As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Vou acabar louco se ler muito a Biblia?



https://youtu.be/nW5T-eR9usE

Você escreveu dizendo que na denominação onde congregava as pessoas diziam que você não deveria estudar tanto a Bíblia, que não deveria se aprofundar na Palavra de Deus, e lhe advertiam dizendo para tomar cuidado, pois eu poderia ficar louco. Seria isso realmente um perigo?

Quem disse a você que a leitura da Bíblia pode levar à loucura está certíssimo. A própria Bíblia nos alerta sobre esse perigo. E o que você esperava, se os próprios parentes de Jesus queriam colocá-lo numa "camisa de força"?! Exatamente, eles tinham certeza de que ele tinha enlouquecido! "E, quando os parentes de Jesus ouviram isto, saíram para o prender; porque diziam: Está fora de si." (Mc 3:21).

O apóstolo Paulo, que o Espírito Santo escolheu para escrever grande parte do Novo Testamento, foi considerado louco por um governante incrédulo. Depois de dar o testemunho acerca de Cristo, dizendo "que o Cristo devia padecer, e sendo o primeiro da ressurreição dentre os mortos, devia anunciar a luz a este povo e aos gentios. E, dizendo ele isto em sua defesa, disse Festo em alta voz: Estás louco, Paulo; as muitas letras te fazem delirar." (At 26:23-24).

Uma pessoa que lê a Bíblia acabará sendo considerada insana pelas pessoas deste mundo, pois a própria mensagem da cruz — de que o Filho de Deus veio ao mundo e morreu num madeiro para levar nossos pecados e ressuscitou ao terceiro dia — não tem qualquer lógica para a inteligência humana e carnal que herdamos de Adão.

"Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, E aniquilarei a inteligência dos inteligentes. Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação. Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria; mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos. Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus. Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens." (1 Co 1:18-25).

A Bíblia faz distinção entre dois tipos de pessoas, o "homem natural" e o "homem espiritual", nascido de novo e que agora possui a mente de Cristo, que é a única maneira de se entender o modo de pensar de Deus. "Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Porém o homem espiritual julga todas as coisas, mas ele mesmo não é julgado por ninguém. Pois quem conheceu a mente do Senhor, que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo." (1 Co 2:14-16).

Na Bíblia aprendemos também que existe a opinião de Deus e a opinião dos homens quanto ao que é ser louco ou mentalmente são. Quando uma pessoa se converte a Cristo ela deixa de ser mentalmente sã para os sábios deste mundo, mas passa a ser sábia para Deus."Ninguém se engane a si mesmo. Se alguém dentre vós se tem por sábio neste mundo, faça-se louco para ser sábio. Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia. E outra vez: O Senhor conhece os pensamentos dos sábios, que são vãos." (1 Co 3:18-20).

A questão é: para quem você gostaria de ser considerado mentalmente são, para Deus ou para os homens? O profeta Oseias definiu bem a que se devia a ruína do povo de Israel: "O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento." (Os 4:6). O Senhor também mostrou onde estaria a libertação, ou seja, no conhecimento, e não na ignorância, da Verdade de Deus:

"E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus. E o Pai, que me enviou, ele mesmo testificou de mim. Vós nunca ouvistes a sua voz, nem vistes o seu parecer. E a sua palavra não permanece em vós, porque naquele que ele enviou não credes vós. Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam; e não quereis vir a mim para terdes vida." (Jo 5:32-40).

Quando criança minha mãe me alertava: "Criança que brinca com fósforo faz xixi na cama!". A versão da religião, e em especial do clero, para esse terrorismo psicológico é "Quem lê a Bíblia enlouquece!". A intenção pode ser boa, mas no caso da proibição da leitura da Bíblia isso geralmente tem a ver com a possibilidade de alguém descobrir que a religião que seguiu a vida inteira estava completamente errada. Então se conhecimento é poder, manter a pessoa na ignorância é uma forma de manter o poder.

Às vezes apresento uma passagem da Bíblia a pessoas da "Congregação Cristã no Brasil", que não creem que a Bíblia seja a Palavra de Deus, mas que apenas contém a Palavra de Deus, e a reação costuma ser: "Cuidado, porque a letra mata!". A pessoa rebate com uma passagem que não tem esse sentido, de que seria perigoso interpretar textualmente. No contexto Paulo está explicando que o papel da Lei de Moisés, "as letras" gravadas em pedra, era o levar à morte o transgressor. Mas essa religião adotou o bordão "a letra mata" para evitar que seus seguidores confiram na Bíblia e detectem os erros de sua doutrina. E eles logo recorrem a este mantra, quando encurralados por um texto bíblico que ameace suas crenças. Veja a passagem em seu contexto:

"O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica. E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória." (2 Co 3:6-7).

Essa reação não é diferente daquela de um católico fiel ao comando do Colegiado de sua religião, que durante séculos impediu a leitura da Bíblia fora das paredes de seus monastérios. Obviamente manter o povo na ignorância foi uma das formas encontradas para controlá-lo e continuar a vender indulgências por um grande período da história.

O argumento católico era que somente a Igreja Católica podia determinar qual tradução da Bíblia era fiel, e por isso nos séculos em que durou a Inquisição as pessoas encontradas com alguma tradução não autorizada tinham o manuscrito queimado. O problema é que muitas vezes, na hora de ser queimado, esse manuscrito estava amarrado ao pescoço de seu leitor, que por sua vez estava preso a uma estaca e pisando sobre lenha verde, que queimava devagar e produzia mais fumaça e sofrimento.

No catolicismo a passagem que costuma ser usada como argumento para proibir que cada um leia a Bíblia por si só e tire suas próprias conclusões é esta: "Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação." (2 Pe 1:20). À semelhança do argumento usado pelos seguidores da "Congregação Cristã no Brasil", este versículo é também arrancado de seu contexto para funcionar como querem essas religiões. O curioso é que ambas recorrem à Palavra de Deus, deliberadamente fora do contexto, para justificar o perigo de se ler... a Palavra de Deus!!!

Mas talvez a preocupação de seus familiares seja que você leia o Livro de Apocalipse, considerando que algumas pessoas teriam enlouquecido e praticado até crimes depois de lerem esse livro. Além disso a revelação de Jesus ao apóstolo João é um prato cheio para filmes de terror e teoristas conspiratórios. Bem, considerar sua leitura perigosa porque criminosos leram o livro antes de praticar um crime seria o mesmo que banir o almoço, o banho ou o jornal. Existem casos de pessoas que praticaram crimes depois de almoçarem, tomarem banho, ou lerem o jornal.

Por que achar que a leitura Livro de Apocalipse é tão perigosa assim se o próprio Senhor revelou que são bem aventurados os que o leem? "Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo." (Ap 1:3). Então, a quem você acha que deve dar ouvidos, a Deus ou aos homens? "Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens." (At 5:29).

Agora vamos supor que você descarte aquela passagem do Salmo 119:105, "Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho.". O que lhe restará como lâmpada para seus pés e luz para o seu caminho? Restará sua inteligência, seus sentimentos, os conselhos dos homens... E é aí que seus problemas realmente começam, pois veja o que Deus diz disso tudo:

"Há um caminho que parece direito ao homem, mas o seu fim são os caminhos da morte...  O que confia no seu próprio coração é insensato, mas o que anda em sabedoria, será salvo... Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor! Porque será como a tamargueira no deserto, e não verá quando vem o bem; antes morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável. Bendito o homem que confia no Senhor, e cuja confiança é o Senhor. Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto. Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?" (Pv 16:25; 28:26; Jr 17:5-9).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana