As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

O que fazer agora que me afastei do sistema religioso?



https://youtu.be/VwCBr2R__OY

Você escreveu dizendo que tomou uma decisão e saiu do sistema religioso de uma vez por todas. Mas como em sua cidade não há irmãos congregados somente em nome do Senhor, você segue em casa apenas com a leitura da Bíblia e assistindo "O Evangelho em 3 Minutos". Suas palavras foram: "Estou me sentindo bem, sinto como se um caminhão tivesse saído de cima de mim. O que fazer agora?". Acredito que a melhor resposta à sua pergunta esteja em Juízes 6:14: "Então o Senhor olhou para ele, e disse: Vai nesta tua força".

Em todo o mundo muitas das assembleias de irmãos congregados somente ao nome do Senhor começaram com a decisão de uma pessoa de honrar o Senhor e buscar estar onde ele colocou o seu Nome, e mais nome nenhum. E isso inclui países onde até o simples ato de congregar como cristão é motivo para perseguição e prisão, como no Butão, onde os irmãos são obrigados a atravessar a fronteira com a Índia para promover reuniões especiais com um número maior de pessoas.

No Egito, onde só é permitido congregar em templos cristãos construídos antes das atuais leis islâmicas. Ali, por algum tempo, os irmãos alugaram uma sala no porão de uma igreja copta para poderem congregar. Nas reuniões feitas em casas de irmãos eles combinam de chegar e sair em diferentes momentos para não levantar suspeitas, e as reuniões especiais com um maior número de pessoas são em um hotel na margem oposta do Mar Vermelho onde existe uma espécie de "zona franca" para turistas estrangeiros e são permitidas certas atividades proibidas em outros lugares do país.

Mas mesmo em um país com liberdade de congregar um passo assim, de se separar de todo sistema religioso denominacional, exige fé. Mas quero que fique animado, pois já vi o Senhor honrar esse tipo de fé muitas vezes, e onde tudo começa com apenas um irmão ou irmã que confiou e se colocou na dependência do Senhor, depois de um tempo o Senhor acrescentou outros. Então não se preocupe em querer "ganhar membros" para alguma reunião, mas ocupe-se em conhecer a Verdade e pregar a Cristo às pessoas. É o Senhor quem reúne, não você ou algum outro irmão. "Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos." (At 2:47).

Veja que passagem linda esta, onde aparecem os dons de evangelista, pastor e doutor ou mestre sendo utilizados pelo Espírito Santo para formar a primeira assembleia congregada ao nome de Jesus em Antioquia. Repare que a perseguição permitida pelo Senhor, para que os primeiros cristãos de Jerusalém abandonassem a cidade, foi o instrumento justamente para fazer o evangelho ser levado a outras terras, e principalmente ao mundo gentio.

Os primeiros cristãos estavam tão apegados ao judaísmo que nos primeiros dias do livro de Atos eles eram encontrados reunidos no Templo de Jerusalém. "E, perseverando unânimes todos os dias no templo..." (At 2:46). Alguns anos mais tarde Deus permitiria que fosse destruído para deixar claro que nesta nova ordem de coisas não era ali o lugar de adoração. O "lugar" de ora em diante seria um Nome — o Nome — e não uma casa de pedras.

"Então, os que foram dispersos por causa da tribulação que sobreveio a Estêvão se espalharam até à Fenícia, Chipre e Antioquia, não anunciando a ninguém a palavra, senão somente aos judeus. Alguns deles, porém, que eram de Chipre e de Cirene e que foram até Antioquia, falavam também aos gregos, anunciando-lhes o evangelho do Senhor Jesus. A mão do Senhor estava com eles, e muitos, crendo, se converteram ao Senhor. A notícia a respeito deles chegou aos ouvidos da igreja que estava em Jerusalém; e enviaram Barnabé até Antioquia. Tendo ele chegado e, vendo a graça de Deus, alegrou-se e exortava a todos a que, com firmeza de coração, permanecessem no Senhor. Porque era homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé. E muita gente se uniu ao Senhor. E partiu Barnabé para Tarso à procura de Saulo;  tendo-o encontrado, levou-o para Antioquia. E, por todo um ano, se reuniram naquela igreja e ensinaram numerosa multidão. Em Antioquia, foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos." (At 11:19-26).

Prepare-se para suportar a incompreensão e até ataques de irmãos e parentes que não entenderão sua decisão. Ela não faz sentido para quem viveu a vida inteira sendo membro da "Igreja A" ou "Igreja B", mas faria todo sentido para Pedro, Paulo, Tiago e tantos outros que congregavam no primeiro século somente ao nome de Jesus, quando não existiam ainda as denominações religiosas e seus sistemas eclesiásticos criados por homens.

A uma pessoa que me escreveu perguntando que tipo de fruto um cristão pode produzir se não estiver ligado a um sistema religioso denominacional eu respondi: "O mesmo fruto que produziam Pedro, Paulo, Timóteo, Lídia, Priscila, Áquila, João, etc." Esses e tantos outros discípulos do primeiro século nunca teriam imaginado que no futuro a maioria dos crentes em Jesus, que consideraram esse Nome suficiente para salvá-los, iriam achar que o mesmo nome não seria suficiente para reuni-los, e se deixariam identificar por nomes como "batista", "presbiteriano", "metodista" etc.

Alguns acharão que você enlouqueceu, perdeu a razão e agora não diz coisa com coisa, porque o que você diz está na Bíblia, mas não na doutrina da "igreja" que frequentam. Numa época de extremo abandono da verdade, como era a descrita em 1 Samuel, Deus ainda podia encontrar aqueles que se mantinham fiéis a ele, como Ana, que ofereceria seu filho Samuel ao Senhor. Sem entender sua aflição e sua fé, o próprio sacerdote Eli a repreendeu por sua atitude, achando que ela estivesse embriagada:

"E sucedeu que, perseverando ela em orar perante o Senhor, Eli observou a sua boca. Porquanto Ana no seu coração falava; só se moviam os seus lábios, porém não se ouvia a sua voz; pelo que Eli a teve por embriagada. E disse-lhe Eli: Até quando estarás tu embriagada? Aparta de ti o teu vinho." (1 Sm 1:12-14).

Talvez os irmãos chamem você de "desviado", "louco", "herege" e muitos outros adjetivos por ter abandonado algo que não existe na Bíblia e que Deus até mesmo condena, que são as diferentes seitas e facções criadas por homens. Mas o Senhor certamente sabe o que se passa em seu coração, assim como sabia o que se passava no coração de Ana e concedeu o que ela pedia.

Enquanto o testemunho cristão no mundo age como Laodiceia, se gabando de ser rico e abastado, o Senhor convida alguns para terem comunhão com ele fora desse arraial religioso que traz as marcas, as tradições e a culpa do judaísmo, que se desviou das Escrituras e nem sequer reconheceu seu Messias quando veio. É disso que falam as passagens a seguir:

"E ao anjo da igreja que está em Laodiceia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus: Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas. Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te. Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo. Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas." (Ap 3:14-22).

Aos judeus que haviam se convertido a Cristo, mas ainda tinham saudade da velha ordem de coisas e dos cerimoniais e tradições do judaísmo, a religião de seus pais, a carta aos Hebreus deixa clara a mudança de posição pela qual passaram ao se converterem. Muitas coisas podiam fazer sentido dentro do judaísmo, uma religião ordenada por Deus, mas não tinham mais qualquer valor na adoração cristã. Jesus avisou a mulher samaritana que isso aconteceria, quando disse:

"Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade." (Jo 4:21-24).

Na contramão disso, a cristandade atual acabou emprestando do judaísmo muitas coisas, práticas e costumes, como templos de pedras e tijolos, altares, clero, sacerdotes, incenso, corais, dízimos, proibição de alimentos, votos e promessas, e também doutrinas que o autor de Hebreus chama de "doutrinas estranhas" que não trazem qualquer proveito. E convida aqueles cristãos hebreus, saudosos de sua antiga religião, a saírem do arraial ou sistema religioso, não para algum outro sistema sem nome, mas a saírem para o único nome digno de identificar os que estão congregados; saírem a Cristo.

"Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente. Não vos deixeis levar em redor por doutrinas várias e estranhas, porque bom é que o coração se fortifique com graça, e não com alimentos que de nada aproveitaram aos que a eles se entregaram. Temos um altar, de que não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo. Porque os corpos dos animais, cujo sangue é, pelo pecado, trazido pelo sumo sacerdote para o santuário, são queimados fora do arraial. E por isso também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta. Saiamos, pois, a ele fora do arraial, levando o seu vitupério. Porque não temos aqui cidade permanente, mas buscamos a futura. Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome." (Hb 13:8-15).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana