As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Como os sabios do Oriente sabiam da estrela?



https://youtu.be/e4WZBUScpNo

Você pergunta como os sábios, que vieram do Oriente conhecer o menino que nasceu, podiam saber que a estrela era um sinal e deviam segui-la. Em Números 24:17 Balaão faz uma profecia contra si mesmo, ao dizer que veria o Cristo, mas não de perto (porque estaria perdido quando o visse). Também não seria naquele momento que ele veria, mas num dia futuro, quando for julgado. A estrela que procederia de Jacó seria o verdadeiro Rei Davi, Jesus, em sua vinda ao mundo.

Talvez esta profecia tenha se espalhado pelos povos da antiguidade e por isso os sábios (é o que significa a palavra "magos" em nossas traduções) sabiam disso. Quando Deus colocou no céu uma estrela que não constava de seus mapas estelares, pois os sábios eram astrólogos (astrologia e astronomia na antiguidade andavam juntas), eles devem ter se lembrado da profecia de Balaão que, afinal de contas, era também um "mago" no mesmo sentido usado para os que vieram do oriente e também de Daniel, o profeta. Quando Daniel vivia em Babilônia ele alcançou o status de "mestre" ou chefe "dos magos, dos astrólogos, dos caldeus e dos adivinhadores". Foi ele que a rainha sugeriu que Belsazar chamasse, quando viu uma mão misteriosa escrever na parede do palácio:

"Então o rei Belsazar perturbou-se muito, e mudou-se-lhe o semblante; e os seus senhores estavam sobressaltados. A rainha, por causa das palavras do rei e dos seus senhores, entrou na casa do banquete, e respondeu, dizendo: O rei, vive para sempre! Não te perturbem os teus pensamentos, nem se mude o teu semblante. Há no teu reino um homem, no qual há o espírito dos deuses santos; e nos dias de teu pai se achou nele luz, e inteligência, e sabedoria, como a sabedoria dos deuses; e teu pai, o rei Nabucodonosor, sim, teu pai, o rei, o constituiu mestre dos magos, dos astrólogos, dos caldeus e dos adivinhadores" (Dn 5:9-11)

No relato da Criação em Gênesis 1 Deus deu as estrelas como guias para os homens, portanto elas, assim como o sol e a lua, são símbolos de governo. Esta era a razão de uma estrela estar associada ao Messias e Rei de Israel em sua vinda: "E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos. E sejam para luminares na expansão dos céus, para iluminar a terra; e assim foi. E fez Deus os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; e fez as estrelas." (Gn 1:14-16).

Em Apocalipse encontramos ao menos doze citações de estrelas (curiosamente doze é o número que representa governo — doze tribos de Israel, doze apóstolos), e elas são usadas tanto para os poderes do bem quanto do mal. Anjos são representados como estrelas, sejam eles caídos ou não. Por isso Satanás é chamado em Isaías 14:12 de "Estrela da Manhã" ou "filha da alva", títulos também dados a Cristo em Apocalipse 2:28 e 22:16 e 2 Pedro 2:19.

Em Apocalipse 2:28 a expressão é dita à Igreja de Tiatira como promessa aos que vencerem. Aquela igreja representaria o período do catolicismo romano, quando os homens seguem uma mulher como autoridade máxima (Jezabel representando a Igreja como sendo feminino), e o Espírito Santo quer deixar claro que o que tem direito de reger é Cristo, a Cabeça do corpo que é a Igreja.

Se na profecia de Balaão Deus usou uma estrela para anunciar a primeira vinda do Messias e Rei ao mundo — "uma estrela procederá de Jacó" —, e uma estrela realmente apareceu e guiou os sábios até o lugar onde estava o menino, a segunda parte da profecia fala da vinda de Cristo para reinar — "...e um cetro subirá de Israel, que ferirá os termos dos moabitas, e destruirá todos os filhos de Sete" (Nm 24:17). Estrela é figura de um expoente ou guia e cetro é o que dá à pessoa a autoridade para reger.

Na primeira parte Deus usou uma estrela para guiar os sábios do Oriente ao lugar onde o verdadeiro Rei de Israel havia nascido, na segunda parte a "Estrela da Manhã" ou "Estrela da Alva" em pessoa será o anúncio de sua chegada para reinar. Estrela da manhã é aquela mais brilhante que surge quando o dia está prestes a raiar e o sol se levantar. E Cristo é também o "Sol da justiça", como vemos nas passagens a seguir.

"E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações." (2 Pe 1:19).

"Porque eis que aquele dia vem ardendo como fornalha; todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade, serão como a palha; e o dia que está para vir os abrasará, diz o Senhor dos Exércitos, de sorte que lhes não deixará nem raiz nem ramo. Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria. E pisareis os ímpios, porque se farão cinza debaixo das plantas de vossos pés, naquele dia que estou preparando, diz o Senhor dos Exércitos." (Ml 4:1-3).

Tudo isso não devia ser desconhecido dos que se incluíssem entre os magos, astrólogos, caldeus e adivinhadores, pois eram os homens mais cultos da antiguidade e que tinham acesso a uma vasta biblioteca dessas áreas de conhecimento. Os livros do Antigo Testamento certamente faziam parte dessa biblioteca que devia ser leitura obrigatória para qualquer candidato a sábio. Eles certamente perscrutavam a Palavra de Deus nos diversos pergaminhos aos quais tinham acesso.

Pode parecer estranho colocar Daniel junto com essas pessoas que certamente praticavam coisas proibidas na Lei de Moisés, como a adivinhação. Mas quando vemos que, por revelação divina, Daniel soube dizer qual tinha sido o sonho de Nabucodonosor, isso aos olhos de qualquer um era tido como uma adivinhação.

Hoje diríamos que na corte de Babilônia havia cientistas de diversas áreas do conhecimento, pois era isso que os sábios da antiguidade representavam. E qualquer um sabe que alguns cientistas também praticam adivinhação! Afinal, quando colocada à prova pela Palavra de Deus, acaso a Teoria da Evolução não é uma especulação digna de um adivinho ou falso profeta? No entanto a maioria dos cientistas acredita nesse vaticínio de Darwin e outros.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana