As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

O que vem antes: justificacao ou santificacao?



https://youtu.be/KaFmGa-BwgY

Você quer saber o que viria antes, a justificação ou a santificação. Sua dúvida surgiu depois de ter lido Hebreus 10:29, que fala de pessoas que foram santificadas, mas mesmo assim profanaram o sangue da aliança. Estaria isso querendo dizer que um salvo poderia ainda se rebelar contra Deus e perder sua salvação? A passagem diz: "De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da graça?".

Se você ler o contexto do versículo de Hebreus 10:29, que é a passagem de sua dúvida, verá que ali o autor está falando de apóstatas, pessoas que conheceram a verdade, mas nunca creram de fato. Um pouco antes ele diz, nos versículos 26 e 27: "Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados mas uma certa expectação horrível de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários.". 

Repare que está falando de conhecimento, não de fé real. As faculdades de teologia e as igrejas estão cheias de pessoas assim, que têm conhecimento, mas nunca tiveram uma fé real, nunca se converteram de fato a Cristo. Vi a entrevista de um bispo da Igreja da Suécia e no final o entrevistador pergunta: "Você acredita na existência de Deus?" e ele responde "Não". Esse recebeu o conhecimento da verdade estudando teologia, foi ordenado bispo naquela denominação, mas não passa de um que é pior até que um incrédulo que nunca leu uma linha da Bíblia, pois o conhecimento traz também responsabilidade.

Então entenda que a passagem está falando de um apóstata. Um apóstata não é um crente, é apenas alguém que, depois de ter sido colocado em contato com a verdade e ter sido santificado ou separado das imundícies do mundo pela influência da Palavra e pelo convívio em um círculo cristão, acaba negando a verdade e mostrando o que realmente era por debaixo da pele de ovelha: uma porca lavada.

A santificação exterior até um incrédulo pode ter, assim como também a justificação exterior diante dos homens por levar uma vida correta. Mas quando o Espírito Santo faz a obra numa vida ele faz a obra completa, começando pela lavagem, depois a santificação, depois a justificação. Mas isso apenas para colocar essas coisas em ordem, pois tudo pode acontecer junto.

"Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus." (1 Co 6:10-11).

No capítulo seguinte, em 1 Coríntios 7:14, você tem um exemplo de um incrédulo santificado: "Porque o marido descrente é santificado pela mulher; e a mulher descrente é santificada pelo marido; de outra sorte os vossos filhos seriam imundos; mas agora são santos.".

Acredito também que estas passagens em Tiago 2 e Romanos 4 possam servir de exemplo de alguém que é justificado perante os homens por suas obras, mas não diante de Deus: "Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras." (Tg 2:18).

A passagem mostra uma justificação horizontal, de homem para homem, e Romanos 4:2 fala disso como uma justificação que não serve para alguém se gloriar diante de Deus: "Porque, se Abraão foi justificado pelas obras, tem de que se gloriar, mas não diante de Deus.".

O contraste disso tudo você encontra numa passagem dirigida a genuínos crentes, a qual fala de eleição na eternidade para salvação, e de uma santificação que não é mera separação ou influência do meio, mas que vem do Espírito, e também fala de fé e verdade:

"Mas devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do Senhor, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé da verdade" (2 Ts 2:13).

Para entender melhor a questão visite todos os links a seguir:

http://www.respondi.com.br/2005/05/quando-um-cristo-se-torna-santo.html
http://www.respondi.com.br/2012/09/nem-todos-sao-chamados-para-ser-santos.html
http://manjarcelestial.blogspot.com.br/2009/04/o-que-e-santificacao-c-h-mackintosh.html
http://www.respondi.com.br/2010/11/o-que-e-apostasia.html
http://www.respondi.com.br/2017/01/apostatas-irao-para-o-ceu.html
http://www.respondi.com.br/2009/07/pessoas-de-religioes-apostatas-estao.html
http://www.respondi.com.br/2018/01/um-crente-poderia-apostatar-da-fe.html

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana