fonte

Deus é masculino ou feminino?



https://youtu.be/znNfUOiMU2c

Depois de ler um livro horrível que é vendido em livrarias cristãs, ou ter visto o filme blasfemo que apresenta Deus como uma mulher negra, é natural que as pessoas perguntem se Deus é masculino ou feminino, se é negro (como no livro e filme), oriental (idem) ou caucasiano, e se não for nada disso, se não teria sido mais politicamente correto os escritores da Palavra de Deus terem usado um pronome neutro para Deus.

O livro que deu origem ao filme e foi escrito por um filho de missionários que viria a negar as verdades fundamentais da fé cristã, e justamente por esse "cristianismo pop" ser aclamado pela mídia e por grande parte de evangélicos modernistas. Mas a ideia de um "Deus" neutro ou feminino esbarra na verdade revelada na Palavra de Deus e criaria uma situação constrangedora para alguém que decidisse orar: "Mãe nossa, que estais no céu...".

A bobagem do autor é tão grande, que ao tentar fugir da cultura patriarcal ele caiu de cabeça numa cultura matriarcal que ele mesmo criou, o que não é nenhuma novidade. Os antigos pagãos já tinham copiado sua ideia quando há milhares de anos definiram suas deusas às pencas, e foi por colocar em risco o comércio ligado à deusa Diana que Paulo quase foi linchado. Os que desejavam riscá-lo do mapa alegavam em seus discursos:

"Senhores, sabeis que deste ofício vem a nossa prosperidade e estais vendo e ouvindo que não só em Éfeso, mas em quase toda a Ásia, este Paulo tem persuadido e desencaminhado muita gente, afirmando não serem deuses os que são feitos por mãos humanas. Não somente há o perigo de a nossa profissão cair em descrédito, como também o de o próprio templo da grande deusa, Diana, ser estimado em nada, e ser mesmo destruída a majestade daquela que toda a Ásia e o mundo adoram. Ouvindo isto, encheram-se de furor e clamavam: Grande é a Diana dos efésios!" (At 19:25).

O presente mundo está se tornando cada vez mais pagão, então não é de admirar que queiram também paganizar o Deus verdadeiro aplicando a ele conceitos politicamente corretos. A última notícia que ouvi é que até a NASA estaria querendo renomear os planetas cujos nomes sejam por demais machistas. O que Deus acha de tudo isso e principalmente dos esforços que tentam mudar a Verdade revelada?

"Por que se enfurecem os gentios e os povos imaginam coisas vãs? Os reis da terra se levantam, e os príncipes conspiram contra o Senhor e contra o seu Ungido, dizendo: Rompamos os seus laços e sacudamos de nós as suas algemas.  Ri-se aquele que habita nos céus; o Senhor zomba deles. Na sua ira, a seu tempo, lhes há de falar e no seu furor os confundirá." (Sl 2:1-5).

Em meio a tudo isso a Bíblia afirma claramente que "Deus é Espírito" (Jo 4:24), portanto não possui um corpo físico e não pode ser definido como sendo masculino ou feminino, negro ou branco, jovem ou velho, da mesma maneira como normalmente definimos um ser humano como homem ou mulher em função das diferentes características de seu organismo.

A humanidade foi criada à imagem de Deus, significando que temos uma personalidade, pensamos, agimos, temos emoções, nos comunicamos, criamos relacionamentos etc. Todas estas características recebemos de Deus, mas não significam que nascemos como sendo do gênero masculino ou feminino por Deus possuir um gênero.  Todavia, ao se revelar aos seres humanos, Deus o fez na Pessoa de seu Filho, que foi manifestado como Homem, e não mulher.

Sendo Homem e Deus, nos desígnios eternos já tinha ficado acordado que Cristo teria uma esposa, e não um esposo ou companheiro. Ele e sua esposa Igreja seriam o padrão para toda relação entre um homem e uma mulher, como Paulo explica em sua carta aos Efésios:

"As mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor; porque o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, sendo este mesmo o salvador do corpo. Como, porém, a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo submissas ao seu marido. Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito. Assim também os maridos devem amar a sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama. Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja; porque somos membros do seu corpo. Eis por que deixará o homem a seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher, e se tornarão os dois uma só carne. Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja. Não obstante, vós, cada um de per si também ame a própria esposa como a si mesmo, e a esposa respeite ao marido." (Ef 5:22).

Espero que isto seja suficiente para você entender que a ideia politicamente correta hoje aceita para o casamento está na contra-mão da ordem divinamene correta da relação de um casal. As ideias degeneradas da ordem que Deus estabeleceu na natureza só poderiam levar à tentativa de se pasteurizar a Deus transformando-o numa vaga ideia ou amuleto a que padres e pastores pudessem se referir em cerimônias fúnebres para fazerem de conta que são submissos a uma autoridade máxima e eterna.

Ao ressuscitar, Jesus mostrou aos discípulos ser claramente humano por possuir um corpo, naquele momento um corpo ressuscitado: "Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho." (Lc 24:39). O Filho de Deus (que também é um Ser divino) tinha vindo ao mundo como menino, ou seja, um ser humano do gênero masculino, tanto quando foi profetizado quanto quando a profecia se realizou. Repare também que em dezenas de passagens Jesus se refere a Deus como "Pai" e não "Mãe", como querem algumas religiões pagãs ou movimentos esotéricos.

Outra evidência é a do texto bíblico. No Novo Testamento existem quase mil versículos onde a palavra "theos", que é um substantivo masculino no grego, é usada para se referir a Deus. Os muitos títulos dados a Deus na Bíblia também aparecem na forma masculina, portanto foi assim que Deus quis ser revelado aos homens. Um cristão fiel às Escrituras não terá problemas em considerar um erro grave querer feminizar a Bíblia, como alguns hereges vêm fazendo ultimamente, tentando aplicar à revelação de Deus um gênero feminino — como no livro "evangélico" que citei —  ou até mesmo usar algum neologismo neutro.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Nunca compartilharemos seu email com terceiros.

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional www.mariopersona.com.br. Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.
O que respondi by Mario Persona is licensed under a Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License. Creative Commons License
Esclarecimentos: O conteúdo deste blog traz respostas a perguntas de correspondentes, portanto as afirmações feitas aqui podem não se aplicar a outras pessoas e situações. Algumas respostas foram construídas a partir da reunião das dúvidas de mais de um correspondente. O objetivo é apenas mostrar o que a Bíblia diz a respeito das questões levantadas, e não sugerir qualquer ingerência de cristãos na política e na sociedade, no sentido de exigir que as pessoas sigam os preceitos bíblicos. O autor é favorável à livre expressão e, ainda que seu entendimento da Bíblia possa conflitar com a opinião de alguns, defende o respeito às pessoas de diferentes crenças e estilos de vida. Aqui são discutidas ideias e julgadas doutrinas, não pessoas. A opção "Comentários" foi desligada, não por causa das opiniões contrárias, mas de opiniões que pareciam favoráveis mas que tinham o objetivo ofender pessoas ou fazer propaganda de alguma igreja ou religião, induzindo os leitores ao erro.

Respondi

O que Respondi

3 Minutos

Evangelho em 3 Minutos

Pela Graça