, que inclui conhecimentos gramaticais e lexicais (de palavras) suficientes para entender as frases, o encadeamento delas, o significado dos termos, além do estilo literário usado pelo autor no caso de um texto. Já ouvi até alguém dizer que se a terra fosse um globo não seria possível os "quatro anjos que estavam sobre os quatro cantos da terra" (Ap 7:1). Bem, numa terra plana circular isso também não seria possível, a menos que ela fosse quadrada, e não circular como uma pizza.

Mas meu intento aqui não é tirar os incrédulos terraplanistas de seu engano, mas alertar os cristãos que se deixam seduzir por isso além de indicar a beleza literária da Bíblia com suas muitas expressões e figuras de linguagem que confundem alguns. Muitos me escrevem perguntando se Deus criou duas mulheres, só porque a criação da mulher é mencionada duas vezes em Gênesis, uma em Gênesis 1:27, "e criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou", e outra em Gênesis 2:22: "E da costela que o Senhor Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão.".

Mas em Gênesis 5:1-2 diz que "Deus criou o homem, à semelhança de Deus o fez; homem e mulher os criou.", e será que significa que que Deus teria criado dois homens e três mulheres? É claro que não, as passagens apenas repetem o relato da criação agregando novos elementos. Se eu hoje disser a você que estou de carro novo, e amanhã que agora adquiri um carro para trabalhar na fazenda, o que você pensará? Que ontem comprei um sedã e hoje um utilitário? Pessoas acostumadas com literatura sabem que um autor pode dar o panorama geral de um assunto para depois voltar e revelar seus detalhes.

Além do aspecto literário da Bíblia, que muitos deixam de apreciar ou até entendem errado por falta de leitura e aprendizado de interpretação de textos, também conhecido como "analfabetismo funcional", as figuras de linguagem podem gerar aberrações doutrinárias. Uma delas é a de que os cristãos participariam de um ritual de antropofagia todas as vezes que celebrassem a ceia do Senhor, pois estariam literalmente comendo carne e bebendo sangue. Quando criança eu ficava apavorado só de pensar que poderia, sem querer, morder a hóstia que o padre colocava em minha boca e sair da missa com meus lábios ensanguentados.

Talvez a doutrina da transubstanciação seja o caso mais sério de perversão das Escrituras pelo não entendimento de figuras de linguagem, talvez influenciada pelas ideias de transmutação ensinadas pelos alquimistas. Sim, Jesus disse acerca do pão da ceia "isto é o meu corpo" e do vinho "isto é o meu sangue" (Mt 26:26-28), mas assumir que sua linguagem seja literal e não figurativa nos leva a pensar no Senhor como sendo uma porta de madeira, com trinco e dobradiças, e uma videira com raízes, galhos e folhas.

Você já viu alguém apontar para uma foto e dizer: “Aquele ali sou eu” ou "Aquela é minha mãe"? Será que você achou mesmo que aquele pedaço de papel era um ser humano? Quando Jesus disse “Eu sou o pão que desceu do céu” (Jo 6:41) você entendeu que ele se referia à figura do maná no deserto. Quando disse “Eu sou a luz do mundo” (Jo 8:12) você não achou que ele brilhasse no escuro, e quando falou “Eu sou a porta” (Jo 10:9) nem precisou explicar que a linguagem era figurada. Ao dizer “Eu sou a videira, vós os ramos” (Jo 15:5) os discípulos não correram conferir se tinham folhas.

Por isso é totalmente absurdo tentar provar pela Bíblia teorias conspiratórias como a de uma suposta terra plana. Primeiro porque na Bíblia tudo é escrito segundo o ponto de vista de quem está na terra, e por isso é o sol que viaja pelo céu, aparece ou desaparece no horizonte. E até quando o vemos desaparecer no horizonte devemos desconfiar de nossos sentidos, pois a verdade é que o sol que estamos vendo nem está mais ali. Ele já desapareceu antes de você perceber.

Por causa do efeito de refração na atmosfera o sol já desapareceu quando ainda achamos que está visível no poente. É o mesmo efeito que faz o índio atirar sua flecha não no peixe que vê no rio, mas acima, porque é onde ele realmente está, e não onde seus olhos o veem. Faça um teste: coloque um lápis dentro de um copo de água e seu lápis parecerá ter se quebrado no ponto onde o ar encontra a água, por causa da velocidade com que a luz viaja nos diferentes meios. Então é melhor desconfiar de seus sentidos, pois eles nunca revelam a realidade das coisas, como gostaria os terraplanistas que se fiam na mera observação da natureza..

A Bíblia usa muito de similitudes, por exemplo quando diz que o justo "é como árvore plantada junto a corrente de águas" e os ímpios "como a palha que o vento dispersa" (Sl 1:3-4), mas você nunca pensou em riscar um fósforo perto daquele mau vizinho para se livrar dele. Também diz que "toda a carne é como a erva" (1 Pe 1:24), mas não vejo meu corpo fazer fotossíntese e produzir clorofila. E quando leio que "o Senhor Deus é um sol" (Sl 84:11) não fico esperando amanhecer para me prostrar em adoração à estrela que nos ilumina e aquece.

Muitas dúvidas que recebo sobre o texto bíblico tem a ver com dificuldade de interpretação de textos ou um aprendizado básico pouco eficiente, além de falta de hábito de ler livros e ficção. Mas também pode ser um indício de autismo, pois autistas têm dificuldade com nuances de linguagem, compreensão de anedotas e indiretas. Entendem tudo preto ou branco, sem nuances. Algumas interpretações literais de símbolos e figuras de linguagem podem ter a ver com isso. Em um site chamado "Estou Autista" encontrei esta explicação:

"Os autistas possuem pensamento concreto ou seja, dificuldade com ideias abstratas. Reagem de forma literal às palavras dos outros e por isso possuem dificuldade para entender sarcasmo, humor, metáforas, figuras de linguagem, duplo sentido, etc."

Imagine o susto que teria Rebeca quando o Senhor lhe disse: "Duas nações há no teu ventre" (Gn 25:23), ou o nojo de Adão ao ouvir o Senhor dizer: "No suor do teu rosto comerás o teu pão" (Gn 3:19). E como poderiam os israelitas terem acreditado nos espias que voltaram dizendo, "as cidades são grandes e fortificadas até aos céus" (Dt 1:28), e isso antes de existirem arranha-céus! Ou você acredita que quando alguém diz que viu um arranha-céu o edifício arranhava mesmo o céu?

Talvez os que tentem comprovar suas teorias conspiratórias com interpretação literal de passagens bíblicas estejam procurando pelo esqueleto de Davi, pois afinal ele prometeu: "Todos os meus ossos dirão" (Sl 35:10). Ou, depois de lerem o Livro de Jó, tenham saído por aí conversando com animais, aves e peixes! Afinal, Jó disse: "Pergunta agora às alimárias, e cada uma delas te ensinará; e às aves dos céus, e elas te farão saber; ou fala com a terra, e ela te ensinará; até os peixes do mar te contarão." (Jó 12:7-8).

O Senhor prometeu que "os outeiros romperão em cântico diante de vós, e todas as árvores do campo baterão palmas" (Is 55:12), mas não saímos ao campo para assistir a um show de música. Quando a ex-presidente falou em armazenar vento poderia ela se justificar biblicamente? Talvez você diga que sim, usando a passagem que diz que Deus "dos seus depósitos faz sair o vento" (Jr 10:13).

Aqueles que gostam de usar literalmente Daniel 4:10-11 deveriam também acreditar na historinha de "João e o Pé de Feijão", pois afinal Daniel diz que "estava olhando e vi uma árvore no meio da terra, cuja altura era grande; crescia a árvore e se tornava forte, de maneira que a sua altura chegava até ao céu; e era vista até aos confins da terra." (Dn 4:10-11). Já vi até ateu usando esta e outras passagens da Bíblia na tentativa de provar sua teoria. Sim, estou forçando a barra para você perceber o quão ridículo é não saber interpretar figuras de linguagem.

Acredito que estes exemplos sejam suficientes para você entender que muitas passagens bíblicas usam figuras de linguagem, símbolos, parábolas etc. Já fui questionado por pessoas que acreditam que no céu poderemos andar a cavalo, pois viu cavalos no céu em Apocalipse, ou que na Grande Tribulação as estrelas do céu cairão literalmente sobre a terra, algo difícil de acreditar considerando que estrelas costumam ser milhares de vezes maiores que planetas.

Ora, o livro de Apocalipse também fala de gafanhotos parecidos com cavalos, com rosto de homem, cabelo de mulher e dentes de leão, vestidos de couraças de ferro. Devo acreditar que exista algum laboratório secreto por aí criando insetos com esteroides e genes mistos de humanos e equinos? Se você realmente acredita assim, crie um canal no Youtube e comece a fazer vídeos provando sua teoria. Você pode ficar famoso e ganhar muito dinheiro com propaganda.

Eu disse tudo isso aqui para ver se alguns cristãos crédulos em teorias conspiratórias despertem de seu hipnotismo e deixem de ser ludibriados por homens maus, inclusive ateus e céticos, que manipulam a Bíblia para provar suas teorias. Apenas o fato de serem incrédulos já faz da Bíblia para eles um livro hermético impossível de ser compreendido.

Os cristãos ingênuos que eles conseguem cativar com suas teorias não só dão seu aval a uma interpretação incrédula das Escrituras, como também se colocam ao lado deles para chamar de mentirosos corruptos muitos cristãos sinceros que já estiveram no espaço, ou trabalham na indústria aeroespacial e de telecomunicações. Mas se você ainda tem dificuldade de entender linguagem figurada, sugiro que nunca ande de botas. Ouvi dizer de um que bateu as botas e morreu.

Outro argumento absurdo a favor da "terra plana" (talvez seja até gozação) foi alguém que disse que o logo da ONU mostra a terra plana. Qualquer pessoa com um mínimo de noção de cartografia (no meu tempo a gente estudava isso no colegial) sabe o que é um planisfério, que é quando o cartógrafo transforma o globo num plano para melhor visualização. Ao fazer isso ele pode escolher olhar o globo de lado e abri-lo produzindo um plano retangular, como são os planisférios pendurados na parede da sala de aula, ou adotar qualquer ponto de vista, como foi esse do logo da ONU que enxerga o globo tendo o Polo Norte como centro. É chamada projeção azimutal polar.

Isso foi feito para não dar colher de chá a ninguém, porque se usassem uma visão lateral fatalmente algum país apareceria no centro, e diriam que a ONU estaria favorecendo esse país como centro do mundo. Ou seja, uma projeção azimutal polar é o mapa da Terra mais isento que se poderia obter (a menos que se fizesse com o Polo Sul como centro, mas aí ninguém iria entender os continentes invertidos).

Nos mapas convencionais ocidentais o planisfério toma como centro o meridiano de Greenwich, porque lá também está o relógio com a hora mundial, por isso temos também o Greenwich Mean Time (GMT) em inglês, como padrão de referência de hora. Foi a Inglaterra quem começou a padronizar isso porque era o poder dominante na época.

Mas existem mapas em que a Austrália aparece no centro. E também pode-se fazer um mapa com os continentes invertidos, de cabeça para baixo, porque no espaço não existe lado de cima e lado de baixo, é só convenção. Podíamos fazer um mapa colocando o Brazil em cima e os Estados Unidos embaixo, assim nos sentiríamos superiores, ao menos cartograficamente.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana