As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pode ser salvo quem cre em Jesus por medo do inferno?



https://youtu.be/604YNHGZ5l4

O medo do juízo eterno pode ser também um dos meios usados pelo Espírito Santo em uma alma para ela se arrepender de seus pecados e crer no Salvador. Está muito claro que o convencimento de um juízo vindouro faz parte do trabalho do Espírito: "Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque não creem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais; do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado." (Jo 16:8-11).

Apesar da passagem estar relacionada diretamente ao juízo do diabo e do mundo, fica subtendido que aqueles que não estão em Cristo continuam marionetes de Satanás e suas hostes celestiais. Ao escrever aos cristãos de Éfeso, Paulo diz que "noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência. Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também." (Ef 2:2-3).

Quando Pedro pregou o evangelho a Cornélio e a seus parentes e amigos incluiu também a mensagem do juízo e foi depois disso que os presentes creram e foram selados com o Espírito Santo.

"E nós somos testemunhas de tudo o que ele [Jesus] fez na terra dos judeus e em Jerusalém; ao qual também tiraram a vida, pendurando-o no madeiro. A este ressuscitou Deus no terceiro dia e concedeu que fosse manifesto, não a todo o povo, mas às testemunhas que foram anteriormente escolhidas por Deus, isto é, a nós que comemos e bebemos com ele, depois que ressurgiu dentre os mortos; e nos mandou pregar ao povo e testificar que ele é quem foi constituído por Deus Juiz de vivos e de mortos. Dele todos os profetas dão testemunho de que, por meio de seu nome, todo aquele que nele crê recebe remissão de pecados." (At 10:39-43).

Qualquer que seja o motivo de nosso lado, ele será mesquinho, porque não existe em nós o desejo de nos aproximarmos de Deus. A obra precisa ser de Deus, do começo ao fim, ou não terá valor. "Como está escrito: Não há justo, nem um sequer, não há quem entenda, não há quem busque a Deus; todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer." (Rm 3:10-12).

Portanto, para o salvo não importa se chegou a Cristo por medo do inferno, por desejo do céu ou por qualquer outro sentimento. Ele saberá que nada terá partido dele, seja de sentimentos, de boas obras ou esforços e perseverança, pois tudo terá vindo de Deus. "Ou desprezas a riqueza da sua bondade, e tolerância, e longanimidade, ignorando que a bondade de Deus é que te conduz ao arrependimento?" (Rm 2:4).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana