As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Depressao, epilepsia, esquizofrenia, autismo etc. seriam possessao demoniaca?



https://youtu.be/PLRrQG8KL78

Você pergunta se doenças com depressão, epilepsia, esquizofrenia, autismo, paralisia do sono e outras seriam possessão demoníaca, pois é assim que vê pastores ensinarem em algumas igrejas. Meu primeiro conselho a você é que pare de ouvir o que pastores como esses dizem. Existe uma grande parcela dentro da cristandade que não é muito diferente dos supersticiosos medievais que viam o diabo em cada esquina.

O mundo virou uma salada geral de crenças, deuses, espíritos, anjos etc., dessa salada fazem parte também pregadores, principalmente pentecostais, que são como martelos que enxergam tudo com cara de prego. Falou em doença e eles logo lavram o diagnóstico:"É do diabo". A questão hoje é ter discernimento para saber em que "deus" esses que se dizem cristãos estão acreditando.

"E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus próprios ministros se transformem em ministros de justiça." (2 Co 11:14-15).

Nesses circos conhecidos como "igrejas neopentecostais" a ocupação com falsos deuses e demônios corre solta. O veneno é destilado por pregadores que fazem a caixa registradora tilintar cada vez que aterrorizam seus ouvintes, ou seduzindo com promessas de vantagens terrenas. Reparou como tudo ali gira em torno de ser livre de maldições, macumbarias, mau olhado e feitiços para ser saudável, rico e próspero? Coisas para a vida terrena, para o ventre, para encher o ego. A Bíblia já previa que pessoas assim se infiltrariam na cristandade. O apóstolo Paulo escreveu:

"Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho; que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si... De ninguém cobicei a prata, nem o ouro, nem o vestuário... O destino deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia, visto que só se preocupam com as coisas terrenas." (At 20:29-33; Fp 3:19).

Nos evangelhos encontramos o que realmente caracteriza a ação de Satanás com suas artimanhas para seduzir as pessoas com vantagens neste mundo. Ele tentou esses truques até na tentação do Senhor Jesus: "Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares." (Mt 4:8-9).

E o apóstolo João descreveu as três coisas que o diabo usou na tentação de Eva, de Jesus e continua usando hoje até mesmo nessas chamadas "igrejas", isto é, apelos para o homem natural e sua carne, e para criar desejo por cada vez mais riqueza e glória neste mundo:

"Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo. Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente." (1 Jo 2:15-17).

Dentre outros enganos regurgitados desses púlpitos está o de que as enfermidades mentais seriam possessão demoníaca, e isso tem levado pessoas a se desesperarem, entrarem em depressão ou se entregarem voluntariamente nas mãos de homens maus que estão mais interessados no lucro do que na libertação de alguém. Um bom exemplo de como Deus lida com a depressão, que hoje assola tanta gente, você encontra na história do profeta Elias no capítulo 19 de 1 Reis.

No capítulo anterior encontramos Elias desafiando os falsos profetas de Baal, que era o ídolo da hora entre as dez tribos de Israel que viraram as costas para Jerusalém, o centro de adoração onde Deus havia colocado seu nome. Uma forte seca assolava a terra e Elias seria usado pelo Senhor para trazer chuva, mas antes era preciso tirar de cena os falsos profetas, o que aconteceu com uma clara demonstração do poder de Deus por mãos do profeta Elias.

O rei Acabe, e principalmente sua esposa Jezabel, não ficaram nada felizes com essa intervenção divina, pois apesar de trazer chuva e alimentos para a população, levou à morte a classe sacerdotal dos adoradores de Baal que, curiosamente, era considerado o deus das tempestades, mas não fez cair uma gota de chuva do céu. Aparentemente Baal estava de férias durante a terrível seca que assolava o país.

Antes que você ache que adorar a Baal era apenas uma questão de escolha pessoal e cultural do povo, que qualquer religião é válida desde que faça a pessoa se sentir bem, que Elias devia ter sido mais politicamente correto e não interferir na crença alheia, saiba que essa adoração a Baal incluía o sacrifício de crianças, que eram queimadas vivas.

Depois de ter sido bem sucedido na empreitada que o Senhor tinha colocado em suas mãos, e após enfrentar com tamanha coragem, desenvoltura e audácia o "status quo" de sua época e lugar, curiosamente Elias entra em depressão.

"E Acabe [o rei] fez saber a Jezabel [a rainha] tudo quanto Elias havia feito, e como totalmente matara todos os profetas à espada. Então Jezabel mandou um mensageiro a Elias, a dizer-lhe: Assim me façam os deuses, e outro tanto, se de certo amanhã a estas horas não puser a tua vida como a de um deles. O que vendo ele, se levantou e, para escapar com vida, se foi, e chegando a Berseba, que é de Judá, deixou ali o seu servo." (1 Rs 19:1-3).

O mesmo Elias, que havia enfrentado "os quatrocentos e cinqüenta profetas de Baal" e ordenado ao povo: "Lançai mão dos profetas de Baal, que nenhum deles escape. E lançaram mão deles; e Elias os fez descer ao ribeiro de Quisom, e ali os matou.", agora é visto fugindo de uma mulher! (1 Rs 18:19, 40). Faz lembrar o apóstolo Pedro que, depois de sua atitude de valentia afirmando que por Jesus ele seria capaz de ir até à morte, se acovardou quando uma serva perguntou se ele era dos que seguiam a Jesus.

Todos nós estamos sujeitos a esses altos e baixos, principalmente quando em algum momento somos revestidos de um poder que não vem de nós e achamos que fosse de nós mesmos. Aí vem a fraqueza e o desmoronamos. Elias "foi ao deserto, caminho de um dia, e foi sentar-se debaixo de um zimbro; e pediu para si a morte, e disse: Já basta, ó Senhor; toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que meus pais." (1 Rs 19:4).

A vontade de morrer parece ser companheira frequente da depressão e de muitas outras enfermidades mentais, exceto talvez da psicopatia, que costuma gerar a vontade de matar os outros. Mesmo assim, tanto o suicídio quanto o assassinato podem ser considerados homicídio, já que levam à morte de um ser humano. "E vós sabeis que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele." (1 Jo 3:15). Mas o detalhe aqui é que, apesar de desejar a morte, Elias não atenta contra a própria vida. Ele pede a Deus que o mate: "Já basta, ó Senhor; toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que meus pais." (1 Rs 19:4).

Apesar de encontrarmos na Bíblia vários servos de Deus que um dia também passaram por profunda depressão e desejaram a morte, isso não os levou ao suicídio. Eles sabiam que "o Senhor é o que tira a vida e a dá; faz descer à sepultura e faz tornar a subir dela." (1 Sm 2:6). Jeremias foi um deles:

"Maldito o dia em que nasci; não seja bendito o dia em que minha mãe me deu à luz. Maldito o homem que deu as novas a meu pai, dizendo: Nasceu-te um filho; alegrando-o com isso grandemente. E seja esse homem como as cidades que o SENHOR destruiu e não se arrependeu; e ouça clamor pela manhã, e ao tempo do meio-dia um alarido. Por que não me matou na madre? Assim minha mãe teria sido a minha sepultura, e teria ficado grávida perpetuamente! Por que saí da madre, para ver trabalho e tristeza, e para que os meus dias se consumam na vergonha?" (Jr 20:14-18).

Uma pista para entendermos essa depressão de Elias pode estar no que ele diz no versículo 4: "Pois não sou melhor do que meus pais". Talvez devêssemos perguntar: "Por que você diz isso, Elias? Será que estava se considerando melhor que seus pais, quando fez descer fogo do céu e consumir o sacrifício no Monte Carmelo?". Nosso mundo pode desabar num momento quando descobrimos que não somos tudo aquilo que pensávamos ser ou que as pessoas pensavam que fôssemos. Então Elias foge e o Senhor dá início ao seu tratamento anti-depressão.

"Elias deitou-se, e dormiu debaixo do zimbro; e eis que então um anjo o tocou, e lhe disse: Levanta-te, come. E olhou, e eis que à sua cabeceira estava um pão cozido sobre as brasas, e uma botija de água; e comeu, e bebeu, e tornou a deitar-se. E o anjo do Senhor tornou segunda vez, e o tocou, e disse: Levanta-te e come, porque te será muito longo o caminho." (1 Rs 19:5-7).

Um anjo, ou quem sabe o próprio Senhor com diz mais adiante, toca Elias e diz: "Levanta-te e come". Havia uma refeição preparada para Elias e a preocupação do Senhor neste momento é com sua saúde física. O Senhor não liberta Elias de algum espírito maligno opressor, não faz algum grande sinal no céu e nem dá uma lista de coisas que Elias precisava consertar em sua vida. Ele simplesmente diz: "Levanta-te e come".

Ao contrário dos pregadores neopentecostais para quem o diabo é a causa de todos os males, para Deus o mal pode estar sendo causado por alguma carência no organismo. É por isso que não há nada de errado em se tratar enfermidades como depressão, epilepsia, esquizofrenia, autismo, paralisia do sono e outras como problemas meramente físicos. Dietas, vitaminas, medicamentos, tudo isso faz parte da solução que pode ser buscada por quem está sofrendo.

Minha mãe, em um determinado momento de sua vida, entrou em uma profunda depressão, emagreceu muito e não queria sair da cama. Os médicos descobriram que seu problema era de glândulas, o que foi facilmente resolvido com medicamentos. Até o apóstolo Paulo, que guiado pelo Espírito Santo e mediante o poder de Deus curou tantas pessoas, escreveu uma receita caseira para a enfermidade de estômago de Timóteo: "Não bebas mais água só, mas usa de um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas freqüentes enfermidades." (1 Tm 5:23).

Portanto, se você adoecer, procure um médico. O tratamento que o Senhor deu a Elias começou pelo alimento para o corpo, antes de tratar de outras áreas, como a emocional e a espiritual. Muitos problemas de depressão podem estar ligados à subnutrição, alterações hormonais, parasitas e enfermidades diversas, sem qualquer ligação com demônios. Até a depressão e preguiça do Jeca Tatu era problema do corpo; ele sofria de "amarelão" ou "ancilostomose".

Bem alimentado, Elias "com a força daquela comida caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus. E ali entrou numa caverna e passou ali a noite; e eis que a palavra do Senhor veio a ele, e lhe disse: Que fazes aqui Elias? E ele disse: Tenho sido muito zeloso pelo Senhor Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada, e só eu fiquei, e buscam a minha vida para ma tirarem." (1 Rs 19:8-10).

Agora entra em cena ou outro aspecto do tratamento anti-depressão que o Senhor dá a Elias: trabalhar sua parte emocional ou alimentar sua alma, que é nosso centro das emoções. Quando o Senhor pergunta algo a alguém na Bíblia, como perguntou a Adão "Onde estás", ou a Elias "Que fazes aqui?" não significa que ele não saiba a resposta. O Senhor conhece tudo, mas quer tirar da boca de seu paciente a resposta para ajudá-lo a entender onde está seu problema. Tendo medicado o corpo de Elias o Senhor passa a tratar com sua mente, como se o profeta estivesse no divã de um analista.

Nessa conversa o ego de Elias logo vem à tona e o Senhor irá tratar disso mais à frente. Elias se considerava o maior sofredor do planeta, o único que havia permanecido fiel a Deus e lutado contra a idolatria. "os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada, e só eu fiquei, e buscam a minha vida para ma tirarem.". Por duas vezes ele assumirá o papel de vítima, o que é ótimo para a depressão. Faça pose de vítima e fique repetindo a frase do desenho animado, "Oh, dia! Oh, vida! Eu sei que não vai dar certo!", e garanto que você acabará cem por cento depressivo.

Agora o Senhor precisava quebrar outros paradigmas de Elias, que talvez acreditasse que Deus só pode se manifestar arrebentando tudo por onde passa. Afinal, a história de Israel era de grandes sinais e maravilhas — morte dos primogênitos inimigos, mar se abrindo, muralhas caindo —, e devia ser assim agora. Ao menos na cabeça de Elias, ele esperava uma solução impactante para seu problema. Mas não.

"E eis que passava o Senhor, como também um grande e forte vento que fendia os montes e quebrava as penhas diante do Senhor; porém o Senhor não estava no vento; e depois do vento um terremoto; também o Senhor não estava no terremoto; E depois do terremoto um fogo; porém também o Senhor não estava no fogo; e depois do fogo uma voz mansa e delicada." (1 Rs 19:11-12).

Deus podia se manifestar num vento forte que quebrasse rochas e fendesse montes? Sim, mas ali não era o caso. Terremoto? Sim, Deus já fez isso, mas não era este o remédio para Elias. Que tal um fogo? Também não, o Senhor que é fogo consumidor não estava no fogo, pelo menos naquele. Finalmente Elias toma coragem de sair da proteção da fenda na rocha quando escuta "uma voz mansa e delicada".

Esta será a maneira de o Senhor falar com Elias e também tapar a boca daqueles que são como martelo, que enxerga tudo com cabeça de prego. O mesmo Deus tem diferentes maneiras de tratar problemas diferentes em pessoas diferentes.

"E sucedeu que, ouvindo-a Elias, envolveu o seu rosto na sua capa, e saiu para fora, e pôs-se à entrada da caverna; e eis que veio a ele uma voz, que dizia: Que fazes aqui, Elias? E ele disse: Eu tenho sido em extremo zeloso pelo Senhor Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada, e só eu fiquei; e buscam a minha vida para ma tirarem." (1 Rs 19:13-14).

Segunda vez o Senhor pergunta a Elias "onde estás", mas agora com Elias fora da carapaça de pedra onde tinha se escondido na caverna. Ele está exposto, que é a melhor maneira de se ficar quando desejamos ser tratados por Deus. Mas ainda assim Elias responde achando-se melhor que os outros, "porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança... e só eu fiquei". Depois de ter tratado das necessidades físicas de Elias, depois de ter entrado em sua mente para trazer à tona seu orgulho e sentimento de vítima, o profeta está pronto para receber a Palavra de Deus e instruções do que deve fazer. Agora é a Palavra tratando do espírito de Elias, dando a ele uma missão.

"E o Senhor lhe disse: Vai, volta pelo teu caminho para o deserto de Damasco; e, chegando lá, unge a Hazael rei sobre a Síria. Também a Jeú, filho de Ninsi, ungirás rei de Israel; e também a Eliseu, filho de Safate de Abel-Meolá, ungirás profeta em teu lugar. E há de ser que o que escapar da espada de Hazael, mata-lo-á Jeú; e o que escapar da espada de Jeú, mata-lo-á Eliseu. Também deixei ficar em Israel sete mil: todos os joelhos que não se dobraram a Baal, e toda a boca que não o beijou." (1 Rs 19:15-18).

Corpo, alma e espírito, essas três esferas do ser foram tratadas pelo Senhor no caso da depressão de Elias. Isso deveria ser suficiente para entendermos que muitas vezes, em nossa enfermidade, seja ela do corpo ou da mente, teremos de nos submeter a tratamentos físicos e medicinais. Também pode ser que nossa necessidade esteja na necessidade de uma boa conversa com algum profissional competente em nos ajudar a colocar para fora as entranhas de nossa alma. E em todos os casos a Palavra de Deus estará sempre à mão para aliviar as dores e aflições de nosso espírito.

Por isso, se você estiver passando por algum problema de saúde física ou mental, não se entregue a esses curandeiros de araque dos programas de rádio e TV que jogarão sobre você um fardo maior, dizendo que é tudo obra do diabo, do pai-de-santo, da pomba-gira e coisas do tipo. Se você for realmente convertido a Cristo nada poderá atingir você sem antes obter a permissão do Pai. Busque ajuda médica para seu corpo, ajuda psicológica para sua alma, e ajuda espiritual da Palavra de Deus para seu espírito. Somos assim, seres tripartidos, e devemos ser tratados da maneira que o Senhor tratou Elias em sua depressão.

Muitos que caem na conversa de pregadores irresponsáveis e param de tomar medicamentos acabam morrendo. Acreditam que foram curados, dão algum testemunho num programa de TV e dali em diante a câmera não mostra o que aconteceu depois: piora de sua condição, internação e morte. Esta semana soube de uma assim, que acreditou no pastor, parou de se medicar e morreu. Conheci uma jovem que estava em tratamento contra depressão e foi aconselhada a jogar fora os medicamentos por Jesus iria curá-la. Resultado? Internação numa UTI depois de tentar o suicídio.

Uma conhecida "pastora" de minha cidade, que havia "profetizado" como certa a cura de um homem com câncer, depois do velório disse à família que a profecia não deu certo porque o homem tinha pouca fé. O famoso dono de um mega igreja convidou seus fiéis a quebrarem seus óculos numa grande apresentação num estádio de futebol, pois todos já estavam curados em nome de Jesus. Tempos depois, numa entrevista na TV, ele tirou do bolso seus óculos para ler e foi questionado pela repórter se ele mesmo não tinha quebrado seus próprios óculos. "Minha fé é pequena", respondeu ele. Outro curandeiro da TV correu para um dos mais caros hospitais de São Paulo na hora de precisar de uma cirurgia.

Ouvi o caso de um profissional de instalação de som em estádios o caso de um famoso pregador americano de curas e milagres fazendo ensaio com atores em muletas, cadeiras de rodas e óculos escuros. Estavam sendo ensinados de como deviam se comportar no palco quando fossem "curados" de mentirinha no culto daquela noite. O técnico não tinha obedecido à ordem para que todos deixassem o local e ficou nos bastidores ligando uns fios, horrorizado com o que viu do outro lado das cortinas.

Uma editora cristã no Canadá colocou um anúncio para ajudante de serviços gerais, e um dos candidatos se apresentou dizendo ter experiência trabalhando em igrejas, achando que seria uma vantagem. O que ele fazia? Fingia ser cego, aleijado, enfermo para ser "curado" pelo pastor. Um taxista de Fortaleza me contou que pegou no aeroporto um passageiro em perfeita saúde e bem vestido, levou-o ao hotel e foi buscá-lo à noite para levá-lo a uma mega igreja de lá. À noite ele estava vestido de trapos, portando uma muleta, e entrou na "igreja" arrastando os pés e fingindo ser paralítico. Deixo para você imaginar o que ele iria fazer lá.

Então aconselho você abrir os olhos, caso acredite em tudo o que escuta e vê no rádio e na TV. Se o cinema é capaz de fazer o Superman voar, esses pastores sabem muito bem técnicas de persuasão para fazer você pensar que eles sejam capazes de curar.

Sugiro a leitura de um excelente livro escrito por um médico cristão, Dr. William Prost. O título é "Doenças Mentais" e o assunto é abordado de uma perspectiva cristã. Você poderá baixar gratuitamente em formato e-book neste link:

http://acervodigitalcristao.com.br/livros/doencas-mentais/

Veja também:

https://grandealegria.blogspot.com/2015/01/depressao.html
http://www.3minutos.net/2016/04/depressao.html
https://www.respondi.com.br/2007/10/e-possivel-um-cristao-entrar-em.html
https://www.respondi.com.br/2005/06/epilepsia-possesso-demonaca.html
https://www.respondi.com.br/2017/05/um-esquizofrenico-esta-possesso-por.html
https://www.respondi.com.br/2010/04/biblia-fala-algo-sobre-psicopatas.html

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana