As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

O pastor fica entrevistando um demonio. Isso e' correto?

A igreja não se reúne para se ocupar com demônios, a igreja na Bíblia se reúne para se ocupar com Deus, perseverando na doutrina dos apóstolos e na comunhão, e no partir do pão e nas orações. Muito do que se vê por aí é pura armação envolvendo atores contratados, na melhor das hipóteses, ou então poder satânico mesmo, com o qual alguns conscientes ou não acabam se envolvendo. Fuja disso, ocupe-se com Cristo e sua Palavra, não com o que dizem os demônios ou os atores contratados para se fazerem passar por demônios.

Uma vez falando do evangelho ao técnico de som, antes de começar minha palestra em uma grande siderúrgica, ele me contou que tem um primo que trabalha dos EUA também com sonorização de palestras, shows e espetáculos. Seu primo tinha sido contratado pela organização religiosa de um famoso pregador de milagres de lá e foi prepara o equipamento em um grande ginásio de esportes.

Num determinado momento o pregador ordenou que todos fossem embora e ficassem apenas seus assessores, mas esse técnico estava nos bastidores terminando umas ligações e não saiu. Foi aí que ele viu os atores chegando e se posicionando no palco para um ensaio, com cadeiras de rodas, muletas, bengalas, óculos escuros... No ensaio, enquanto ele observava por uma fresta nas cortinas, o pregador instruía cada um como devia agir na hora em que seu "demônio" fosse expulso, sua "doença" curada etc.

Uma vez peguei um táxi no aeroporto de Fortaleza, e quando dei um folheto ao motorista e puxei conversa sobre o evangelho, ele contou de um passageiro que pegou ali uns dias antes. O homem desembarcou bem vestido e seguiu para um hotel da cidade, marcando com o motorista para pegá-lo ali à noite. Quando o taxista chegou o homem que saiu do hotel era o mesmo, porém vestido com roupas velhas e remendadas e trazendo uma muleta debaixo do braço. O endereço era de uma famosa igreja pentecostal, e depois de pagar o táxi, o homem desceu se apoiando nas muletas e arrastando os pés até a porta. Não é difícil adivinhar o que aconteceria lá dentro.

Portanto, não seja você mais um ingênuo para acreditar em tudo o que esses que se dizem pregadores fazem por aí. Um dia eles terão de dar conta do que fizeram e receberão da boca do Senhor seu juízo de condenação. Ou de que você acha que Jesus estava falando quando disse estas palavras?

"Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade." (Mt 7:21-23).

No evangelho de Marcos temos o caso de um demônio incorporado em um homem na sinagoga, que era o lugar de oração e leitura das Escrituras. Como poderia justamente ali existir alguém possuído por um demônio? Você não deve se surpreender, pois a cristandade é o terreno preferido para Satanás, seus anjos, demônios e ministros agirem. A especialidade de Satanás, dos anjos caídos e dos espíritos malignos é a imitação. Eles são mestres nesta arte e costumam usar seres humanos, influenciados ou incorporados, como explica Paulo:

"Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras." (2 Co 11:13-15).

A cristandade hoje está cheia de “falsos apóstolos, obreiros fraudulentos” e falsos servos fingindo ser “ministros de justiça”. Ingênuo é o que acredita em tudo que se diz “cristão” ou “evangélico”. Quando ainda não existia a Igreja, mas o testemunho de Deus na terra estava com os judeus, encontramos numa sinagoga um demônio que possuía o corpo de um homem. Ele diz a Jesus: “Ah! que temos contigo, Jesus Nazareno? Vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus. E repreendeu-o Jesus, dizendo: Cala-te, e sai dele. Então o espírito imundo, convulsionando-o, e clamando com grande voz, saiu dele.” (Mc 1:24-26).

O Filho de Deus não iria permitir que o testemunho de demônios interferisse em sua obra e nem iria perder tempo dando a um demônio oportunidade de destilar seu veneno com tantos ouvintes ali naquela sinagoga que deveria estar reunida para aprender das Escrituras, e não da boca de espíritos malignos, como acontece nessas igrejas onde pastores entrevistam demônios.

No livro de Atos uma jovem possessa é vista seguindo os discípulos e proclamando nas ruas: “Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo.” (At 16:17). Um leitor menos atento poderia pensar que ela estava ajudando, mas Paulo discerne aquilo e recusa o testemunho demoníaco, libertando a jovem do espírito maligno que a afligia. Mas, ao contrário dos que se acham empoderados para lidar com coisas assim quando bem entenderem, o apóstolo não libertou a jovem logo de cara, pois o texto diz que "isto fez ela por muitos dias" (At 16:18).

Discernir espíritos, se são o não malignos, é uma das manifestações do Espírito em 1 Coríntios 12:10, e se Paulo levou alguns dias para ter essa manifestação e expulsar o espírito que agia na mulher, Pedro, em Atos 8, logo discerniu que Simão não era um verdadeiro convertido, mas alguém movido pelo engano de Satanás em busca de proveito próprio. Manifestações do Espírito (erroneamente traduzidas como "dons" em 1 Coríntios 12) não são algo que alguém possui permanentemente, mas são manifestações em que o Espírito Santo usa um crente para fazer algo útil. O crente não a tem, é o Espírito que a dá para determinadas tarefas. "Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil." (1 Co 12:7)

O argumento usado pelos inocentes úteis que lotam essas igrejas milagreiras é: “Não julgueis, para que não sejais julgados.” (Mt 7:1). Mas nesta passagem Jesus fala do julgamento de pessoas, de seus corações e intenções, algo caberá a ele fazer no dia do juízo. Enquanto isso somos sim exortados a julgar palavras, doutrinas, pecados e ações, como o próprio Senhor ensinou e depois também os apóstolos. Paulo escreveu, ao dar instruções de como deveria ser a reunião da igreja: "E falem dois ou três profetas, e os outros julguem." (1 Co 14:29). Veja outras passagens em que os crentes são exortados a julgar:

"Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça... Porque que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro? Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai, pois, dentre vós a esse iníquo... Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois, porventura, indignos de julgar as coisas mínimas? Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida? Para vos envergonhar o digo: Não há, pois, entre vós sábios, nem mesmo um, que possa julgar entre seus irmãos?" (Jo 7:24; 1 Co 5:12-13; 6:2-5).

Para não sermos enganados é preciso estarmos sempre prontos a discernir e julgar se algo é ou não de Deus. Jesus alertou: “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.” (Mt 7:15). Você não poderá praticar esse julgamento e identificar falsos profetas se acreditar em tudo que alguém diz só porque traz um título de "pastor", "missionário", "apóstolo", "teólogo" etc. Títulos qualquer um pode ter, mas nova vida só aqueles a quem Deus dá, e a cristandade está cheia de mortos ocupando os palcos e os microfones. Não sou eu quem diz, mas Jesus dizia o mesmo dos líderes religiosos de sua época:

"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia... Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! que sois como as sepulturas que não aparecem, e os homens que sobre elas andam não o sabem." (Mt 23:27; Lc 11:44).

Repare que há uma diferença entre "sepulcros" e "sepulturas". Sepulcros são construções elaboradas feitas sobre sepulturas, isto é, quando se deseja que o morto seja conhecido por sua projeção na sociedade. Quanto maior o status do defunto, maior será seu sepulcro. Sepulturas são covas escondidas, sem marcação, sobre as quais a grama cresce e ninguém percebe que estão ali. Falsos pregadores podem tanto ser pessoas que promovem suas obras aos quatro ventos, como também aqueles que praticam suas mentiras em oculto, dissimuladamente, para ninguém perceber.

O crente deve sim julgar as doutrinas e frutos dessa matilha que invadiu a cristandade e ficar longe desses lobos. Paulo aconselha: “Não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as. Porque o que eles fazem em oculto, o só referir é vergonha. Mas todas as coisas, quando reprovadas pela luz, se tornam manifestas; porque tudo que se manifesta é luz. Pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará. Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor. ” (Ef 5:11-17).

Por trás desses homens e mulheres está o poder de Satanás; seus mentores são anjos caídos, e seus operadores de milagres são demônios ou espíritos imundos. Isto quando não usam de meros truques de mágica de salão, atores contratados ou técnicas de sugestionamento e hipnose spara enganar.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana