As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

A fe' biblica e' o mesmo que mentalizacao e pensamento positivo?



https://youtu.be/YAGcKbKWjKg

Você escreveu perguntando: "Se fé é acreditar no impossível, e se Jesus disse 'Pedi e recebereis', por que razão esse tipo de fé não seria a mesma coisa da mentalização ensinada no livro "O Segredo"? Não estaria a fé também funcionando dentro da 'lei da atração'?".

A Bíblia define fé como "o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem" (Hb 11:1), mas isso não é tudo. Não é mera crença no impossível, porque a força da fé bíblica não está na própria fé, mas em Quem ela é ancorada. A "Lei da Atração" e outras bobagens ensinadas em filosofias de auto-ajuda e pensamento positivo, como no livro "O Segredo" ou na Seicho-no-iê, (cujas reuniões frequentei durante três anos antes de minha conversão) estão ancoradas no próprio homem ou em alguma suposta energia cósmica.

Essas filosofias ensinam que quando você mentaliza algo o Universo conspira a seu favor para tornar aquilo realidade. Então se você acreditar que vai ficar rico mentalizando da maneira correta, ficará rico. Se mentalizar que hoje deve chover na sua horta, a chuva vai cair. A menos que a vizinha também tenha lido o mesmo livro e esteja mentalizando para não chover porque tem roupa no varal, o que criaria um paradoxo difícil de resolver.

Nada disso tem a ver com a Bíblia, com Deus e com o cristianismo, porque tudo gira em torno de você, seu intelecto, seu poder de mentalização e também a confiança em um Universo que no fundo nada mais é que sua concepção pessoal de um ídolo pagão. Afinal, há quem adore o Sol, e existem os autores de auto-ajuda moderninhos que adoram o ser humano e o Universo, o que é uma espécie de adoração ao Sol com esteroides, já que inclui todos os sóis e o homem como centro e senhor deles. Paulo falou desse paganismo humanista em sua carta aos Romanos, mostrando uma espécie de engenharia reversa na história da adoração humana em uma passagem que fala de fé:

"O evangelho de Cristo... é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé. Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça. Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis." (Rm 1:16-23).

Repare que o ponto de partida da fé bíblica é o "Evangelho de Cristo", o que exclui qualquer outra fé que não esteja ancorada nele. Esse evangelho é o poder de Deus e nele está "a justiça de Deus de fé em fé... porque... o justo viverá da fé", e por justo aí entenda o que foi justificado por Deus pela fé em Jesus. A contrapartida é que o que está alheio a essa fé permanece debaixo da ira de Deus que se revelou também de outras maneiras no passado. Todavia, o homem se acha mais sábio do que Deus e, se no passado venerou répteis, quadrúpedes e aves, hoje venera o próprio homem corruptível como centro do Universo e capaz de tudo. Desde que compre o livro, junte-se a um grupo filosófico e pratique meditação transcendental para poder crer no impossível materializando seus próprios caprichos e desejos.

Então de que fé a Bíblia está falando, já que parece ser a mesma coisa que dizem essas filosofias que ensinam pensamento positivo e mentalização? Afinal, não teria Jesus dito "pedi, e recebereis" (Jo 16:24) e "tudo o que pedirdes na oração, crendo, o recebereis" (Mt 21:22)? Não seria isso a mesma coisa que acreditar fortemente que algo irá acontecer para ver isso realmente acontecer? Não, não é a mesma coisa porque embora você possa usar uma mesma palavra — fé — ou um mesmo verbo — crer — os fundamentos sobre os quais essa palavra e esse verbo estão alicerçados são diferentes. Na Bíblia essas palavras ou conceitos têm seu fundamento em Deus e sua Palavra, e não em alguma concepção pagã de energia cósmica irradiando ao nosso bem querer.

Veja, por exemplo, onde e como se origina a fé bíblica. "De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus" (Rm 10:17). O que esta passagem está dizendo é que a capacidade de ouvir é causada pelo poder existente na Palavra de Deus, e que a fé bíblica vem pelo ouvir essa mesma Palavra. Primeiro, ao ter contato com a Palavra de Deus, seus ouvidos espirituais são abertos como se Jesus dissesse "Efatá!", como disse àquele homem surdo e que tinha dificuldade para falar. "Efatá; isto é, Abre-te. E logo se abriram os seus ouvidos, e a prisão da língua se desfez, e falava perfeitamente." (Mc 7:34-35).

Só depois de alguém ter seus ouvidos abertos pelo poder da Palavra de Deus é que será capaz de até mesmo crer ou exercer fé na mesma Palavra e em Jesus, que é o Verbo de Deus vindo em carne. A Bíblia chama a isso de "nascer de novo" no capítulo 3 do Evangelho de João, que explica o "nascer da água e do Espírito", respectivamente uma alusão à Palavra de Deus, chamada de "lavagem da água" em Efésios 5:26, e ao Espírito Santo comparado na passagem do Evangelho a um vento incompreensível em sua direção e modus operandi. "O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito." (Jo 3:8).

Se você acha tudo isso muito estranho, acaso não foi a Palavra dita por Jesus que abriu os ouvidos do surdo? E não foi seu brado, que seria impossível de ser ouvido por um morto de quatro dias, que trouxe Lázaro flutuando para fora do sepulcro? (Sim, deve ter sido flutuando, pois ele tinha pés e mãos amarrados com faixas). Jesus "clamou com grande voz: Lázaro, sai para fora. E o defunto saiu, tendo as mãos e os pés ligados com faixas, e o seu rosto envolto num lenço. Disse-lhes Jesus: Desligai-o, e deixai-o ir." (Jo 11:43-44).

Tendo dito isto, e agora tendo os ouvidos espirituais abertos pela ação do Espírito Santo e da Palavra de Deus que incute vida em um morto e faz com que nasça de novo para se tornar sensível às coisas espirituais, a carta aos Hebreus diz que "...sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam." (Hb 11:6). Repare que estamos falando do Deus verdadeiro, e não de uma divindade cósmica inventada por algum guru, seja Rhonda Byrne, autora do livro "O Segredo", ou Masaharu Taniguchi, fundador da Seicho-no-iê que, na contramão da Palavra de Deus, pregava que pecado, doença e morte não existem e seriam apenas fruto de nossa imaginação ou um bug em nossa mentalização. O difícil é explicar como foi que o próprio disseminador dessa ideia adoeceu e morreu, e por mais que alguém mentalize que não, seu túmulo está cheio de ossos devidamente materializados para qualquer um conferir.

Sempre que você liga para coisas que estão fora do Deus verdadeiro, no modo como ele é revelado na Bíblia, corre o risco de ter seu chamado atendido pelo diabo. Ele é o "deus deste século [que] cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus." (2 Co 4:4). Masaharu Taniguchi dizia ter recebido de um anjo do céu, e em meio a uma chuva de pétalas de flores, as revelações contidas em seus livros, inclusive esta da inexistência de pecado, doença e morte. Na carta aos Gálatas Paulo diz que aquilo que Taniguchi e outros receberam nada mais eram do que mensagens ditadas por Satanás, um anjo caído: "Ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema [maldito]." (Gl 1:8).

As pessoas estão sempre prontas a dar ouvidos aos devaneios de homens e mulheres que dizem ter recebido alguma mensagem do além, mas desprezam aquele que não é uma mera mensagem, mas sim o próprio Mensageiro. A tradução mais correta do original da passagem a seguir é que Deus nos falou "no Filho" e não apenas "pelo Filho" como trazem algumas versões: "Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou no Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo. Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas, tendo-se tornado tão superior aos anjos quanto herdou mais excelente nome do que eles." (Hb 1:1-4).

Deus, que falou no passado por intermédio de profetas, há dois mil anos falou no Filho, isto é, no Verbo de Deus encarnado. Trata-se do mesmo Filho de Deus, que é dono de todas as coisas, por meio de quem Deus fez o Universo e que é ao mesmo tempo o mantenedor desse mesmo Universo; aquele que possui nome e posição infinitamente superiores às dos anjos. Mesmo sabendo disso você iria perder seu tempo apontando sua fé para o Universo quando pode apontá-la para seu Criador? O apóstolo João escreveu:

"Aquele que vem de cima é sobre todos; aquele que vem da terra é da terra e fala da terra. Aquele que vem do céu é sobre todos. E aquilo que ele viu e ouviu isso testifica; e ninguém aceita o seu testemunho. Aquele que aceitou o seu testemunho, esse confirmou que Deus é verdadeiro. Porque aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus; pois não lhe dá Deus o Espírito por medida. O Pai ama o Filho, e todas as coisas entregou nas suas mãos. Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece." (Jo 3:31-36).

A quem você dá ouvidos? Ao "que vem de cima [e] é sobre todos", ou ao "que vem da terra, é da terra e fala da terra"? Então a fé bíblica e verdadeira é aquela que está definida bem aqui; é a fé de alguém que aceita o testemunho do Filho de Deus: "Aquele que aceitou o seu testemunho, esse confirmou que Deus é verdadeiro. Porque aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus" (Jo 3:33-34). A fé verdadeira começa pela aceitação de quem Jesus é, pois "nos últimos dias Deus nos falou no Filho" (Hb 1:1), e no que ele diz, "porque aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus" (Jo 3:34). O que estiver fora disso é comunicação espúria de algum espírito imundo e intrometido, ou do "próprio Satanás [que] se transfigura em anjo de luz" (2 Co 11:14).

Portanto a fé genuína não é baseada em sensações, experiências místicas ou esforço mental, mas na simples aceitação do que Deus diz em sua Palavra acerca de seu Filho Jesus, uma Pessoa divina juntamente com o Pai e o Espírito Santo. É esta a fé que dá a certeza de se ter todos os pecados lavados pelo sangue remidor derramado na cruz; é esta fé que dá a certeza de a qualquer momento fechar os olhos aqui para abri-los na presença de Cristo, perfeitamente salvo e justificado pelo Deus "que justifica o ímpio" (Rm 4:5) que crê em Jesus.

Será que consegui explicar claramente a você o que é fé? Não, não consegui porque é impossível à mente, ao raciocínio e à mera comunicação humana explicar o que é fé, pois ela vem pelo ouvir a Palavra de Deus e essa capacidade de ouvir é gerada pela mesma Palavra. Estamos falando aqui de coisas divinas e sobrenaturais, não humanas e terrenas, e é por isso que uma pessoa que ouviu a Palavra e creu pode dizer com um brilho no olhar: "Agora eu creio!". Mas se você pedir que ela explique não saberá fazer isso em termos humanos, mesmo que a mesma Palavra de Deus nos exorte a estarmos "sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós" (1 Pe 3:15). E a razão da impossibilidade está na necessidade de o outro ter seus ouvidos abertos de forma sobrenatural pelo poder da Palavra de Deus para que também creia em Cristo e em sua Palavra.

Quando Paulo escreveu "o bom desejo do meu coração e a oração a Deus por Israel é para sua salvação, porque lhes dou testemunho de que têm zelo de Deus, mas não com entendimento" (Rm 10:1-2), ele estava dizendo duas coisas. Primeiro, que não bastava ser israelita, apesar de todos os privilégios que Deus havia dado àquele povo, e, segundo, que não bastava conhecer intelectualmente os oráculos de Deus. Era preciso entendimento e esse entendimento só podia ser dado pelo Espírito Santo de Deus àqueles que depositassem uma fé pueril em Cristo e sua Palavra. E quando eu digo "sua Palavra" estou me referindo à Palavra que é aplicada pelo Espírito Santo na alma daquele que dá ouvidos a ela incondicionalmente, sem as restrições e bloqueios normalmente causados pelo intelecto humano.

O mesmo apóstolo Paulo escreveu dos judeus que eles "têm zelo de Deus, mas não com entendimento. Porquanto, não conhecendo a justiça de Deus, e procurando estabelecer a sua própria justiça, não se sujeitaram à justiça de Deus. Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê." (Rm 10:2-4). Por isso o mero fato de alguém ser judeu — ou de qualquer religião — não significa que sua fé esteja apontada na direção certa. Ainda que ele faça orações 24 horas por dia olhando para o "Muro das Lamentações", no fundo terá a sensação de estar falando com uma parede. E como poderia ser diferente para alguém que, tendo agora a revelação de quem é o Cristo, o Filho de Deus, insiste em continuar alheio, incrédulo e indiferente aos seus apelos para que creia nele, e não em sua própria justiça por tentar seguir a Lei mosaica? A quem um incrédulo que ignora o Filho de Deus estaria dirigindo suas orações, se o próprio Senhor colocou como condição que fossem feitas em seu Nome?

Jesus disse: "E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei... a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda... Na verdade, na verdade vos digo que tudo quanto pedirdes a meu Pai, em meu nome, ele vo-lo há de dar... E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve." (Jo 14:13-14; 15:16; 16:23). Todas estas passagens poderiam parecer que são semelhantes às mentalizações ou "lei da atração" que você citou, mas existe mais uma que é de extrema importância para se entender as outras:  "E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que lhe fizemos." 1 Jo 5:14-15).

Fica muito claro que tudo isso está sendo dito de pessoas que já colocaram sua fé em Cristo, pois "sabemos que Deus não ouve a pecadores; mas, se alguém é temente a Deus, e faz a sua vontade, a esse ouve." (Jo 9:31). E como alguém poderá pedir segundo a vontade de Deus sem nem mesmo crer em Jesus e querer apontar sua fé para o Universo ou para uma energia cósmica qualquer? Qualquer leigo em viagens espaciais sabe que é impossível ao homem viver desprotegido fora da atmosfera terrestre, pois a energia cósmica, em suas várias manifestações, é extremamente mortal.

Espero ter mostrado a você que não existe uma fé verdadeira a não ser aquela que é gerada pela Palavra de Deus na alma que se reconhece pecadora e incapaz, e crê sem reservas no Salvador. Só então, e pela ação do Espírito Santo nessa alma, é que ela será capaz de conhecer a vontade de Deus e pedir qualquer coisa segundo essa mesma vontade, e não segundo a vontade própria, e ser atendida. Não existe nenhuma conspiração de energias cósmicas envolvidas nisso, apenas um Pai amoroso de quem a pessoa convertida se torna filha para desfrutar de uma comunhão individual com ele por meio de Jesus. Porque fora dele qualquer pensamento positivo ou mentalização cósmica não passa de ilusão e nem deveria ser chamada de "auto-ajuda", mas de "auto-engano".

"Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente... Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam... A palavra está junto de ti, na tua boca e no teu coração; esta é a palavra da fé, que pregamos, a saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação. Porque a Escritura diz: Todo aquele que nele crer não será confundido. Porquanto não há diferença entre judeu e grego; porque um mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam. Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como, pois, invocarão aquele em quem não creram?" (Hb 11:3, 6; Rm 10:8-11).

Veja também:
http://www.respondi.com.br/2007/04/o-que-voc-acha-do-livro-o-segredo.html
http://www.respondi.com.br/2008/06/voce-acredita-em-novas-revelacoes.html
http://www.respondi.com.br/2005/06/o-que-aconteceu-aps-sua-converso.html

por Mario Persona


Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana