As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Satanás está no céu ou na terra?



https://youtu.be/4FYwh_ONoek

Você escreveu dizendo que discorda da explicação que dei em um de meus vídeos de que que Satanás teria acesso ao céu. Segundo você, o livro de Gênesis fala de abismo e Lucas fala dos demônios que não queriam ir para esse abismo, então você deduz que é lá mora Satanás. Você continua dizendo que no livro de Jó Satanás não precisaria estar no céu para falar com Deus, pois nós falamos com Deus em oração sem irmos até lá. E quando em Efésios diz que nossa batalha é contra as hostes espirituais nos lugares celestiais, você afirma que isso significa apenas o "mundo espiritual" e não o céu propriamente dito.

Concluir que Satanás more no abismo porque a palavra abismo aparece no primeiro capítulo de Gênesis seria o mesmo que alguém dizer que o ser humano vive no Paraíso porque isso é o que dizem os dois primeiros capítulos de Gênesis. Mas quando vemos que no futuro Satanás e seus anjos serão expulsos do céu, não precisa muita inteligência para perceber que para ser expulso de lá ele precisa estar lá. A passagem é profética e em profecia o verbo é muitas vezes usado no passado, pois João enxergava a cena como já tendo ocorrido.

"E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos; mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus. E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele." (Ap 12:7-9).

Sua comparação da conversa que Satanás teve com o Senhor em Jó 1 e 2 com a conversa que temos com o Senhor em oração também "faz água", como dizem os americanos ao lembrarem um barco furado. Em Jó não diz que Satanás apenas falou com o Senhor, mas que ele se apresentou na presença do Senhor.

"E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles. Então o Senhor disse a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao Senhor, e disse: De rodear a terra, e passear por ela." (Jó 1:6-7).

Sua menção a Efésios dizendo que "lugares celestiais" significam apenas mundo espiritual também não se sustenta.

"Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais." (Ef 6:12).

A palavra grega para "lugares celestiais" ali é "epouranios", a mesma usada em outras passagens que falam do lugar em que o salvo está agora com Cristo, porque Cristo também está assentado lá à destra da Majestade. O dicionário grego define επουρανιος  ou epouranios como "algo que existe no céu; coisas que acontecem no céu; regiões celestiais; o céu em si mesmo como habitação de Deus e dos anjos; os céus inferiores onde estão as estrelas; os céus onde ficam as nuvens; o templo celeste ou santuário; algo de origem ou natureza celeste".

Veja alguns exemplos de passagens em Efésios onde o termo epouranios aparece no original:

"Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais [epouranios] em Cristo... Que manifestou em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos, e pondo-o à sua direita nos céus [epouranios]... E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais [epouranios], em Cristo Jesus"... Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus [epouranios]" (Ef 1:3, 20; 2:6; 3:10).

Em seu livro "Annotated Bible - Old and New Testament", de 1919, Arno Clement Gaebelein comenta:

Toda a cena é intensamente interessante. Não é ficção, mas revelação, e o que é gravado aqui realmente aconteceu, e algo assim ainda acontece no céu. Uma passagem paralela é encontrada em 1 Reis 22:19. O profeta Micaías viu o Senhor sentado em seu trono e todo o exército do céu ao seu lado, à sua direita e à sua esquerda. E então o Senhor permitiu, como julgamento sobre Acabe, que um espírito mentiroso entrasse nos profetas de Acabe para enganar Acabe.

O céu como lugar não é ficção. Há um céu não criado onde o trono e a morada de Deus sempre existiram. Destas passagens de Jó 1 e 2 podemos concluir que há certos momentos em que todos os inquilinos celestes, bons e maus, precisam se reunir diante do Senhor. Os filhos de Deus vieram se apresentar diante do Senhor. A expressão "filhos de Deus" não significa crentes na terra (a filiação de um crente é uma verdade do Novo Testamento), mas seres sobrenaturais, os anjos. De acordo com este livro de Jó, esses filhos de Deus exultaram de alegria na hora da criação (Jó 38:7). Outras escrituras falam dessas reuniões celestiais (Ver Salmo 89:5-7; Zacarias 4:1-14, etc.). E Satanás também veio entre eles. Ele também deve aparecer diante do Senhor. Satanás significa "adversário".

Nesse caráter, como acusador dos irmãos, ele é visto no último livro da Bíblia e, de acordo com Apocalipse 12:1-17, ele ainda está ativo na mesma capacidade que nos dias de Jó, e ainda tem acesso ao trono de Deus, até que chegue a hora em que sua destruição comece com sua expulsão do céu. A crítica destrutiva considera Satanás um mito babilônico ou persa, uma reprodução na literatura hebraica da fábula persa de Ahriman. Mas mesmo o infiel francês Renan disse sobre o Satanás das Escrituras: “Esta é uma pessoa completamente diferente dos Ahriman do Zend-Avesta. Não é o espírito do mal que existe e age por si mesmo... Ele não é independente de Deus; como alguém afirmou corretamente, 'Satanás pode ir apenas até o fim da correia de sua coleira'.".

A afirmação crítica de que a crença em um Satanás se originou após o exílio é historicamente incorreta. A serpente em Gênesis 3:1-24 é Satanás. Originalmente, ele era Lúcifer, o filho da manhã (Isaías 14:1-32), "o querubim ungido para cobrir" (Ezequiel 28:1-26), essa grande criatura de Deus que caiu por causa do orgulho. (Veja “The History of Satan” por F. C. Jennings).

Satanás é obrigado a prestar contas a Jeová. Ele caminha de um lado para o outro na terra e sobe e desce dela. Portanto ele não está no inferno. O Novo Testamento nos diz que ele é "o deus deste século" e que seu trono está aqui na terra. Ele ainda anda de um lado para o outro. Então Deus chama sua atenção para Jó e aprova seu caráter dizendo que não há ninguém como Jó. Satanás conhecia Jó e odiava Jó, como ele ainda conhece e odeia todos os filhos de Deus e é movido pela malícia para com o povo de Deus. E assim, imediatamente, Satanás escarnece diante da face do Senhor e o desafia:

"Porventura teme Jó a Deus debalde? Porventura tu não cercaste de sebe, a ele, e a sua casa, e a tudo quanto tem? A obra de suas mãos abençoaste e o seu gado se tem aumentado na terra. Mas estende a tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e verás se não blasfema contra ti na tua face." (Jó 1:9-11).

Então o Senhor entrega Jó a Satanás; dá-lhe a permissão para tomar tudo o que tem, e apenas na pessoa de Jó não lhe foi permitido pôr suas mãos vis. Mas notemos que a acusação de Satanás é o resultado do desafio de Jeová. Citamos outro autor:

“É preciso observar com atenção aqui que a fonte e origem de todas essas tratativas não são as acusações de Satanás, mas o próprio Deus. Deus sabia de que Seu servo Jó precisava, e Ele mesmo apresenta seu caso e coloca tudo em movimento. Se Deus pergunta a Satanás se ele tinha considerado Seu servo Jó, é porque o próprio Deus já o tinha considerado. Satanás é apenas um instrumento, e um instrumento ignorante, embora sutil, usado para realizar os propósitos da graça de Deus. Suas acusações resultam realmente em nada contra Jó, exceto em provar a veracidade delas pelo que ele pode fazer. Mas, para o bem de Jó Satanás é deixado à vontade até certo ponto, com o objetivo de levar Jó a um conhecimento de seu próprio coração e, portanto, a um terreno mais profundo do relacionamento prático com Deus. Quão abençoados e perfeitos são os caminhos de Deus! Como são vãos, em seus resultados, os esforços de Satanás contra os que pertencem a Deus!” (J. N. Darby - "Sinopse da Bíblia").
Traduzido de "Annotated Bible - Old and New Testament", de 1919 por Arno Clement Gaebelein

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana