As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Qual a diferença entre o arrebatamento e a vinda de Cristo?

É de extrema importância entender a distinção que existe nas Escrituras entre o arrebatamento e a vinda de Cristo. O arrebatamento não deve ser confundido com a vinda de Cristo. Embora o Senhor venha dos céus em ambas as ocasiões, o arrebatamento e a vinda de Cristo são eventos que diferem de forma distinta.
  • Arrebatamento é quando o Senhor vem para os Seus santos (Jo 14.2,3) ‑‑ Vinda de Cristo é quando Ele vem com os Seus santos (que foram levados à glória no arrebatamento) Jd 14; Zc 14.5.
  • O arrebatamento pode acontecer a qualquer momento ‑‑ a vinda de Cristo não acontecerá até cerca de 7 anos após o arrebatamento.
  • No arrebatamento o Senhor vem secretamente, num piscar de olhos (1 Co 15.52) ‑‑ em Sua vinda Ele vem publicamente e todo olho O verá (Ap 1.7).
  • No arrebatamento Ele vem para libertar a Igreja (1 Ts 1.10) ‑‑ em Sua vinda Ele vem para libertar Israel (Sl 6.1‑4).
  • No arrebatamento Ele vem nos ares para a Sua Igreja, pois é o Seu povo celestial (1 Ts 4.15‑18) ‑‑ em Sua vinda Ele volta à terra (no local chamado Monte das Oliveiras) para Israel que é o Seu povo terrenal (Zc 14.4,5).
  • No arrebatamento é o próprio Senhor Quem reúne os Seus santos (1 Ts 4.15‑18; 2 Ts 2.1) ‑‑ em Sua vinda Ele envia os Seus anjos para reunir os eleitos de Israel (Mt 24.30,31).
  • No arrebatamento Ele leva os crentes para fora deste mundo, deixando para trás os ímpios (Jo 14.2,3) ‑‑ em Sua vinda os ímpios são tirados do mundo para julgamento e os crentes (aqueles que tiverem se convertido por meio do evangelho do Reino que será pregado durante a tribulação) são deixados para desfrutar de bênçãos na terra (Mt 13.41‑43; 25.41).
  • No arrebatamento Ele vem para libertar os Seus santos (a Igreja) da ira vindoura (1 Ts 1.10) ‑‑ em Sua vinda Ele vem para derramar a Sua ira (Ap 19.15).
  • No arrebatamento Ele vem como o Noivo, para receber Sua noiva, a Igreja (Mt 25.6,10) ‑‑ em Sua vinda Ele vem como o Filho do Homem em juízo sobre aqueles que O rejeitaram (Mt 24.27, 28).
  • No arrebatamento Ele vem como a "Estrela da Manhã" que desponta pouco antes de raiar o dia (Ap 22.16) ‑‑ em Sua vinda Ele vem como o "Sol de Justiça", que é o próprio raiar do dia (Ml 4.2).
  • No arrebatamento Ele vem sem quaisquer sinais, pois o cristão anda por fé e não por vista (2 Co 5.7) ‑‑ já a Sua vinda será cercada de sinais pois os judeus pedem sinais (Lc 21.11,25‑27; 1 Co 1.22).
Nas Escrituras nunca é feita referência ao arrebatamento como um "ladrão de noite". Este termo refere‑se à vinda do Senhor (1 Ts 5.2; 2 Pd 3.10; Mt 24.43; Ap 16.15; 3.3).

Em um certo sentido há três vindas. Sua vinda para o que era Seu (Primeira Vinda Jo 1.10,11; Hb 10.7), Sua vinda para os que Lhe pertencem (Arrebatamento Jo 14.2,3; 1 Ts 4.15‑18 ‑‑ N.T.: ou "pelos que Lhe pertencem"), e Sua vinda com os que Lhe pertencem (A Vinda de Cristo Jd 14).
(traduzido de "Outline of Prophetic Events ‑ Bruce Anstey)

Mais acessadas da semana

Loading...