As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Se as denominacoes nao existissem como o mundo seria evangelizado?



https://youtu.be/Wm6gJTuFu_M

Você pergunta como o mundo poderia ser evangelizado se todas as denominações deixassem de existir. Existem basicamente dois equívocos em sua pergunta. O primeiro é achar que o Senhor ordenou que denominações fossem criadas desde o princípio para que o mundo pudesse ser evangelizado, achando que os primeiros cristãos estivessem congregados em diferentes denominações.

Alguns até usam os nomes das cidades para as quais são endereçadas as sete cartas nos capítulos 2 e 3 de Apocalipse argumentando que Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodiceia teriam sido organizações ou denominações religiosas. Um conhecimento básico de geografia e uma pitada de bom senso ajudam a perceber que eram apenas cidades onde a Igreja, o único corpo de Cristo, estava congregada ao nome do Senhor Jesus.

Daí as cartas serem endereçadas do modo como foram, "A todos os que estais em Roma, amados de Deus, chamados santos" (Rm 1:7), "À igreja de Deus que está em Corinto" (1 Co 1:2), "...às igrejas da Galácia" (Gl 1:2), "...aos santos que estão em Éfeso" (Ef 1:1), "...a todos os santos em Cristo Jesus, que estão em Filipos" (Fp 1:1), "...aos santos e irmãos fiéis em Cristo, que estão em Colossos" (Cl 1:2).

Não existiam denominações religiosas, os crentes eram identificados apenas pelo nome das cidades onde estavam congregados. Quando o comandante das Forças Armadas quer se dirigir a um determinado agrupamento de soldados ele escreve "ao Quartel ou Tiro de Guerra da cidade tal", e ninguém de sã consciência iria achar que existiriam diferentes Exércitos Brasileiros espalhados por aí. Só existe um e seus soldados podem estar aquartelados em diferentes localidades. O mesmo vale para a Igreja de Deus.

O outro equívoco é a ideia de que pregar o evangelho seja uma atividade da Igreja. Não é e nunca foi, e inclusive a ordem de evangelizar foi dada nos evangelhos, antes mesmo de a Igreja ser fundada em Atos 2. Em Marcos 16:15 Jesus disse: "Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.". Ainda que aquela ordem tenha sido dada aos apóstolos na condição de judeus e representando o remanescente judeu fiel que haverá na terra no futuro, em tempos de grande tribulação, ela vale para a Igreja. Basta ver como eram evangelizadores os primeiros cristãos ao longo de todo o livro de Atos.

Mas se reparar nas diversas passagens que falam do evangelismo praticado pelos primeiros cristãos verá que sempre foi uma atividade de indivíduos, não da Igreja ou de alguma instituição "missionária", como as que foram inventadas séculos depois. Evangelizar é responsabilidade dos salvos individualmente e sua ocupação é com os incrédulos. Igreja é a reunião dos Santos, não uma agência evangelizadora, e sua ocupação é com o Senhor.

As atividades da igreja são aprender da doutrina dos apóstolos, celebrar a ceia e orar. O evangelista não tem seu trabalho na igreja (reunião dos santos) mas no mundo. São outros os dons que agem nas reuniões da Igreja e sempre voltados aos salvos, não aos incrédulos. Em Atos 2:42 lemos das principais atividades da assembleia ou igreja reunida: "E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.". Teria o autor do texto esquecido de incluir "Perseveravam ...na evangelização"? Não, pois são estas as funções da assembleia ou igreja que é reunida pelo Espírito ao nome do Senhor Jesus.

A falta de entendimento do que é igreja e sua função leva a esse equívoco. A maioria dos cristãos enxerga "Igreja" como algum tipo de obra missionária destinada a evangelizar o mundo. Não é. O Senhor disse que o Pai buscava adoradores, não evangelistas. Evangelistas o Senhor não busca, ele dá. Os evangelistas saem pelo mundo à procura de pecadores para lhes falar do evangelho e o Espírito Santo fazer neles a obra de salvação.

Só depois de escutarem e se converterem eles são adicionados à Igreja, o corpo de Cristo, e isso é feito pelo próprio Senhor, não pela pessoa que batiza, por algum líder religioso ou pelo preenchimento de algum contrato ou formulário. "Todos os que creram estavam juntos... Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos." (At 2:44).

Nesta passagem a seguir Deus procura adoradores: "Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade." (Jo 4:23-24). Nesta outra diz que o Senhor não busca evangelista, mas ele próprio os dá, como também os outros dons:  "Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas. E ele mesmo deu uns para apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores" (Ef 4:10-11).

A Igreja é reunida pelo Espírito Santo ao próprio Cristo, não a um nome inventado pelos homens, mas ao único NOME que Deus deu para identificar os salvos, o nome de Jesus. Meu pai não teria ficado nem um pouco feliz se eu tivesse adotado um sobrenome diferente daquele que herdei dele, e o Senhor não fica nem um pouco contente quando vê cristãos se identificando pelos nomes das milhares de divisões da cristandade. Depois de ler a passagem a seguir verifique seu coração para ver se tem o mesmo sentimento do Senhor em preservar a unidade do Espírito:

"Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da sua palavra; a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste.... a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim... Porque, onde estiverem dois ou três reunidos EM MEU NOME, aí estou eu no meio deles... esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz; há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo." (Jo 17:20-21, 23; Mt 18:20; Ef 4:3-5).

No judaísmo o Nome do Senhor era o lugar, e esse lugar era assinalado geograficamente e plotado em Jerusalém, num Templo de pedras. O Senhor disse em Deuteronômio 12:11: "Então haverá um lugar que escolherá o Senhor vosso Deus para ali fazer habitar o seu nome; ali trareis tudo o que vos ordeno; os vossos holocaustos, e os vossos sacrifícios, e os vossos dízimos, e a oferta alçada da vossa mão, e toda a escolha dos vossos votos que fizerdes ao Senhor.".

Mas chegaria um tempo quando o Nome continuaria sendo o lugar de reunião dos santos, mas não seria mais Jerusalém ou qualquer ponto geográfico. As pessoas não estariam mais reunidas em um Templo físico, mas elas próprias seriam o templo de Deus em Espírito. Jesus disse:

"Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade." (Jo 4:20-24).

Foi isso que o Senhor ensinou em sua conversa com a mulher samaritana, uma gentia como todos os que, junto com judeus, seriam acrescentados ao Corpo de Cristo formando um terceiro grupo de pessoas na terra, ao qual Deus passaria a chamar de "Igreja de Deus". Paulo esclarece isso: "Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gentios, nem à igreja de Deus." (1 Co 10:32).

https://www.respondi.com.br/2010/03/igreja-nao-evangeliza.html

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana