As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Qual é a hierarquia na igreja?



https://youtu.be/twq8eDDX5oQ

Você perguntou a respeito de uma organização hierárquica. Uma das coisas que mais intrigam aqueles com quem converso acerca de reunir‑se somente ao nome do Senhor é o fato das Escrituras não apresentarem nada parecido com o que encontramos hoje, ou seja, um homem liderando uma congregação e dando a ela ensino, exortação, consolo, além de determinar a ordem das reuniões.

A razão do espanto de alguns é que muitas vezes acreditamos que aquilo que é normalmente praticado é o correto. Mas você poderá procurar no texto da Palavra de Deus (no que se refere à Igreja, e não a Israel) e verá que não havia um líder dirigindo uma congregação. Vemos isto em nossos dias, mas não é assim que ensina a Palavra.

Você encontrará pastores, presbíteros, bispos ou anciãos (veja Atos 20.17,28), e sempre no plural. Havia os bispos ou anciãos em Éfeso, Corinto, etc. Nunca havia um único homem à frente de uma congregação como encontramos em muitos lugares nos nossos dias. E, de qualquer modo, aqueles que tinham a responsabilidade de pastorear o rebanho não eram "dirigentes" do rebanho, no sentido de exercerem domínio sobre as ovelhas. Porém as apascentavam; tinham cuidado delas, procurando servir de exemplo (1 Pd 5). Mas esse cuidado se limitava à assembléia como um todo e nunca era exercido no sentido de dirigir uma reunião. Na reunião da assembléia o Espírito Santo tem a direção e pode usar quem Ele desejar (você encontra algum homem dirigindo a reunião descrita em 1 Coríntios 14.26‑40?).

Quanto ao sacerdócio, no Antigo Testamento havia apenas um que poderia entrar no Santo dos Santos, que era o sacerdote. Hoje todo crente tem acesso livre ao Santo Lugar, além do véu, no verdadeiro santuário, graças ao sangue de Jesus (Hb 8.1‑3; 10.19‑22). Somos todos IGUALMENTE sacerdotes diante de Deus. A idéia de que exista um clero (composto de sacerdotes humanamente instituídos) é uma idéia católica romana, que foi adotada por muitos protestantes. Mas não é algo bíblico. No Antigo Testamento somente os sacerdotes poderiam ministrar, ou trazer oferendas, no Santuário. No Novo Testamento isto continua valendo, com a diferença de que cada crente verdadeiro é um sacerdote. A Ceia do Senhor é um memorial do sacrifício de Cristo, quando cumprimos o mandamento do Senhor e oferecemos a Deus sacrifícios de louvor.

Na Ceia não há lugar para a manifestação de dons como evangelistas, pastores ou mestres. É a adoração e a memória de Cristo que estão em evidência. E quem pode lembrar Cristo? Quem pode trazer uma oração de ação de graças pelo Cordeiro de Deus? Quem pode elevar sua voz em louvor àquele que deu Seu sangue para nos salvar? Será que somente uma classe privilegiada de homens pode fazer isto? Concordo que nem todo crente tem o dom para ministrar a Palavra de Deus, ou evangelizar, ou pastorear ou ensinar. Mas todo aquele que foi redimido tem o direito e o privilégio de agradecer Àquele que morreu para nos redimir.

Portanto, qualquer salvo por Cristo tem o direito, e por que não dizer, a ousadia, de se levantar na Ceia e, dando graças, partir o pão e entregar o vinho para que sejam passados por todos os que estão em comunhão à mesa do Senhor. Para compreender a ordem dada à igreja no Novo Testamento, é necessário que se esqueça o que se vê nas denominações e se adote somente com o que é encontrado na Palavra de Deus. Caso contrário nunca se terá o privilégio de desfrutar de muitas das coisas que Deus tem preparado para os Seus.Lembre‑se de que os pensamentos de Deus não são os pensamentos dos homens. Israel tinha a Deus como seu Rei, mas quiseram um rei "como as outras nações". Eles queriam ser iguais aos outros pois, pensavam, como poderiam ter ordem sem um rei humano? Deus, a muito contragosto, lhes dá Saul. Muitos não podem compreender como pode ser uma reunião dirigida pelo Espírito de Deus, pois onde se reunem há um dirigente humano.

Mas eu posso testemunhar a você que, reunindo‑me somente ao nome do Senhor, sem denominação ou dirigente humano, desfruto juntamente com os irmãos, a cada semana, e várias vêzes por semana, da direção do Espírito nas reuniões. Tudo com ordem e decência. Um irmão sente em seu coração que deve sugerir um hino, outro levanta‑se e traz uma oração, outro convida os irmãos a abrirem suas Bíblias e traz uma palavra de exortação, outro ministra palavras consoladoras e outro é usado pelo Espírito para edificar. Tudo em perfeita ordem e decência, com começo, meio e fim. E isto é experimentado por mim e por milhares de irmãos no mundo todo que se reúnem regularmente somente ao nome do Senhor, sem nenhum outro nome além do nome do Senhor, sem nenhum outro líder além do Espírito Santo e sem nenhum dogma ou estatuto além da Palavra de Deus. Você acredita que Deus é suficiente para isto?

Mais acessadas da semana