As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Pessoas esclarecidas crêem na Bíblia?



https://youtu.be/KrL5lFUxD9A

Não diria que pessoas esclarecidas crêem na Bíblia. É preciso ser louco para crer no que ela diz. Eu, por exemplo, me incluo entre os loucos e pouco esclarecidos que creem. Explico: é a própria Bíblia que diz que ela não é para ser crida pelos mais esclarecidos ou sábios. Se ler os capítulos 1 e 2 de 1a. Coríntios irá encontrar, no cap. 1, este trecho:

"Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, E aniquilarei a inteligência dos inteligentes. Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo?

Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação. Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria; Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos.Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus.

Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens. Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; Para que nenhuma carne se glorie perante ele."

Se leu o capítulo 2 de 1a. Coríntios terá visto Paulo dizer:

"A minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder; Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus.
Todavia falamos sabedoria entre os perfeitos; não, porém, a sabedoria deste mundo, nem dos príncipes deste mundo, que se aniquilam; Mas falamos a sabedoria de Deus... A qual nenhum dos príncipes deste mundo conheceu; porque, se a conhecessem, nunca crucificariam ao Senhor da glória."

Os detentores do poder são aqui chamados de "príncipes deste mundo". O texto, porém, está se referindo como verdadeira sabedoria aquela que é de Deus, impossível de ser compreendida pelo homem em seu estado natural. É o que o mesmo trecho diz, em continuação:

"Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente."

Por "homem natural", entenda o homem em seu estado inconverso ou do modo como veio ao mundo (não nasceu de novo).

Moral da história: Existe uma sabedoria humana, que pode ser para benefício do homem ou não (foi ela que nos deu esta Internet etc.) E existe uma sabedoria de Deus que está numa esfera inatingível pela mente humana racional, por isso é chamada de loucura pelos que não crêem. É isto o que a Bíblia diz: que chamariam de loucura sua mensagem. O ponto que levantei e para o qual retorno agora. A Bíblia é loucura para os que não crêem ou (como os Inquisidores) a interpretam para proveito próprio.

Acaso não é esta a opinião corrente neste e em outras discussões que discutem Deus? A tônica sempre é que a Bíblia é uma loucura, indigna de crédito e que os que nela crêem não entendem das coisas. Se reler minha mensagem anterior verá que é exatamente o que escrevi. Ou seja, estou plenamente de acordo com as opiniões que correm aqui neste sentido. Só que vendo as coisas do lado de dentro do terreno da fé.

Respondendo sua pergunta, os que, usando o nome de Deus, perseguiram e mataram cientistas e inventores fizeram isso em nome da sabedoria humana corrente em sua época. Pensar assim era "in" naquele tempo tanto quanto questionar a existência de Deus é "in" nos dias de hoje.

Acaso não era nisso que a maioria acreditava? A diferença com nossos dias é que aqueles homens faziam aquilo usando o nome de Deus, e faziam barbáries ainda maiores contra os que professavam uma fé simples na Palavra de Deus. Milhões foram mortos pela Inquisição porque liam a Bíblia ou professavam fé na Palavra de Deus e não nos detentores do poder religioso-secular.

Por favor, não confunda cristianismo com cristandade. Alguém definiu o primeiro como a branca neve que desce do céu. O segundo, a negra lama em que se transforma quando em contato com a terra. Os homens usaram e continuarão usando Deus como pretexto para suas intolerâncias, reputando por sabedoria sua própria loucura de domínio e poder.

Porque, na realidade, é isso o que cada ser humano busca: domínio e poder. Além da auto-suficiência de viver livre de Deus e dono do nariz de suas próprias interpretações. Mas isto é outro assunto.

Mais acessadas da semana